DANTROLEN

Para que serve DANTROLEN

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

DANTROLEN

dantroleno sódico

APRESENTAÇÕES


P€ li€filo injet•vel:
?

20 mg em caixa com 12 frascos-ampola

‚gua para injet•veis:
?

60 mL em caixa com 12 frascos-ampola

USO INTRAVENOSO

USO ADULTO E PEDIÁTRICO

COMPOSIÇÃO


DANTROLEN

20 mg

Cada frasco-ampola contƒm:
dantroleno s€dico* ........................................................................... 20 mg
* Correspondente a 23,75 mg de dantroleno s€dico hemieptaidratado)

(excipiente: manitol 3 g, hidr€xido de s€dio q.s.p. pH 9,5 ap€s reconstitui„…o com •gua para injet•veis, sem

conservante)

INFORMAÇÕES AO PACIENTE
1. PARA QUE ESTE MEDICAMENTO FOI INDICADO?
† indicado juntamente com medidas de suporte apropriado, para o monitoramento do hipermetabolismo fulminante
do m‡sculo-esquelƒtico caracterˆstico da crise de hipertermia maligna em pacientes de todas as idades.
DANTROLEN

Intravenoso ƒ tambƒm indicado no prƒ-cir‡rgico e Šs vezes no p€s-cir‡rgico, para prevenir ou

atenuar o desenvolvimento de sinais clˆnico e laboratorial de hipertermia maligna em pacientes julgados susceptˆveis
Š hipertermia maligna.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Na prepara„…o de nervo muscular isolado, o dantroleno s€dico produziu relaxamento por afetar a resposta contr•til
do m‡sculo esquelƒtico no sˆtio acima da jun„…o mioneural, diretamente sobre o pr€prio m‡sculo. No m‡sculo
esquelƒtico, o dantroleno s€dico dissocia o engate excita„…o-contra„…o, provavelmente por interferir na libera„…o de
Ca

++

do retˆculo sarcoplasm•tico. Esse efeito parece ser mais pronunciado nas fibras musculares r•pidas que nas

lentas, mas geralmente afeta ambas. Ocorre um efeito do SNC com tontura, vertigem e fraqueza generalizadas.
Embora o dantroleno s€dico n…o pare„a afetar diretamente o SNC, a extens…o do seu efeito ƒ desconhecida. A
absor„…o do dantroleno s€dico ap€s a administra„…o oral em humanos ƒ incompleta e lenta, mas consistente, e s…o
obtidos nˆveis sanguˆneos relacionados com a dose. A dura„…o e a intensidade do relaxamento muscular esquelƒtico
s…o observadas em rela„…o Š dose e os nˆveis sanguˆneos.
A mƒdia da meia-vida biol€gica de dantroleno s€dico nos adultos ƒ 8,7 horas ap€s uma dose de 100 mg. Foram
determinadas as vias metab€licas especˆficas na degrada„…o e elimina„…o de dantroleno s€dico em humanos. Os
dados metab€licos s…o similares em adultos e crian„as.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Em caso de hipersensibilidade (alergia) ao dantroleno s€dico ou a qualquer componente da f€rmula.
O dantroleno s€dico n…o deve ser administrado a pacientes que est…o amamentando.
Gravidez – Categoria C: Este medicamento n…o deve ser utilizado por mulheres gr•vidas sem orienta„…o mƒdica ou
do cirurgi…o-dentista.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Durante o tratamento com o DANTROLEN

n…o deve ser feito o uso de bebidas alco€licas ou outros depressores do

sistema nervoso central.
No caso de aparecimento de sonolŒncia, vertigem ou sensa„…o de vertigem, altera„•es da vis…o ou debilidade
muscular, seu mƒdico deve ser avisado imediatamente. Nesses casos evitar dirigir veˆculos ou operar m•quinas
potencialmente perigosas.
O mƒdico deve ser avisado se a paciente estiver gr•vida ou se ocorrer gravidez durante o tratamento. N…o se
recomenda o uso do produto por pacientes que estejam amamentando. Tambƒm deve ser avisado se houver outros

problemas médicos como enfisema, asma, bronquite ou outra doença pulmonar crônica; doença cardíaca ou
hepática, ou história da mesma.
O dantroleno sódico deve ser usado com precaução em pacientes com função pulmonar diminuída, especialmente
aqueles com doença pulmonar obstrutiva e nos pacientes com função cardíaca gravemente diminuída, devido à
doença do miocárdio. Também deve ser usado com precaução nos pacientes com histórias de hepatopatias ou
qualquer disfunção hepática.
O dantroleno sódico altera as habilidades mentais e físicas como operar máquinas e dirigir automóveis. Deve-se ter
precaução também quando é administrado concomitantemente com agentes tranquilizantes.
O dantroleno provoca reações de fotossensibilidade: os pacientes devem ser prevenidos para que não se exponham
ao sol durante o tratamento.
É importante reconhecer que podem ocorrer durante a terapia desordens hepáticas, podendo ser fatal e não fatal, do
tipo idiossincrático ou hipersensível.
No início da terapia com DANTROLEN

®

é aconselhável fazer estudos da função hepática (SGOT, SGPT, fosfatase

alcalina, bilirrubina total) para a linha de base ou para estabelecer se há presença de hepatopatias. Se as
anormalidades hepáticas da linha de base forem confirmadas, fica claro que o potencial hepatotóxico do dantroleno
pode aumentar, embora o potencial não tenha sido ainda estabelecido.
Os estudos da função hepática devem ser realizados a intervalos apropriados durante a terapia com dantroleno. Se
tais estudos revelam valores anormais, a terapia deve ser interrompida. Apenas quando os benefícios do fármaco
forem de maior importância é que a terapia deve ser reinstituída. Alguns pacientes revelaram retorno aos valores
laboratoriais normais na continuação da terapia, enquanto que outros não. Se os sintomas compatíveis com a
hepatite, acompanhados de anormalidades nos testes da função hepática, ou icterícia aparecerem, a terapia deve ser
suspensa. Se esses sintomas foram causados por dantroleno, eles tendem à reversão quando a administração é
descontinuada.
A terapia foi reinstituída em alguns pacientes que desenvolveram evidências de dano hepatocelular clínico e/ou
laboratorial. Se tal reinstituição é feita, deve ser apenas em pacientes que realmente necessitem de dantroleno e
somente depois que as anormalidades e os sintomas laboratoriais prévios tenham sido esclarecidos. O paciente deve
ser hospitalizado e o fármaco reiniciado em doses muito pequenas e aumentadas gradualmente. O monitoramento
laboratorial deve ser frequente e o fármaco deve ser imediatamente suspenso se ocorrer qualquer reincidência de
hepatopatia. Alguns pacientes reagiram com sinais estranhos de hepatopatia com a administração de doses variadas,
enquanto outros não. DANTROLEN

®

deve ser usado com particular precaução em mulheres e em pacientes com

mais de 35 anos de idade, visto que parece ser maior a relação fármaco-indução, potencialmente fatal, de doença
hepatocelular nesses grupos.

Carcinog€nese, Mutag€nese e Diminui•‚o da Fertilidade:
A segurança de dantroleno a longo prazo em humanos não foi estabelecida. Estudos crônicos em ratos, cães e
macacos em dosagens maiores que 30 mg/kg/dia mostraram aumento ou perda de peso, e sinais de hepatopatia e,
possível oclusão da nefropatia, todas as quais foram reversíveis após a interrupção do tratamento. Fêmeas de ratos
Sprague-Dawley alimentadas com dantroleno sódico durante 18 meses com níveis de dosagem de 15, 30 e 60
mg/kg/dia mostraram um aumento na incidência de tumores mamários benignos e malignos comparados com
controles paralelos e na dosagem mais alta, um também aumento de linfogiomas e angiosarcomas hepáticos. Esses
efeitos não foram vistos em estudos de 2 anos e meio em 344 ratos Sprague-Dawley ou Fischer ou em estudos de
dois anos e meio em camundongos da cepa HaM/ICR. A carcinogenicidade em humanos não pode ser
completamente excluída, portanto esse possível risco da administração crônica deve ser considerado em relação ao
risco-benefício do fármaco para o paciente.

Gravidez – Categoria C

:

A segurança de dantroleno para o uso em pacientes que estão grávidas ou que podem engravidar não foi
estabelecida. O dantroleno sódico não deve ser administrado às pacientes que estão amamentando.
O dantroleno sódico deve ser administrado durante a gravidez apenas se a relação risco-benefício no feto for
justificada.
Em um estudo não controlado, foram administrados 100 mg/dia de dantroleno sódico oral a pacientes no final da
gestação. O dantroleno sódico atravessa rapidamente a placenta, com os níveis materno e fetal aproximadamente
iguais, os níveis no recém-nascido caem aproximadamente em 50%/dia, por dois dias, antes de declinar totalmente.
Nenhum efeito adverso respiratório e neuromuscular foi detectado em baixas doses. São necessários mais dados,
com doses mais altas, antes que conclusões mais definitivas possam ser feitas.

Uso pedi„trico

:

A segurança de dantroleno a longo prazo em crianças com menos de 5 anos de idade não foi estabelecida. Pela
possibilidade que os efeitos adversos podem se tornar aparentes apenas depois de alguns anos, a consideração de

risco-benefˆcio para o uso a longo prazo de dantroleno s€dico ƒ particularmente importante nos pacientes
pedi•tricos.

Pacientes idosos:
N…o existem dados para avaliar as diferen„as na dose-resposta do uso de dantroleno em pacientes idosos.
Recomenda-se cautela na titula„…o e monitoramento do paciente.

Visto que o efeito do estado da doen„a e de outros f•rmacos nas consequŒncias do dantroleno s€dico sobre a
fraqueza muscular esquelƒtica, incluindo possˆvel depress…o respirat€ria, n…o podem ser previstas, os pacientes que
recebem dantroleno s€dico intravenoso, no prƒ-cir‡rgico, devem ter os sinais vitais monitorados.
Se os pacientes s…o susceptˆveis Š hipertermia maligna e s…o tratados com dantroleno s€dico intravenoso, ou oral, no
prƒ-cir‡rgico, a prepara„…o anestƒsica deve ainda seguir um padr…o de regime para a hipertermia maligna, incluindo
evitar agentes desencadeantes conhecidos. Deve haver monitoramento para os sinais clˆnicos e metab€licos da
hipertermia maligna para que possa haver atenua„…o, e se possˆvel, mesmo a sua preven„…o. Esses sinais geralmente
levam Š administra„…o de dantroleno s€dico intravenoso adicional.
Deve-se ter o cuidado para o extravasamento de dantroleno s€dico nos tecidos circundantes devido ao alto pH da
formula„…o intravenosa.
Quando o manitol ƒ usado para a preven„…o ou tratamento de complica„•es renais da hipertermia tardia, devem ser
levados em considera„…o os 3 g de manitol necess•rios para dissolver cada 20 mg de dantroleno s€dico intravenoso.
Baseado nos dados de volunt•rios humanos, ƒ aconselh•vel dizer aos pacientes que recebem dantroleno s€dico
intravenoso que no p€s-cir‡rgico, a for„a de contra„…o ƒ diminuˆda e ocorre fraqueza dos m‡sculos das pernas,
especialmente no descer escadas. Tambƒm podem ser observados sintomas como medo da luz. Visto que esses
sintomas podem persistir por mais de 48 horas, os pacientes n…o devem dirigir autom€veis ou realizar qualquer
atividade perigosa nesse perˆodo.
A precau„…o ƒ tambƒm indicada durante as refei„•es pelo fato que foram observadas dificuldades para mastigar e
engolir alimentos.

Enquanto uma intera„…o definitiva do f•rmaco com estrogŒnios n…o est• definitivamente estabelecida, deve-se ter
precau„…o quando os dois f•rmacos forem administrados conjuntamente. A hepatotoxicidade ocorreu mais
frequentemente em mulheres com mais de 35 anos de idade recebendo estrogŒnios concomitantemente.
Existem raros relatos de depress…o do mioc•rdio e hipercalemia em pacientes tratados simultaneamente com
verapamil (bloqueador de canais de c•lcio) e dantroleno s€dico. A combina„…o de doses terapŒuticas de dantroleno
s€dico e verapamil (bloqueador de canais de c•lcio) em suˆno anestesiado com halotano/?-cloralose, resultou em
fibrila„…o ventricular e colapso cardiovascular em associa„…o com hiperpotassemia aumentada. Atƒ que a relev•ncia
desses dados para humanos seja estabelecida, a combina„…o de dantroleno s€dico e verapamil (bloqueador de canais
de c•lcio) n…o ƒ recomendada durante o monitoramento da hipertermia maligna.
Administra„…o de dantroleno s€dico pode potencializar os efeitos dos relaxantes musculares n…o-despolarizantes,
como vecur•nio.

O uso de dantroleno sódico intravenoso no monitoramento da crise de hipertermia maligna não substitui as
medidas de suporte previamente conhecidas. Essas medidas devem ser individualizadas, mas geralmente é
necessário interromper a administração dos agentes desencadeantes, observar a necessidade de aumento de
oxigênio, monitorar a acidose metabólica, instituir o resfriamento quando necessário, monitorar a excreção
urinária e o equilíbrio eletrolítico.

O dantroleno s€dico ƒ metabolizado no fˆgado e ƒ teoricamente possˆvel que seu metabolismo possa ser aumentado
por f•rmacos conhecidos que induzem as enzimas microssomais hep•ticas. Assim sendo, nem o fenobarbital, nem o
diazepam parecem afetar seu metabolismo. A liga„…o com as proteˆnas plasm•ticas n…o ƒ alterada significativamente
pelo diazepam, difenilhidantoˆna ou fenilbutazona. Essa liga„…o ƒ reduzida pela varfarina e clofibrato e aumentada
pela tolbutamida.
Deve-se ter precau„…o tambƒm quando ƒ administrado concomitantemente com agentes tranquilizantes pois pode
intensificar os efeitos adversos do dantroleno s€dico.

“Informe ao seu m†dico ou cirurgi‚o-dentista se voc€ est„ fazendo uso de algum outro medicamento”.
“N‚o use medicamento sem o conhecimento do seu m†dico. Pode ser perigoso para a sua saˆde”.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?
Manter o produto em temperatura ambiente, entre 15‘C e 30‘C, protegido da luz. O prazo de validade ƒ de 36 meses.
N…o utilizar o medicamento ap€s o vencimento do prazo de validade impresso na embalagem.

“N‡mero de lote e datas de fabrica„…o e validade: vide embalagem”.
“N…o use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original”.
Ap‰s preparo, manter em temperatura ambiente, entre 15ŠC e 30ŠC por 6 horas.

Caracter‹sticas f‹sicas e organol†pticas:
P€ li€filo laranja-amarelado a laranja, que pode estar em forma de agregados quebrados.

“Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e voc€ observe
alguma mudan•a no aspecto, consulte o farmac€utico para saber se poder„ utiliz„-lo”.

“Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crian•as”.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Assim que a rea„…o de hipertermia maligna seja constatada, todos os agentes anestƒsicos devem ser descontinuados;
recomenda-se a administra„…o de 100% de oxigŒnio.
DANTROLEN

Intravenoso deve ser administrado de forma contˆnua atƒ que os sintomas cessem. A dose efetiva

para reverter Š crise ƒ diretamente dependente do grau de susceptibilidade do paciente Š hipertermia maligna, a
quantidade e o tempo decorrido de exposi„…o ao agente desencadeante e o tempo decorrido entre o estabelecimento
da crise e o inˆcio do tratamento.

Dose Pedi„trica: Os experimentos indicam que a dose de DANTROLEN

Intravenoso para os pacientes pedi•tricos

ƒ a mesma que a dos adultos.

Pr†-Cirˆrgico: DANTROLEN

Intravenoso pode ser administrado prƒ-cirurgicamente a pacientes considerados

susceptˆveis Š hipertermia maligna, como parte do monitoramento total do paciente, para prevenir ou atenuar o
desenvolvimento de sinais clˆnico e laboratorial de hipertermia maligna.

Na aplica„…o da forma parenteral deve-se evitar o extravasamento da solu„…o nos tecidos circundantes, pelo fato do
pH ser elevado.

Reconstitui•‚o do P‰ Li‰filo:
Cada frasco-ampola de DANTROLEN

Intravenoso deve ser reconstituˆdo pela adi„…o de 60 mL de •gua para

injet•veis, sem conservante, estƒril e apir€gena, e o frasco-ampola deve ser agitado atƒ que a solu„…o esteja lˆmpida.
Solu„•es injet•veis de glicose 5%, cloreto de s€dio 0,9% e outras solu„•es •cidas n…o s…o compatˆveis com o
DANTROLEN

Intravenoso e n…o devem ser usadas.

O conte‡do do frasco-ampola deve ser protegido da luz direta e ser usado em atƒ 6 horas ap€s a reconstitui„…o. As
solu„•es reconstituˆdas devem ser mantidas em temperatura ambiente, entre 15‘C e 30‘C.
As solu„•es reconstituˆdas de DANTROLEN

Intravenoso n…o devem ser transferidas, nas infus•es profil•ticas,

para frascos parenterais de grande volume de vidro, devido Š possibilidade de forma„…o de precipitado quando em
contato com o vidro.
Para a infus…o profil•tica, o n‡mero necess•rio de frascos-ampola de DANTROLEN

Intravenoso deve ser

reconstituˆdo como acima indicado. O conte‡do dos frascos-ampola ƒ ent…o transferido para bolsa pl•stica
intravenosa estƒril. A infus…o preparada deve ser examinada quanto Š presen„a de turbidez e/ou precipita„…o, antes
da dispensa„…o e administra„…o, n…o a utilizando caso haja a confirma„…o. Pelo fato de a estabilidade da solu„…o ser
de apenas 6 horas, recomenda-se que a infus…o seja preparada imediatamente antes da administra„…o.

POSOLOGIA


DANTROLEN

Œ

Intravenoso: a dose profil•tica recomendada de DANTROLEN

IV ƒ de 2,5 mg/kg, come„ando

aproximadamente 1-” horas antes da anestesia marcada e infusa por aproximadamente 1 hora. Esta dose deve
prevenir ou atenuar o desenvolvimento de sinais clˆnico e laboratorial de hipertermia maligna, contanto que as
precau„•es habituais, como evitar os agentes desencadeantes de hipertermia maligna, sejam observadas.
Durante a anestesia e a cirurgia pode haver indica„…o adicional de DANTROLEN

IV devido ao aparecimento de

sinais clˆnicos e/ou gasosos no sangue, de hipertermia maligna, ou devido Š cirurgia prolongada. As doses adicionais
devem ser individualizadas.

O DANTROLEN

Intravenoso pode ser usado p€s-cirurgicamente para prevenir ou atenuar a recorrŒncia de sinais

de hipertermia maligna. A dose IV de DANTROLEN

, no perˆodo p€s-cir‡rgico, deve ser individualizada,

come„ando-se com 1 mg/kg ou mais, de acordo com a situa„…o clˆnica.

Pacientes idosos:
N…o existem dados para avaliar as diferen„as na dose-resposta do uso de dantroleno em pacientes idosos.
Recomenda-se cautela na titula„…o e monitoramento do paciente.

Siga a orienta•‚o do seu m†dico, respeitando sempre os hor„rios, as doses e a dura•‚o do tratamento. N‚o
interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu m†dico.

7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?
Uma vez que este medicamento † administrado por um profissional da saˆde em ambiente hospitalar n‚o
dever„ ocorrer esquecimento do seu uso.

Em caso de dˆvidas, procure orienta•‚o do farmac€utico ou de seu m†dico, ou cirurgi‚o-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

TŒm sido observadas ocasionalmente mortes ap€s a crise de hipertermia maligna, mesmo quando os pacientes s…o
tratados com dantroleno s€dico intravenoso; o n‡mero de incidŒncia n…o ƒ estabelecido (as taxas de mortalidade por
hipertermia maligna com prƒ-dantroleno foram de aproximadamente 50%). A maior parte dessas mortes ocorreu
pelo reconhecimento e tratamento tardios, dosagem inadequada, ausŒncia de terapia de suporte, doen„as
intercorrentes e/ou desenvolvimento de complica„•es tais como nefrites ou coagulopatia intravascular disseminada.
Em alguns casos n…o h• dados suficientes para excluir completamente a falha terapŒutica do dantroleno. Existem
raros relatos de fatalidade nas crises de hipertermia maligna, mesmo com a resposta inicial satisfat€ria ao dantroleno
intravenoso, que envolve pacientes que n…o podem estar desprovidos de dantroleno s€dico ap€s o tratamento inicial.
As rea„•es adversas que se seguem, est…o agrupadas em ordem de gravidade:
† raro o desenvolvimento de edema pulmonar durante o tratamento de crise de hipertermia maligna, no qual o
volume de diluente e manitol necess•rios para liberar o dantroleno s€dico intravenoso, possivelmente tenham
contribuˆdo.
H• casos de tromboflebite seguidos da administra„…o de dantroleno s€dico intravenoso, mas os n‡meros atuais n…o
est…o disponˆveis.
H• casos raros de urtic•ria e eritema possivelmente associados Š administra„…o de DANTROLEN

Intravenoso.

Houve um caso de anafilaxia.
A administra„…o intravenosa de dantroleno s€dico est• associada Š perda de for„a de prens…o e fraqueza nas pernas,
sonolŒncia e vertigens.
“Informe ao seu m†dico, cirurgi‚o-dentista ou farmac€utico o aparecimento de rea••es indesej„veis pelo uso
do medicamento. Informe tamb†m Ž empresa atrav†s do seu servi•o de atendimento”.

9. O QUE FAZER SE ALGU•M USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE
MEDICAMENTO?
A toxicidade aguda de DANTROLEN

n…o foi determinada em animais devido ao fato de que normalmente

administra-se pequena concentra„…o em grande volume. Em estudos de 14 dias (subagudo), a formula„…o de
DANTROLEN

foi relativamente n…o t€xica a ratos em doses de 10 mg/kg/dia e 20 mg/kg/dia. Enquanto que 10

mg/kg/dia em c…es, por 14 dias, mostraram pequena toxicidade; 20 mg/kg/dia, por 14 dias, causou mudan„as
hep•ticas de significado biol€gico question•vel.
N…o est…o disponˆveis dados para definir a sintomatologia de uma superdosagem de DANTROLEN

Intravenoso.

Se houver suspeita de superdosagem, o tratamento ƒ sintom•tico e de suporte. N…o se conhece antˆdoto.
Expans…o volŒmica com fluidos intravenosos deve ser considerada para evitar a possˆvel cristal‡ria.
“Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro m†dico e leve a
embalagem ou a bula do medicamento, se poss‹vel. Ligue para 0800 722 6001, se voc€ precisar de mais
orienta••es”.

DIZERES LEGAIS
MS N.‘ 1.0298.0206
Farm. Resp.: Dr. Josƒ Carlos M€dolo CRF-SP N.‘ 10.446

CRIST‚LIA Produtos Quˆmicos FarmacŒuticos Ltda.
Rodovia Itapira-Lind€ia, km 14 - Itapira-SP
CNPJ N.‘ 44.734.671/0001-51

“Ind‡stria Brasileira”

SAC

(Serviço de Atendimento ao Cliente): 0800 701 19 18

N.º do lote, data de fabricação e prazo de validade: Vide Rótulo/Caixa.

VENDA SOB PRESCRI•‘O M•DICA
USO RESTRITO A HOSPITAIS

“Esta bula foi aprovada pela Anvisa em 27/06/2014”

Anexo B

Histórico de alteração da bula

Dados da submissão eletrônica

Dados da petição/notificação que altera a bula

Dados das alterações de bulas

Data do

expediente

Número do

Expediente

Assunto

Data do

expediente

Número do

Expediente

Assunto

Data de

aprovação

Itens de bula

Versões

(VP /

VPS)

Apresentações

relacionadas

27/06/2014

10457 –

SIMILAR -

Inclus…o

Inicial de

Texto de Bula

– RDC 60/12

27/06/2014

------

------

10457 –

SIMILAR -

Inclus…o

Inicial de

Texto de

Bula – RDC

60/12

Todos os itens foram

alterados para

adequa„…o Š RDC

47/09

VP e

VPS

P€ li€filo Injet•vel

+ Solu„…o diluente

20 MG P• LIOF

INJ IV CX 12 FA

VD INC + 12 FA

DIL.



DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Acidose: Desequilíbrio do meio interno caracterizado por uma maior concentração de íons hidrogênio no organismo. Pode ser produzida pelo ganho de substâncias ácidas ou perda de substâncias alcalinas (básicas).
  2. Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (p. ex. cálculos biliares, hepatite).
  3. Edema: Acúmulo anormal de líquido nos espaços intercelulares dos tecidos ou em diferentes cavidades corporais (peritôneo, pleura, articulações, etc.).
  4. Icterícia: Pigmentação amarelada da pele e mucosas devido ao aumento da concentração de bilirrubina no sangue. Pode ser acompanhada de sintomas como colúria (ver), prurido, etc. Associa-se a doenças hepáticas e da vesícula biliar, ou à hemólise (ver).
  5. Nefrite: Termo que significa ???inflamação do rim??? e que agrupa doenças caracterizadas por lesões imunológicas ou infecciosas do tecido renal. Alguns exemplos são a nefrite intersticial por drogas, a glomerulonefrite pós-estreptocócica, etc. Podem manifestar-se por hipertensão arterial, hematúria e dor lombar.
  6. Sarcoma: Neoplasia maligna originada de células do tecido conjuntivo. Podem aparecer no tecido adiposo (lipossarcoma), muscular (miossarcoma), ósseo (osteosarcoma), etc.
  7. Tala: Instrumento ortopédico utilizado freqüentemente para imobilizar uma articulação ou osso fraturado. Pode ser de gesso ou material plástico.
  8. Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.

Síguenos

X