Acabel 8

Para que serve Acabel 8

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


APROVADO EM 25-10-

11 INFARMED FOLHETO INFORMATIVO

: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Acabel 8 mg comprimidos revestidos por película Lornoxicam Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento.

- Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler. - Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico. - Este medicamento foi receitado para si. Não deve dá-lo a outros; o medicamento pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sintomas. - Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico. Neste folheto: 1. O que é Acabel e para que é utilizado 2. Antes de tomar Acabel 3. Como tomar Acabel 4. Efeitos secundários possíveis 5. Como conservar Acabel 6. Outras informações 1. O que é Acabel e para que é utilizado O Acabel é um medicamento anti-inflamatório e anti-reumático não esteróide (AINEs) da classe dos oxicans. Destina-se ao tratamento de curta duração da dor aguda ligeira a moderada e dos sintomas ao alívio da artrite reumatóide e osteoartrite, como dor e inflamação das articulações. 2. Antes de tomar Acabel Não tome Acabel - Se for alérgico (hipersensibilidade) ao Lornoxicam ou a qualquer outro componente de Acabel 8 mg comprimidos revestidos por película - Se sofrer de trombocitopenia - Se for hipersensível a outros AINEs, incluindo o ácido acetilsalicílico - Se sofrer de insuficiência cardíaca grave; - Se sofrer de hemorragia gastrointestinal ou cerebrovascular, bem como outros distúrbios hemorrágicos - Se apresentar um historial de hemorragia ou perfuração gastrointestinal relacionada com terapia anterior com AINEs - Se sofrer de úlcera péptica activa ou apresentar um historial de úlcera péptica recorrente - Se sofrer de disfunção hepática grave; - Se sofrer de disfunção renal grave; - Se estiver nos últimos três meses da sua gravidez Tome especial cuidado com Acabel - Se a sua função renal estiver comprometida; APROVADO EM 25-10-

11 INFARMED

- Se apresentar um historial de hipertensão e/ou falência cardíaca, envolvendo retenção de fluidos e edema - Se sofrer de colite ulcerativa ou doença de Crohn - Se apresentar historial de tendência para as hemorragias - Se apresenta historial de asma - Se sofrer de LES (lúpus eritematoso) Se sofrer de perturbações da coagulação sanguínea, função hepática diminuída, se for uma pessoa idosa ou se for tratado com Acabel durante mais de 3 meses, o seu médico poderá ter que o acompanhar através de análises clínicas frequentes. Se vai ser tratado com heparina ou tacrolimus em simultâneo com Acabel, informe o seu médico sobre a sua medicação actual. O Acabel não deverá ser usado concomitantemente com outros AINEs tais como o ácido acetilsalicílico, o ibuprofeno e os inibidores da COX-2. Pergunte ao seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas. Se experimentar sintomas abdominais invulgares, tais como hemorragia abdominal, reacções cutâneas tais como erupções cutãneas, lesões das mucosas ou outros sinais de hipersensibilidade, interrompa o tratamento com o Acabel e contacte imediatamente o seu médico.

Medicamentos tais como o Acabel podem estar associados a um risco ligeiramente aumentado de ataque cardíaco (“enfarte do miocárdio”) ou acidente vascular cerebral. Qualquer risco tem maior probabilidade com doses elevadas e tratamento prolongado. Não exceda a dose recomendada ou a duração do tratamento. Se tem problemas cardíacos, acidente vascular cerebral anterior ou acha que está em risco de os sofrer (por exemplo, se tem pressão arterial elevada, diabetes, colesterol elevado ou é fumador) deve discutir o tratamento com o seu médico ou farmacêutico. Se tiver varicela não utilize Acabel. Ao tomar Acabel com outros medicamentos Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Acabel pode interferir com outros medicamentos. Deverá ter especial cuidado se estiver a tomar as seguintes substâncias: - Cimetidina - Anticoagulantes tais como heparina ou o fenprocoumon - Corticosteróides - Metotrexato - Lítio - Agentes imunosupressores tais como a ciclosporina ou o tacrolimus APROVADO EM 25-10-

11 INFARMED

- Medicamentos para o coração, tais como a digoxina, os inibidores da ECA ou bloqueadores adrenérgicos beta - Diuréticos - Bloqueadores beta - Antibióticos da família das quinolonas - Inibidores da agregação plaquetária - AINEs tais como o ibuprofeno e o ácido acetilsalicílico - ISRS - Sulfonilureias, por exemplo glibenclamida - Indutores e inibidores das isoenzimas CYP2C9 - Bloqueadores dos receptores da Angiotensina II - Pemetrexed Ao tomar Acabel com alimentos e bebidas O Acabel comprimidos revestidos por película destina-se a administração oral e deve ser tomado antes das refeições com uma quantidade suficiente de líquido. A ingestão concomitante de alimentos poderá reduzir a absorção do medicamento. Gravidez e aleitamento Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

O Acabel não deve ser tomado durante os primeiros seis meses da gravidez nem por mulheres lactantes. Não pode tomar Acabel nos últimos três meses da sua gravidez. O uso de Acabel pode comprometer a fertilidade e não é recomendável para mulheres a tentar engravidar. Em mulheres com dificuldade em engravidar ou a fazer estudos de infertilidade, deve ser considerada a retirada do Acabel.

Condução de veículos e utilização de máquinas O Acabel tem uma influência negligenciável ou nula na capacidade de conduzir veículos ou de utilizar máquinas.

Informações importantes sobre alguns componentes de Acabel Acabel 8 mg contém lactose mono-hidratada. Se tiver sido informado pelo seu médico de que apresenta intolerância a alguns açúcares, contacte-o antes de tomar o medicamento.

COMO TOMAR ACABEL T

omar Acabel sempre de acordo com as indicações do médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas. Adultos: a dose usual é 8-16 mg, dividida em 2 ou 3 doses. A dose diária máxima recomendada é de 16 mg. Os comprimidos de Acabel devem ser ingeridos com uma quantidade suficiente de líquido. Não tome Acabel com uma refeição, uma vez que os alimentos podem diminuir a sua efectividade. APROVADO EM 25-10-

11 INFARMED O A

cabel não é recomendado em crianças e adolescentes com idades inferiores a 18 anos devido à ausência de dados. Se tomar mais Acabel do que deveria Contacte o seu médico ou farmacêutico se tiver tomado mais lornoxicam do que o receitado.

Em caso de sobredosagem são de esperar os seguintes sintomas: náuseas, vómitos, sintomas cerebrais (tonturas, perturbações da visão). Caso se tenha esquecido de tomar Acabel Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar. Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico.

EFEITOS SECUNDÁRIOS POSSIVEIS C

omo todos os medicamentos, Acabel pode causar efeitos secundários, no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas. Medicamentos tais como o Acabel podem estar associados a um risco ligeiramente aumentado de ataque cardíaco (“enfarte do miocárdio”) ou acidente vascular cerebral. Caso se manifeste algum dos seguintes efeitos secundários durante a utilização deste medicamento, interrompa a sua toma e contacte imediatamente o seu médico ou as urgências do hospital mais próximo: Falta de ar, dor no peito, aparecimento ou agravamento de inchaço no tornozelo Dor no estômago severa ou continua ou se as fezes ficarem negras Pele e olhos amarelos (icterícia) – estes são sinais de problemas de fígado Reacção alérgica – que podem incluir problemas de pele, como úlceras ou bolhas, edema da face, língua, lábios, ou garganta que pode causar dificuldade respiratória.

Febre, erupção bolhosa ou inflamatória, especialmente nas mãos e pés ou na zona da boca (síndrome de Stevens-Johnson). Raramente podem ocorrer infecções graves na pele em associação com varicela. Os efeitos secundários conhecidos incluem: Frequentes: afectam de 1 a 10 utilizadores em 100 Dor de cabeça ligeira e passageira, tonturas, náuseas, dores abdominais, dispepsia, diarreia, vómitos.

Pouco frequentes: afectam 1 a 10 utilizadores em 1,000 Perda de peso (anorexia), insónia, depressão, conjuntivite, vertigens, zumbido, falência cardíaca, palpitações, taquicardia, rubor, obstipação, flatulência, eructação, boca seca, gastrite, úlcera gástrica, dores no abdómen superior, úlcera duodenal, úlceras na boca, aumento dos parâmetros do fígado (definidos por exames ao sangue), erupção cutânea, prurido, aumento da sudação, erupção eritematosa, APROVADO EM 25-10-

11 INFARMED

angioedema, urticária, perda de cabelo, artralgia,, mal-estar, edema facial, alterações de peso, edema, rinite (alergia). Raros: afectam 1 a 10 utilizadores em 10,000 Faringite, anemia, trombocitopenia, leucopenia, hipersensibilidade, reacção anafilática e anafilaxia, confusão, nervosismo, agitação, sonolência, parestesia (sensação de formigueiro), alterações do paladar, tremores, dores de cabeça, perturbações da visão, hipertensão, rubor, hemorragias, hematomas, dificuldade em respirar, tosse, fezes negras, vomitar sangue, hemorragia gastrointestinal, inflamação na boca, esofagite, refluxo gastroesofágico, dificuldade em urinar, estomatite aftosa, inflamação da lingua, anomalias da função hepática, problemas de pele, eczema, dor óssea, cãibras, dor muscular, noctúria (urinar durante a noite), problemas urinários, fraqueza, aumento do tempo de hemorragias, erupção cutânea, broncospasmo, aumento dos níveis de ureia e de creatinina, úlcera péptica perfurada. Muito raros: afecta menos de 1 a 10 utilizadores em 10,000 Danos hepatocelulares, hepatite, icterícia, colestase, equimose, edema, afecções cutâneas graves (síndrome de Stevens-Johnson, necrólise epidérmica tóxica), meningite asséptica, efeitos da classe dos

AINES

neutropenia, agranulocitose, anemia aplastica, anemia hemolítica, toxicidade renal.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico. 5. Como c

ONSERVAr ACABEL Manter fora do alcance e da vista das crianças. O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação. Não utilize Acabel após o prazo de validade impresso na embalagem. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado. Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita. Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente. 6. Outras informações Qual a composição de Acabel - A substância activa é o lornoxicam. - Um comprimido revestido por película contém 8 mg de lornoxicam. - Os outros componentes são: Núcleo: lactose mono-hidratada, celulose microcristalina, povidona, croscarmelose sódica estearato de magnésio. Película: macrogol, dióxido de titânio (E171), talco, hipromelose. Qual o aspecto de Acabel e conteúdo da embalagem APROVADO EM 25-10-

11 INFARMED

Acabel 8 mg comprimido revestido por película é um comprimido oblongo revestido por película, branco a amarelado, gravado com a inscrição “L08”. Acabel é distribuído em embalagens de 10, 20, 30, 50, 100, 250 e 500 comprimidos revestidos por película. É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações. Titular da Autorização de Introdução no Mercado Nycomed Portugal – Produtos Farmacêuticos, Lda. Quinta da Fonte – Edifício Gil Eanes 2770-192 Paço de Arcos Fabricante Nycomed Denmark Langebjerg 1 – 4000 Roskilde Dinamarca ou Nycomed Gmb

H Betriebsstätte Oranienburg Lehnitzstraße 70-98 Oranienburg Alemanha ou Nycomed Austria Gmb

H St. Peter Straße, 25 A-4021 Linz Áustria Este medicamento está autorizado nos estados membros da EEA com os seguintes nomes: Austria Xefo 8 mg - filmtabletten Bulgaria ????? Czech Republic Xefo 8 mg Denmark Xefo Estonia Xefo France Xefo Greece Xefo Hungary Xefo 8 mg filmtabletta Ireland Xefo Italia XEFO Lithuania Xefo 8 mg p?vele dengtos tablet?s Latvia Xefo 8 mg apvalkot? tablete Poland Xefo Portugal Acabel 8 mg Romania Xefo 8 mg The Netherlands Xefo Slovakia Xefo 8 mg filmom obalené tablety Slovenia Xefo 8 mg filmsko obložene tablete Spain Acabel 8 mg comprimidos recubiertos con película Sweden Xefo APROVADO EM 25-10-

11 INFARMED E

ste folheto foi aprovado pela última vez em


DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Edema: Acúmulo anormal de líquido nos espaços intercelulares dos tecidos ou em diferentes cavidades corporais (peritôneo, pleura, articulações, etc.).
  2. Faringite: Inflamação da mucosa faríngea em geral de causa bacteriana ou viral. Caracteriza-se por dor, dificuldade para engolir e vermelhidão da mucosa, acompanhada de exsudatos (ver) ou não.
  3. Eczema: Doença da pele caracterizada pelo surgimento de lesões generalizadas sob forma de placas, manchas ou bolhas, devido a uma reação por contato local ou por ação de uma agressão sistêmica.
  4. Febre: Elevação da temperatura corporal acima de um valor normal, estabelecido entre 36,7ºC e 37ºC, quando medida na boca.
  5. Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago (ver). Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
  6. Icterícia: Pigmentação amarelada da pele e mucosas devido ao aumento da concentração de bilirrubina no sangue. Pode ser acompanhada de sintomas como colúria (ver), prurido, etc. Associa-se a doenças hepáticas e da vesícula biliar, ou à hemólise (ver).
  7. Hemorragia: Perda de sangue para um órgão interno (tubo digestivo, cavidade abdominal) ou para o exterior (ferimento arterial). De acordo com o volume e velocidade com a qual se produz o sangramento uma hemorragia pode produzir diferentes manifestações nas pessoas, desde taquicardia, sudorese, palidez cutânea, até o choque.
  8. Osteoartrite: Termo geral que se emprega para referir-se ao processo degenerativo da cartilagem articular, manifestado por dor ao movimento, derrame articular, etc. Também se denomina artrose (ver).
  9. Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
  10. Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de ???emergência infecciosa???.
  11. Taquicardia: Aumento da freqüência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações (ver).
  12. Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
  13. Refluxo gastroesofágico: Presença de conteúdo ácido proveniente do estômago na luz esofágica. Como o dito órgão não está adaptado fisiologicamente para suportar a acidez do suco gástrico, pode ser produzida inflamação de sua mucosa (esofagite).
  14. Uréia: Produto do metabolismo das proteínas. Indica de forma indireta a eficiência da função renal. Quando existe insuficiência renal, os valores de uréia elevam-se produzindo distúrbios variados (pericardite urêmica, encefalopatia urêmica, etc.).
  15. Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
  16. Varicela: Doença viral freqüente na infância e caracterizada pela presença de febre e comprometimento do estado geral juntamente com a aparição característica de lesões que têm vários estágios. Primeiro são pequenas manchas avermelhadas, a seguir formam-se pequenas bolhas que finalmente rompem-se deixando uma crosta. ?? contagiosa, mas normalmente não traz maiores conseqüências à criança. As bolhas e suas crostas, se não sofrerem infecção secundária, não deixam cicatriz.

Síguenos

X