Dalcipran

Para que serve Dalcipran

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


FOLHETO INFORMATIVO

Informação para o utilizadorDALCIPRAN 25 mg cápsulasDALCIPRAN 50 mg cápsulasMilnacipranLeia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento.- Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler.- Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.- Este medicamento foi receitado para si. Não deve dá-lo a outros já que pode ser-lhesprejudicial mesmo que apresentem os mesmos sintomas.- Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitossecundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.Neste folheto:1. O que é o Dalcipran e para que é utilizado2. Antes de tomar Dalcipran3. Como tomar Dalcipran4. Efeitos secundários possíveis5. Como conservar Dalcipran6. Outras informações1 – O QUE É DALCIPRAN E PARA QUE É

UTILIZADO

Grupo farmacoterapêutico: 2.9.3 Antidepressores.Este medicamento é um antidepressivo.Está indicado no tratamento das crises de depressão major compreendendo asformas graves nos doentes hospitalizados. A sua acção só se manifesta apósvários dias.2 –

ANTES DE TOMAR DALCIPRAN

Não tome

DALCIPRAN

-se tem alergia conhecida ao milnacipran ou a outro dos constituintes destemedicamento,-em associação com inibidores não selectivos da monoaminoxidase (iproniazida,nialamida), com inibidores selectivos da MAO-B (selegilina), com digitálicos(digoxina), e com medicamentos do grupo do sumatriptano usados paratratamento da enxaqueca (Ver Utilização de outros medicamentos),-durante o aleitamento.

Tome especial cuidado com Dalcipran-em associação com a adrenalina ou com a noradrenalina por via injectável, coma clonidina e produtos aparentados, e com os inibidores selectivos da MAO-

A

(moclobemida, toloxatone) (ver Utilização de outros medicamentos),-hipertrofia prostática (aumento do volume da próstata), e outras alteraçõesgénito-urinárias,-gravidez.Previna o seu médico em caso de:-insónia ou nervosismo no início do tratamento,-insuficiência renal (o seu médico pode ter que modificar a sua dose diária),-história de obstrução urinária (dificuldade em urinar),-hipertensão arterial ou doença cardíaca,-glaucoma de ângulo fechado,-epilepsia ou antecedentes de epilepsia.EM CASO DE DÚVIDA, NÃO HESITE EM ACONSELHAR-

SE COM O SEU

DICO OU

FARMACÊUTICO.Avisos especiais:Como com todos os antidepressivos, a acção deste medicamento só semanifesta ao fim de alguns dias.Pensamentos relacionados com o suicídio e agravamento da sua depressão oudistúrbio de ansiedadeSe se encontra deprimido e/ou tem distúrbios de ansiedade poderá por vezespensar em se auto-agredir ou até suicidar. Estes pensamentos podem aumentarno início do tratamento com antidepressivos, pois estes medicamentosnecessitam de tempo para actuarem. Normalmente os efeitos terapêuticosdemoram cerca de duas semanas a fazerem-se sentir mas por vezes podedemorar mais tempo.Poderá estar mais predisposto a ter este tipo de pensamento nas seguintessituações:-Se tem antecedentes de ter pensamentos acerca de se suicidar ou se auto-
agredir-Se é um jovem adulto. A informação proveniente de estudos clínicos revelou ummaior risco de comportamento suicídio em indivíduos adultos com menos de 25anos com problemas psiquiátricos tratados com antidepressivos.Se em qualquer momento vier a ter pensamentos no sentido de auto-agressãoou suicídio deverá contactar o seu médico ou dirigir-se imediatamente aohospital.

Poderá ser útil para si comunicar a uma pessoa próxima de si ou a um familiarque se encontra deprimido ou que tem distúrbios de ansiedade e dar-lhes estefolheto a ler. Poderá também solicitar-lhes que o informem caso verifiquem umagravamento do seu estado de depressão ou ansiedade, ou se ficarempreocupados com alterações no seu comportamento.Utilização em crianças e adolescentes com idade inferior a 18 anosDalcipran não deve normalmente ser utilizado em crianças e adolescentes comidade inferior a 18 anos. Importa igualmente assinalar que os doentes com idadeinferior a 18 anos correm maior risco de sofrerem efeitos secundários tais como,tentativa de suicídio, ideação suicida e hostilidade (predominantementeagressão, comportamento de oposição e cólera) quando tomam medicamentosdesta classe. Apesar disso, o seu médico poderá prescrever Dalcipran paradoentes com idade inferior a 18 anos quando decida que tal é necessário. Se oseu médico prescreveu Dalcipran para um doente com menos de 18 anos egostaria de discutir esta questão, queira voltar a contactá-lo. Deverá informar oseu médico se alguns dos sintomas acima mencionados se desenvolver oupiorar quando doentes com menos de 18 anos estejam a tomar Dalcipran.Assinala-se igualmente que não foram ainda demostrados os efeitos desegurança a longo prazo no que respeita ao crescimento, à maturação e aodesenvolvimento cognitivo e comportamental do Dalcipran neste grupo etário.Ao tomar Dalcipran com alimentos e bebidasA utilização de bebidas alcoólicas ou de medicamentos contendo álcool estádesaconselhada.Gravidez e AleitamentoGravidez:Como precaução este medicamento não deve ser utilizado durante a gravidez.Se ocorrer uma gravidez durante o tratamento, consulte o seu médico, pois sóele pode avaliar a necessidade de continuar o tratamento.Aleitamento:A utilização deste medicamento está contra-indicada durante o aleitamento umavez que ocorre a passagem de pequenas quantidades de milnacipran para oleite materno.Condução de veículos e utilização de máquinasChama-se a atenção, principalmente dos condutores de veículos e dosutilizadores de máquinas, para os eventuais riscos de vertigens, especialmenteno início do tratamento.Ao tomar Dalcipran com outros medicamentos

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomadorecentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos semreceita médica.Não deve tomar este medicamento ao mesmo tempo que:- alguns outros medicamentos para a depressão (iproniazida, nialamida),- alguns medicamentos para a doença de Parkinson (selegilina),- alguns medicamentos com acção sobre o coração (digitálicos (digoxina)),- alguns medicamentos para a enxaqueca (sumatriptano e outros medicamentosdo mesmo grupo).De um modo geral, e salvo opinião contrária do seu médico, não deve tomareste medicamento ao mesmo tempo que:- alguns medicamentos que actuam sobre o sistema cardiovascular (adrenalinaou noradrenalina por via injectável, clonidina e produtos aparentados),- alguns outros medicamentos para a depressão (moclomebida toloxatone).Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomadorecentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos sem receitamédica.3 –

COMO TOMAR DALCIPRAN

Tomar Dalcipran sempre de acordo com as indicações do médico. Fale com oseu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas. A dose diária recomendada é de 1cápsula de 50 mg de manhã e outra à noite, a administrar de preferência duranteas refeições.Não é necessário proceder ao ajuste da dose, no idoso, desde que a funçãorenal se apresente normal.Nos doentes com insuficiência renal é necessária uma adaptação posológica.Recomenda-se reduzir a dose para 50 mg ou 25 mg em função do grau deinsuficiência, utilizando as cápsulas de 25 mg.EM TODOS OS CASOS CUMPRA RIGOROSAMENTE AS INDICAÇÕ

ES DO

SEU MÉDICO.Se tem a impressão que o efeito de DALCIPRAN cápsulas é demasiado forte oudemasiado fraco, fale com o seu médico ou farmacêutico.Modo e via de administraçãoVia oral.Tomar a cápsula com um copo de água.

EM TODOS OS CASOS CUMPRA RIGOROSAMENTE AS INDICAÇÕ

ES DO

SEU MÉDICO.Frequência da administraçãoTomar este medicamento em duas tomas, de manhã e à noite, de preferência nodecurso de uma refeição.Respeite rigorosamente a prescrição do seu médico.Duração do tratamentoO tratamento dura habitualmente vários meses.Não pare o seu tratamento sem conselho médico, mesmo que se sinta melhor.Se necessário, este tratamento deve ser interrompido progressivamente.EM TODOS OS CASOS CUMPRA RIGOROSAMENTE AS INDICAÇÕ

ES DO

SEU MÉDICO.Se tomar mais DALCIPRAN do que deveriaSe tomou uma dose excessiva de Dalcipran deve solicitar assistência médicaimediata.Caso se tenha esquecido de tomar

DALCIPRAN

Não tome uma dose a dobrar para compensar a dose que se esqueceu detomar.Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seumédico ou farmacêutico.4 – EFEITOS SECUNDÁRIOS POSSÍ

VEIS

Como todos os medicamentos, DALCIPRAN pode causar efeitos secundários,no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas.Os efeitos indesejáveis observados durante o tratamento com milnacipranocorrem principalmente durante a primeira ou as duas primeiras semanas detratamento:- vertigens, transpiração excessiva, ansiedade, acessos de calor e disúria(dificuldade em urinar);- náuseas, vómitos, secura da boca, obstipação, tremores, palpitações, agitação,dor de cabeça, urticária, erupção cutânea, por vezes máculo-papulosa,eritematosa, prurido; é de salientar que, nos doentes com antecedentescardiovasculares ou que façam simultaneamente um tratamento para umadoença do coração, podem ser um pouco mais frequentes os efeitos

indesejáveis cardiovasculares, tais como hipertensão, hipotensão, hipotensãoortostática e palpitação,-alterações dos exames do fígado,-em raros casos verificou-se: síndrome serotoninérgico, retenção urinária,convulsões, em particular nos doentes com antecedentes de epilepsia, dorestesticulares e problemas de ejaculação,-em caso excepcionais: hiponatremia, equimoses e outras hemorragias cutâneo-
mucosas.-foram notificados casos de ideação/comportamento suicida durante otratamento com milnacipran ou imediatamente após a sua descontinuação.Alguns sintomas podem também fazer parte da sua depressão.Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitossecundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico oufarmacêutico.5 –

COMO CONSERVAR DALCIPRAN

Manter fora do alcance e da vista das crianças.Não Conservar acima de 30°C.Verifique o prazo de validade inscrito na embalagem. Não utilizar depois deultrapassado o prazo de validade inscrito na embalagem.Não utilize Dalcipran se verificar sinais visíveis de deterioração.Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou lixo doméstico.Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já nãonecessita. Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.6 - OUTRAS INFORMAÇÕ

ES

Qual a composição de Dalcipran - A substância activa é:

DALCIPRAN

25 DALCIPRAN 50 mg mg Cloridrato de milnacipran 25,00 mg 50,00 mg Quantidade correspondente a 21,77 mg 43,55 mg milnacipran base por umacápsula

- Os outros componentes são: Hidrogenofosfato de cálcio di-hidratado,carmelose cálcica, povidona K30, sílica coloidal anidra, estearato de magnésio etalco.Composição do invólucro da cápsulaDalcipran 25 mgTampa e corpo (cor rosa): dióxido de titânio (E171), óxido de ferro vermelho(E172), óxido de ferro amarelo (E172) e gelatina.Dalcipran 50 mgTampa (cor rosa): dióxido de titânio (E171), óxido de ferro vermelho (E172),óxido de ferro amarelo (E172) e gelatina.Corpo (cor de ferrugem): dióxido de titânio (E171), óxido de ferro vermelho(E172), óxido de ferro amarelo (E172) e gelatina.Qual o aspecto de Dalcipran e conteúdo da embalagemEste medicamento apresenta-se sob a forma de cápsulas em embalagens com14 e 56 cápsulas a 25 mg e embalagens com 14 e 56 cápsulas a 50 mg.É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

REPREFAR – PRODUTOS FARMACÊUTICOS, LDA.Rua Rodrigo da Fonseca, n.º 178 – 2º Esq.1099-067 LisboaPortugal

FABRICANTE

PIERRE FABRE MÉ

DICAMENT PRODUCTION

Zone Industrielle de Cuiry - Rue du LycéeF-45500 GienFrançaEste folheto foi aprovado pela última vez em



DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Hemorragia: Perda de sangue para um órgão interno (tubo digestivo, cavidade abdominal) ou para o exterior (ferimento arterial). De acordo com o volume e velocidade com a qual se produz o sangramento uma hemorragia pode produzir diferentes manifestações nas pessoas, desde taquicardia, sudorese, palidez cutânea, até o choque.
  2. Glaucoma: Aumento da pressão intra-ocular que se manifesta por dor de cabeça, olho vermelho e, se não tratado, pode produzir perda de visão a longo prazo.
  3. Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
  4. Palpitação: Percepção subjetiva dos batimentos cardíacos. Pode apresentar-se durante algumas arritmias cardíacas ou mesmo em pessoas com ritmo normal. Neste último caso, são distúrbios benignos associados a diversos distúrbios de ansiedade.
  5. Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.

Síguenos

X