Diflucan 150

Para que serve Diflucan 150

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


FOLHETO INFORMATIVO

INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

Diflucan 50 mg cápsula
Diflucan 100 mg cápsula
Diflucan 150 mg cápsula
Diflucan 200 mg cápsula
fluconazol

Leia com atenção todo este folheto antes de começar a tomar este medicamento pois contém
informação importante para si.
- Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente.
- Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro.
- Este medicamento foi receitado apenas para si. Não deve dá-lo a outros. O medicamento
pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sinais de doença.
- Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados
neste folheto, fale com o seu médico, farmacêutico ou enfermeiro. Ver secção 4.

Neste folheto:
1. O que é Diflucan e para que é utilizado
2O que precisa de saber antes de tomar Diflucan
3. Como tomar Diflucan
4. Efeitos secundários possíveis
5. Como conservar Diflucan
6. Conteúdo da embalagem e outras informações


O que é Diflucan e para que é utilizado

O Diflucan pertence a um grupo de medicamentos denominados “antifúngicos”. A substância
ativa é o fluconazol.

O Diflucan é utilizado para tratar infeções causadas por fungos e pode também ser utilizado
para prevenir que adquira uma candidíase. A causa mais frequente das infeções fúngicas é o
fungo denominado Candida.

Adultos
O seu médico pode-lhe ter receitado este medicamento para tratar os seguintes tipos de
infeção fúngica:
-Meningite criptocócica - uma infeção fúngica no cérebro
-Coccidioidomicose - uma doença no sistema broncopulmonar
-Infeções causadas por Candida presentes na circulação sanguínea, nos órgãos (por ex.
coração, pulmões) ou trato urinário
-Candidíase das mucosas – infeção ao redor da boca, garganta e lesão bucal provocada por
prótese dentária
-Candidíase genital - infeção da vagina ou pénis
-Infeções da pele – por ex. pé de atleta, micose, infeção da virilha, infeção na unha

Pode-lhe ser também receitado Diflucan para:
-Prevenir que a meningite criptocócica volte a surgir -Prevenir que a candidíase da boca e garganta volte a surgir
-Reduzir o reaparecimento da candidíase vaginal
-Prevenir infeções causadas por Candida (se o seu sistema imunitário está fraco ou não está a
funcionar corretamente)

Crianças e adolescentes (dos 0 aos 17 anos)
O seu médico pode-lhe ter receitado este medicamento para tratar os seguintes tipos de
infeção fúngica:
-Candidíase das mucosas – infeção ao redor da boca, garganta
-Infeções causadas por Candida presente na circulação sanguínea, nos órgãos (por ex.
coração, pulmões) ou trato urinário
-Meningite criptocócica - uma infeção fúngica no cérebro

Pode-lhe ser também receitado Diflucan para:
-Prevenir infeções causadas por Candida (se o seu sistema imunitário está fraco ou não está a
funcionar corretamente).
-Prevenir que a meningite criptocócica volte a surgir.


O que precisa de saber antes de tomar Diflucan

Não tome Diflucan
-se tem alergia ao fluconazol, a outros medicamentos que tomou para tratar infeções fúngicas
ou a qualquer outro componente deste medicamento (indicados na secção 6).. Os sintomas
podem incluir comichão, vermelhidão da pele ou dificuldade em respirar
se está a tomar astemizol, terfenadina (medicamentos anti-histamínicos para alergias)
se está a tomar cisaprida (utilizada para problemas de estômago)
se está a tomar pimozida (utilizada para tratar doença mental)
se está a tomar quinidina (utilizada para tratar arritmia cardíaca)
se está a tomar eritromicina (um antibiótico para tratar infeções)

Advertências e precauções
Fale com o seu médico ou enfermeiro antes de tomar Diflucan:
- se tem problemas no fígado ou rim
- se sofre de doença cardíaca incluindo problemas no ritmo do coração
-se tem níveis anómalos de potássio, cálcio ou magnésio no seu sangue
-se surgirem reações de pele graves (comichão, vermelhidão da pele ou dificuldade em
respirar).

Outros medicamentos e Diflucan
Informe o seu médico imediatamente se estiver a tomar astemizol, terfenadina (um anti-
histamínico para tratar alergias) ou cisaprida (utilizada para problemas de estômago) ou
pimozida (utilizada para tratar doença mental) ou quinidina (utilizada para tratar arritmias
cardíacas) ou eritromicina (um antibiótico para tratar infeções) visto que estes não podem ser
tomados com Diflucan (ver secção “Não tome Diflucan”)

Existem alguns medicamentos que podem interagir com o Diflucan.
Assegure-se que o seu médico tem conhecimento se está a tomar alguns dos seguintes
medicamentos:
- rifampicina ou rifabutina (antibióticos para infeções) - alfentanilo, fentanilo (utilizados como anestésicos) - amitriptilina, nortriptilina (utilizados como antidepressivos) - anfotericina B, voriconazol (antifúngicos) - medicamentos que tornam o sangue mais fluído para prevenir coágulos sanguíneos (varfarina ou medicamentos similares)
- benzodiazepinas (midazolam, triazolam ou medicamentos similares) utilizados para o ajudar a dormir ou para a ansiedade
- carbamazepina, fenitoína (utilizados no tratamento de convulsões) - nifedipina, isradipina, amlodipina, felodipina e losartan (para a hipertensão – pressão arterial elevada)
- ciclosporina, everolímus, sirolímus ou tacrolímus (para prevenir a rejeição do transplante)
- ciclosfosfamida, alcaloides da vinca (vincristina, vinblastina ou medicamentos similares) utilizados no tratamento do cancro
- halofantrina (utilizada no tratamento da malária) - estatinas (atorvastatina, sinvastatina e fluvastatina ou medicamentos similares) utilizadas para reduzir os níveis de colesterol elevados
- metadona (utilizada na dor) - celecoxib, flurbiprofeno, naproxeno, ibuprofeno, lornoxicam, meloxicam, diclofenac (Medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs))
- contracetivos orais - prednisona (esteroide) - zidovudina, também conhecida como AZT; saquinavir (utilizados em doentes infetados com o VIH)
- medicamentos para a diabetes como a clorpropamida, glibenclamida, glizipida ou tolbutamida
- teofilina (utilizada para controlar a asma) - vitamina A (suplemento nutricional) - ivacaftor (utilizado para tratar a fibrose cística)
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar, ou tiver tomado recentemente, ou se
vier a tomar outros medicamentos.

Diflucan com alimentos e bebidas
Pode tomar o seu medicamento com ou sem alimentos.

Gravidez, amamentação e fertilidade
Se está grávida ou a amamentar, se pensa estar grávida ou planeia engravidar, consulte o seu
médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento.
Pode continuar a a amamentar após tomar uma dose única de Diflcuan até 200 mg.
Não deve amamentar se estiver a tomar uma dose repetida de Diflucan

Condução de veículos e utilização de máquinas

Durante a condução de veículos ou utilização de máquinas, deve ter-se em consideração que
podem ocorrer, ocasionalmente, vertigens ou convulsões.
Diflucan contém lactose (acúcar do leite).
Este medicamento contém uma pequena quantidade de lactose (açúcar do leite). Se foi
informado pelo seu médico que tem intolerância a alguns açúcares, contacte-o antes de tomar
este medicamento.


Como tomar Diflucan

Tome sempre este medicamento exatamente como indicado pelo seu médico. Fale com o seu
médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Engula a cápsula inteira com um copo de água. É melhor tomar as suas cápsulas há mesma
hora em cada dia.

As doses recomendadas deste medicamento para as diferentes infeções estão descritas abaixo:

Adultos
Indicação Dose
Tratamento da meningite criptocócica 400 mg no primeiro dia e depois 200 a 400
mg uma vez por dia durante 6 a 8 semanas ou
por mais tempo se for necessário. Algumas
vezes as doses são aumentadas até 800 mg Prevenir que a meningite criptocócica volte
a surgir 200 mg uma vez por dia até que lhe digam
para parar Tratamento da coccidioidomicose 200 a 400 mg uma vez por dia de 11 meses
até 24 meses ou por mais tempo se for
necessário. Algumas vezes as doses são
aumentadas até 800 mg Infeções fúngicas internas causadas por
Candida 800 mg no primeiro dia e depois 400 mg uma
vez por dia até que lhe digam para parar Tratamento de infeções das mucosas ao
redor da boca, garganta e lesões na boca
provocadas por prótese dentária 200 mg a 400 mg no primeiro dia e depois
100 mg a 200 mg até que lhe digam para
parar Tratamento da candidíase das mucosas – a
dose depende onde a infeção está localizada 50 a 400 mg uma vez por dia durante 7 a 30
dias até que lhe digam para parar Para prevenir que as infeções das mucosas
ao redor da boca e garganta voltem a
aparecer 100 mg a 200 mg uma vez por dia, ou 200
mg 3 vezes numa semana, enquanto correr o
risco de adquirir a infeção Tratamento da candidíase genital 150 mg como dose única Reduzir o reaparecimento da candidíase
vaginal 150 mg cada 3º dia num total de 3 doses (dia
1, 4 e 7) e depois uma vez por semana
durante 6 meses enquanto correr o risco de
adquirir a infeção Infeções fúngicas da pele e unhas Dependendo do local da infeção 50 mg uma
vez ao dia, 150 mg uma vez por semana, 300
a 400 mg uma vez por semana durante 1 a 4
semanas (no pé de atleta pode ir até 6 semanas, no tratamento da infeção da unha
vai até a unha infetada ser substituída) Prevenir infeções causadas por Candida (se
o seu sistema imunitário está fraco ou não
está a funcionar corretamente) 200 a 400 mg uma vez por dia enquanto
estiver em risco de adquirir uma infeção
Adolescentes dos 12 aos 17 anos de idade
Siga a dose prescrita pelo seu médico (quer posologia para adultos ou crianças).

Crianças até aos 11 anos de idade

A dose máxima diária para crianças é 400 mg.

A dose será baseada no peso da criança em quilogramas.
Indicação Dose diária Infeções das mucosas e da garganta
causadas por Candida – a dose e duração
depende da gravidade da infeção e onde a
infeção está localizada 3 mg por kg de peso corporal (pode ser usada
uma dose inicial de 6 mg por kg de peso
corporal no primeiro dia) Meningite criptocócica ou infeções fúngicas
internas causadas por Candida 6 mg a 12 mg por kg de peso corporal Prevenir nas crianças infeções causadas por
Candida (se o seu sistema imunitário está
fraco ou não está a funcionar corretamente) 3 mg a 12 mg por kg de peso corporal
Utilização nas crianças das 0 às 4 semanas de idade

Utilização em crianças das 3 às 4 semanas de idade:
A mesma dose de acordo com a tabela acima mas administrada a cada 2 dias. A dose máxima
é 12 mg por kg de peso corporal cada 48 h.

Utilização em crianças com idade inferior a 2 semanas:
A mesma dose de acordo com a tabela acima mas administrada a cada 3 dias. A dose máxima
é 12 mg por kg de peso corporal cada 72 h.


Idosos

Deve ser dada a dose habitual para adultos exceto se tiver problemas nos rins.

Doentes com problemas nos rins

O seu médico pode alterar a sua dose, dependendo da função dos seus rins.

Se tomar mais Diflucan do que deveria

Tomar muitas cápsulas de uma só vez pode fazê-lo sentir-se mal. Contacte o seu médico ou o
serviço de urgências de imediato. Os sintomas de uma possível sobredosagem incluem ouvir, ver, sentir e pensar em coisas que não são reais (alucinações e comportamento paranoico).
Pode ser adequado tratamento sintomático (com medidas de suporte e lavagem gástrica se
necessário).

Caso se tenha esquecido de tomar Diflucan

Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar. Se se
esquecer de tomar uma dose, tome-a assim que se lembre. Se estiver próximo da hora da
próxima toma, não tome a dose que se esqueceu.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou
farmacêutico.


Efeitos secundários possíveis

Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos secundários, embora
estes não se manifestem em todas as pessoas.

Algumas pessoas desenvolvem reações alérgicas apesar das reações alérgicas graves serem
raras. Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não
indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Se tiver alguns dos seguintes
sintomas, fale com o seu médico imediatamente.
- Pieira, dificuldade em respirar ou aperto no peito súbitos - Inchaço das pálpebras, face ou lábios - Comichão por todo o corpo, vermelhidão da pele ou manchas vermelhas com comichão
- Erupção na pele - Reações graves na pele, tais como erupções que causam bolhas (estas podem afetar a boca e a língua).

Diflucan pode afetar o seu fígado. Os sintomas de problemas no fígado incluem:
- Cansaço
- Perda de apetite - Vómitos
- Amarelecimento da pele ou da parte branca dos olhos (icterícia)
Se algum destes sintomas ocorrer, pare de tomar Diflucan e fale com o seu médico
imediatamente.

Outros efeitos secundários:

Adicionalmente, se algum dos seguintes efeitos secundários se tornar grave ou se notar algum
efeito secundário não listado no folheto informativo, por favor contacte o seu médico ou
farmacêutico.

Efeitos secundários frequentes (podem afetar até 1 em 10 pessoas) são:
-Dor de cabeça
-Desconforto no estômago, diarreia, má disposição, vómitos
-Aumento dos marcadores da função do fígado nas análises ao sangue -Erupção na pele

Efeitos secundários pouco frequentes(podem afetar até 1 em 100 pessoas) são:
-Redução dos glóbulos vermelhos que pode provocar palidez na pele e causar fraqueza e falta
de ar
-Diminuição do apetite
-Incapacidade de dormir, sonolência
-Convulsões, vertigem, sensação de andar à roda, formigueiro, dormência, alterações no
paladar
-Prisão de ventre, dificuldade em fazer a digestão, gases, boca seca
-Dor muscular
-Alterações no fígado e amarelecimento da pele e olhos (icterícia)
-Pápulas, bolhas, comichão e aumento da transpiração
-Cansaço, sensação geral de má disposição, febre

Efeitos secundários raros (podem afetar até 1 em 1.000 pessoas) são:
-Número abaixo do normal dos glóbulos brancos que nos ajudam a defender contra as
infeções e de células sanguíneas que ajudam a parar a hemorragia
-Coloração vermelha ou púrpura da pele que pode ser causada pela baixa contagem de
plaquetas, outra alteração das células sanguíneas
-Alterações nas análises sanguíneas (níveis elevados de colesterol, gorduras)
-Níveis baixos de potássio no sangue
-Tremores
-Eletrocardiograma (ECG) anómalo, alteração do batimento ou ritmo cardíaco
-Falência do fígado
-Reações alérgicas (algumas vezes graves), incluindo erupção vesicular generalizada e
descamação da pele, reações na pele graves, inchaço dos lábios ou face
-Queda de cabelo

Comunicação de efeitos secundários
Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados
neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Também poderá comunicar efeitos
secundários diretamente através de:

INFARMED, I.P.
Direção de Gestão do Risco de Medicamentos
Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53
1749-004 Lisboa
Tel: +351 21 798 71 40
Fax: + 351 21 798 73 97
Sítio da internet: http://extranet.infarmed.pt/page.seram.frontoffice.seramhomepage E-mail: farmacovigilancia@infarmed.pt
Ao comunicar efeitos secundários, estará a ajudar a fornecer mais informações sobre a
segurança deste medicamento.


Como conservar Diflucan

Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças. Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso no embalagem exterior, após
VAL. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.
Conservar a temperatura inferior a 30°C.

Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu
farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a
proteger o ambiente.

Conteúdo da embalagem e outras informações

Qual a composição de Diflucan

- A substância ativa é o fluconazol. Cada cápsula contém 50 mg, 100 mg, 150 mg ou 200 mg de fluconazol.
- Os outros componentes são: Conteúdo da cápsula: lactose mono-hidratada, amido de milho, sílica coloidal anidra,
estearato de magnésio e laurilsulfato de sódio.

Composição da cápsula:
Cápsulas de 50 mg: gelatina, dióxido de titânio (E171) e azul patenteado V (E131)
Cápsulas de 100 mg: gelatina, dióxido de titânio (E171), eritrosina (E127) e azul patenteado
V (E131)
Cápsulas de 150 mg: gelatina, dióxido de titânio (E171) e azul patenteado V (E131)
Cápsulas de 200 mg: gelatina, dióxido de titânio (E171), eritrosina (E127) e indigotina (E132)

Tinta de impressão: Shellac (verniz), óxido de ferro negro (E172), álcool butílico, álcool
desidratado, água purificada, propilenoglicol ,álcool desnaturado, álcool isopropílico, amónia
concentrada, hidróxido de potássio.

Qual o aspeto de Diflucan e conteúdo da embalagem

As cápsulas de Diflucan 50 mg têm corpo branco e cabeça azul turquesa. Têm impresso
“FLU-50” e “Pfizer” com tinta preta.
As cápsulas de Diflucan 100 mg têm corpo branco e cabeça azul. Têm impresso “FLU-100” e
“Pfizer” com tinta preta.
As cápsulas de Diflucan 150 mg têm corpo azul turquesa e cabeça azul turquesa. Têm
impresso “FLU-150” e “Pfizer” com tinta preta.
As cápsulas de Diflucan 200 mg têm corpo branco e cabeça púrpura. Têm impresso “FLU-
200” e “Pfizer” com tinta preta.

Diflucan 50 mg, 100 mg, 150 mg e 200 mg é fornecido em embalagens de 1, 2, 3, 4, 6, 7, 10,
12, 14, 20, 28, 30, 42, 50, 60, 100 ou 500 cápsulas.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Titular da Autorização de Introdução no Mercado

Laboratórios Pfizer, Lda. Lagoas Park
Edifício 10
2740-271 Porto Salvo

Fabricantes

Fareva Amboise
Zone Industrielle
29 route des Industries
37530 Pocé-sur-Cisse
França

Haupt Pharma Latina S.R.L.
Strada Statale 156, Km 47,600
I-04100 Borgo San Michele – Latina
Itália

Famar, S.A.

, Anthoussa Avenue

GR-15344
Anthoussa – Attiki
Grécia

Este medicamento encontra-se autorizado nos Estados Membros do Espaço Económico
Europeu (EEE) sob as seguintes denominações:
Áustria Diflucan 50 mg Kapseln
Diflucan 100 mg Kapseln
Diflucan 150 mg Kapseln
Diflucan 200 mg Kapseln
Bélgica, Bulgária
Dinamarca
Finlândia, Islândia,
Irlanda, Itália,
Luxemburgo,
Noruega, Portugal,
Polónia, Suécia,
Reino Unido Diflucan Chipre, Grécia Fungustatin República Checa Diflucan 50 mg, Diflucan 100 mg, Diflucan 150 mg Estónia Diflucan 150 mg Triflucan 50 mg gélule França
Triflucan 100 mg gélule
Triflucan 200 mg gélule
Fluconazole Pfizer 150 gélule Alemanha: Diflucan 50 mg Diflucan 100 mg
Fungata
Diflucan 200 mg Holanda Diflucan 50 mg, capsule, hard
Diflucan 100 mg, capsule, hard
Diflucan 150 mg, capsule, hard
Diflucan 200 mg, capsule, hard Hungria: Diflucan 50 mg hard capsules
Diflucan 100 mg hard capsules
Diflucan 150 mg hard capsules
Diflucan 200 mg hard capsules Letónia: Diflucan 50 mg hard capsules
Diflucan 150 mg hard capsules Lituânia: Diflucan 50 mg hard capsules
Diflucan 100 mg hard capsules
Diflucan 150 mg hard capsules Roménia: Diflucan 50 mg capsule
Diflucan 150 mg capsule Espanha Diflucan 50 mg capsulas duras
Diflucan 100 mg capsulas duras
Diflucan 150 mg capsulas duras
Diflucan 200 mg capsulas duras Eslováquia: Diflucan 50 mg Diflucan 100 mg
Diflucan 150 mg Eslovénia: Diflucan 50 mg, trde kapsule
Diflucan 100 mg, trde kapsule
Diflucan 150 mg, trde kapsule
Este folheto foi revisto pela última vez em


Está disponível informação pormenorizada sobre este medicamento no sítio da internet do
INFARMED.




DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Candidíase: ?? o nome da infecção produzida pela Candida albicans, um fungo que produz doença em mucosas, na pele ou em órgãos profundos (candidíase sistêmica).As infecções profundas podem ser mais freqüentes em pessoas com deficiência no sistema imunológico (pacientes com câncer, SIDA, etc.).
  2. Eletrocardiograma: Registro da atividade elétrica produzida pelo coração através da captação e amplificação dos pequenos potenciais gerados por este durante o ciclo cardíaco.
  3. Febre: Elevação da temperatura corporal acima de um valor normal, estabelecido entre 36,7ºC e 37ºC, quando medida na boca.
  4. Icterícia: Pigmentação amarelada da pele e mucosas devido ao aumento da concentração de bilirrubina no sangue. Pode ser acompanhada de sintomas como colúria (ver), prurido, etc. Associa-se a doenças hepáticas e da vesícula biliar, ou à hemólise (ver).
  5. Hemorragia: Perda de sangue para um órgão interno (tubo digestivo, cavidade abdominal) ou para o exterior (ferimento arterial). De acordo com o volume e velocidade com a qual se produz o sangramento uma hemorragia pode produzir diferentes manifestações nas pessoas, desde taquicardia, sudorese, palidez cutânea, até o choque.
  6. Pápula: Uma pequena lesão endurecida, elevada, da pele.

Síguenos

X