CALCAREA SULPHURICA

Para que serve CALCAREA SULPHURICA

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


CALCAREA SULPHURICA

CaSO . 2H O; 172,18

4 2

Sinonímia homeopática. Calcium sulphuricum.

Nome químico. sulfato de cálcio diidratado.

DESCRIÇÃO

Caracteres físico-químicos. Pó fino cristalino branco, inodoro.

Solubilidade. Ligeiramente solúvel em água (1:375). Praticamente insolúvel em etanol.


o
Densidade relativa (V.2.5) F. Bras. IV. 2,32 g/ml a 25 C.

Incompatibilidades. Sais de chumbo, de estrôncio e de bário.

ESPECIFICAÇÃO

Contém, no mínimo, 98,0 % e não mais do que 102,0 % de CaSo .2H O.

4
2

IDENTIFICAÇÃO

Adicionar 5 g da amostra a 40 ml de água purificada. Agitar por 5 minutos e filtrar através de funilcom placa de vidro sinterizado de porosidade média, lavando o resíduo por duas vezes com 5 ml deágua purificada recentemente fervida (Solução A).

A.

A Solução A dá as reações de identificação do íon cálcio e do íon sulfato (V.3.1.1) F. Bras. IV.

B.

A 10 ml da Solução A adicionar 0,1 ml de solução de vermelho de metila SI. Essa solução éamarela e não deve ser necessário mais do que 0,15 ml da solução de ácido clorídrico 0,01 M para acor passar a vermelho.

ENSAIOS DE PUREZA

Aquecer até ebulição 25 g de sulfato de cálcio em 50 ml de água purificada (Solução B).

Alcalinidade. Aquecer até ebulição 1 g de sulfato de cálcio com 50 ml de água purificada; resfriar e adicionar 1 gota de azul de bromotimol SI. Para atingir o ponto de viragem do indicador não deveser necessário mais que 0,3 ml de ácido clorídrico 0,1 M.

Substâncias insolúveis em ácido clorídrico. Dissolver à quente 1 g de sulfato de cálcio em 60 mlde ácido clorídrico a 5% (p/V). A solução deve ser límpida.

Cloretos. A 10 ml da Solução B adicionar água purificada até 15 ml. A solução deve atender aoensaio-limite para cloretos (V.3.2.1). F. Bras. IV. No máximo 10 ppm.

Ferro. 10 ml de Solução B devem satisfazer ao ensaio-limite para ferro (V.3.2.4). F. Bras. IV. Nomáximo 10 ppm.


o
Perda por calcinação. Calcinar a 700 C por duas horas 1 g de sulfato de cálcio diidratado.

A

perda não deve ser superior a 21,5 %.

Metais pesados. Proceder ao ensaio-limite para metais pesados (V.3.2.3). F.Bras. IV. No máximo10 ppm.

DOSEAMENTO

Pesar 0,2 g da amostra, com precisão de 1 mg. Dissolver com auxílio de agitação magnética numamistura de 5 ml de ácido clorídrico e 125 ml de água purificada, contidos num béquer de 250 ml.Caso haja dificuldade de dissolução, aquecer levemente a mistura. Após a dissolução total dasubstância, acrescentar 10 ml de solução de hidróxido de sódio M. Homogenizar e adicionar 5 ml decalcona SI. Titular, usando a agitação magnética, com solução de edetato dissódico 0,05 M SV atéque a cor mude de vermelho-púrpura para azul. Cada ml de solução de edetato dissódico 0,05

M SV

corresponde a 0,09 g de CaSO .2H O.

4
2

CONSERVAÇÃO

Em frasco de vidro neutro, âmbar, bem fechado.

FORMA DERIVADA

Ponto de partida. Sulfato de Cálcio diidratado (CaSO . 2H O)

4 2
Insumo inerte. Utilizar lactose até 3CH ou 6 DH e para as demais, seguir a regra geral depreparação de formas farmacêuticas derivadas.Método. Hahnemanniano (XI. I), Korsakoviano (XI.II), Fluxo Contínuo (XI.III); Farm. Hom. Bras.II, 1997.

Dispensação. A partir da 1CH ou 1DH seguindo regra geral de dispensação.

Conservação.
Em frasco de vidro neutro, âmbar, bem fechado.



DEFINIÇÕES MÉDICAS

Síguenos

X