HEMOVIRTUS

Para que serve HEMOVIRTUS

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


HEMOVIRTUS - Pomada - Bula para o paciente

1

I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO


HEMOVIRTUS
Hamamelis virginiana

L. + Davilla rugosa P. + Atropa belladonna L. + mentol + cloridrato de lidocaína


APRESENTAÇÃO
Pomada
Embalagem contendo bisnaga com 50g.

VIA DE ADMINISTRAÇÃO

USO TÓPICO

USO ADULTO

COMPOSIÇÃO
Cada grama da pomada contém:
extrato mole de Hamamelis virginiana L. ............................................................................... 6,66mg
extrato mole de Davilla rugosa P. .......................................................................................... 6,66mg
extrato mole de Atropa belladonna L. .................................................................................. 40,00mg
mentol ..................................................................................................................................... 4,00mg
cloridrato de lidocaína (equivalente a 15mg de lidocaína base) ............................................. 17,33mg
excipiente q.s.p. .............................................................................................................................. 1g
(metilparabeno, lanolina, petrolato branco, álcool etílico, propilenoglicol e água).

HEMOVIRTUS - Pomada - Bula para o paciente

2

II - INFORMAÇÕES AO PACIENTE



1.

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

HEMOVIRTUS é indicado como auxiliar no tratamento tópico para o alívio sintomático das
hemorroidas e varizes.

2.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Composto de substâncias analgésicas (para a dor) e vasoconstritoras locais (que comprimem os
vasos), o produto contribui como auxiliar terapêutico, produzindo alívio nas sensações desagradáveis
causadas pelas hemorroidas e varizes como peso no ânus, calor, perda de líquido mucoso e
sanguíneo, que às vezes podem causar anemias, prolapso (fechamento do ânus), irredutibilidade,
estrangulamento das varizes e prisão de ventre. Os sinais de melhora nos sintomas podem ocorrer em
um prazo variável de dias, após o início do tratamento.

3.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este medicamento é contraindicado para pacientes que apresentarem antecedentes de
hipersensibilidade a qualquer um dos componentes da fórmula.
Este medicamento é contraindicado para pessoas portadoras de glaucoma (aumento da pressão
ocular), íleo paralítico (perda dos movimentos do intestino), estenose pilórica (complicações
intestinais), hipertrofia prostática (aumento da próstata), coronariopatias (problemas cardíacos),
cardiopatia chagásica (Doença de Chagas) e pacientes sensíveis a qualquer alcaloide ou barbitúrico.

4.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este medicamento é de uso tópico externo, portanto não deve ser ingerido. Por conter lidocaína,
deve ser usado com precaução em pacientes com doença hepática severa. Recomenda-se evitar a
ingestão de bebidas alcoólicas durante o tratamento. Durante esse tempo, recomenda-se ao paciente
abster-se de carne e comidas apimentadas. O paciente deve evitar a permanência de muitas horas
sentado. São aconselhados exercícios ao ar livre.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do
cirurgião-dentista.

Interações Medicamentosas


Interações medicamento-medicamento:
O uso de medicamentos tais como a pilocarpina, muscarina e arecolina inibem a ação da Atropa
belladonna L. Atropa belladonna L. não deve ser usada juntamente com outros medicamentos
neurolépticos (clorpromazina, sulpirida, haloperidol, flufenazina, fenotiazina) e que contenham alcaloides
(vimblastina, vincristina, vinorelbina).
Pode ocorrer aumento da ação anticolinérgica (pupilas dilatadas, boca seca, taquicardia, paralisação do
intestino e retenção da urina, etc.) se o uso deste medicamento for associado a antidepressivos tricíclicos
(amitriptilina, clomipramina, desipramina, imipramina, nortriptilina), anti-histamínicos (loratadina,
maleato de dexclorfeniramina, betametasona), procainamida e quinidina.
Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro
medicamento.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?
Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Proteger da luz e umidade.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.
HEMOVIRTUS

apresenta-se como massa untuosa e homogênea, isenta de grumos ou partículas

estranhas, de cor bege a castanho esverdeado e odor levemente mentolado.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você
observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.


HEMOVIRTUS - Pomada - Bula para o paciente

3

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?


USO TÓPICO
Nas hemorroidas
: recomenda-se realizar as aplicações após evacuação intestinal e a higiene local.
Lavar as mãos antes de manipular o produto. Retirar a tampa da bisnaga, remover o lacre e rosquear
o bico aplicador. Em seguida introduzir o bico aplicador, delicadamente, na região anal. Pressionar
levemente a bisnaga para que HEMOVIRTUS possa fluir uniformemente para as áreas afetadas
através das aberturas laterais. A seguir, retirar lentamente o aplicador do ânus, desatarraxar o
aplicador e tampar a bisnaga. Lavar as mãos após a aplicação. O aplicador deve ser lavado
cuidadosamente com água morna e sabão. O tratamento deve prolongar-se por 2 ou 3 meses.

Nas varizes: Usar a pomada fazendo ligeiras massagens (suaves e prolongadas no local,
normalmente nas pernas). A duração do tratamento, para um efeito seguro, deve ser feita em um
período de 2 a 3 meses.
Períodos maiores de uso consecutivo deste medicamento somente através de orientação médica.

Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre este medicamento, procure
orientação do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas, procure orientação de seu médico
ou cirurgião-dentista.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?


Caso se esqueça de usar o HEMOVIRTUS pomada, aplique-a normalmente na hemorroida ou nas
varizes e não dobre a quantidade.
Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-
dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?


HEMOVIRTUS pomada pode provocar alguns efeitos indesejáveis, particularmente em pacientes
idosos e crianças, em decorrência dos ativos que fazem parte da sua composição.
Reações cuja incidência não está determinada:
Hammamelis virginiana: reações alérgicas sérias são raras. No entanto, procure imediatamente
atendimento médico se notar quaisquer sintomas de uma reação alérgica grave, incluindo: erupção
cutânea, comichão / inchaço (especialmente da face, língua ou garganta), tonturas, falta de ar.
Davilla rugosa: não foram relatados efeitos indesejáveis específicos.
Atropa belladonna L.: pode provocar boca seca, agitação, vertigens, tonturas, confusão, amnésia,
delírio, alucinações, sonolência, olhos secos, visão embaçada, boca seca, hipertermia, dilatação das
pupilas, erupção cutânea, dermatite, taquicardia, retenção urinária.
A lidocaína, o mentol e a Hamamelis virginiana L. podem causar irritação local. Não foram
observados relatos de toxicidade e de superdosagem com o uso deste medicamento.

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações
indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de
atendimento.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA


DESTE MEDICAMENTO?
Na superdose acidental (via oral) pode ocorrer inicialmente, secura da boca e garganta, sede intensa,
dilatação da pupila, pulso rápido, pele seca, rubor na face e aumento da temperatura em crianças. Em
intoxicações mais intensas, podem ocorrer inquietações, confusões mentais, etc.
Tratamento: É razoável nos casos de superdose acidental por via oral assumir procedimentos de
lavagem gástrica e antídotos químicos, tais como pilocarpina e a neostigmina prescritos por um
médico. Deverá ser aplicado também um tratamento para reposição de fluídos e eletrólitos perdidos,
correção da acidose e administração de glicose.
Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e
leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para

00 722 6001

, se você precisar
de mais orientações.

HEMOVIRTUS - Pomada - Bula para o paciente

4


III – DIZERES LEGAIS


Registro M.S. nº 1.7817.0005
Farm. Responsável: Fernando Costa Oliveira - CRF-GO nº 5.220
Nº do Lote, Data de Fabricação e Prazo de Validade: VIDE EMBALAGEM

Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas procure orientação médica.







Registrado por: Cosmed Indústria de Cosméticos e Medicamentos S.A.
Avenida Ceci, nº 282, Módulo I - Tamboré - Barueri - SP - CEP 06460-120

C.N.P.J.

61.082.426/0002-07 - Indústria Brasileira

Fabricado por: Cosmed Indústria de Cosméticos e Medicamentos S.A.
VPR 1 - Quadra 2-A - Módulo 5 - DAIA - Anápolis - GO - CEP 75132-020

HEMOVIRTUS - Pomada - Bula para o paciente

5

ANEXO B

Histórico de Alteração da Bula

Dados da submissão eletrônica

Dados da petição/notificação que altera bula

Dados das alterações de bulas

Data do

expediente

No.

expediente

Assunto

Data do

expediente

N° do

expediente

Assunto

Data de

aprovação

Itens de bula

Versões

(VP/VPS)

Apresentações

relacionadas

25/06/2014

0501470/14-1

10458 -

MEDICAMENTO

NOVO - Inclusão Inicial

de Texto de Bula – RDC

60/12

25/06/2014

0501470/14-1

10458 -

MEDICAMENTO

NOVO - Inclusão Inicial

de Texto de Bula – RDC

60/12

25/06/2014

Versão Inicial

VP/VPS

Pomada

13/04/2015

0320511/15-8

10454 - ESPECÍFICO -

Notificação de Alteração

de Texto de Bula – RDC

60/12

09/02/2015

0120822/15-5

10248 - ESPECÍFICO -

Inclusão de Local de

Fabricação do

Medicamento de

Liberação

Convencional com

Prazo de Análise

13/04/2015

Dizeres Legais

VP/VPS

Pomada

25/05/2015

0456232/15-1

10454 - ESPECÍFICO -

Notificação de Alteração

de Texto de Bula – RDC

60/12

01/04/2015

0284211/15-4

10248 - ESPECÍFICO -

Inclusão de Local de

Fabricação do

Medicamento de

Liberação

Convencional com

Prazo de Análise

18/05/2015

Dizeres Legais

VP/VPS

Pomada

01/07/2015

10454 - ESPECÍFICO -

Notificação de Alteração

de Texto de Bula – RDC

60/12

05/01/2015

0004319/15-2

57 ESPECÍFICO

Alteração nos cuidados

de conservação

29/06/2015

5.

ONDE, COMO E POR QUANTO

TEMPO POSSO GUARDAR ESTE

MEDICAMENTO?

CUIDADOS DE ARMAZENAMENTO

DO MEDICAMENTO

VP/VPS

Pomada



DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Acidose: Desequilíbrio do meio interno caracterizado por uma maior concentração de íons hidrogênio no organismo. Pode ser produzida pelo ganho de substâncias ácidas ou perda de substâncias alcalinas (básicas).
  2. Delírio: Alteração aguda da consciência ou da lucidez mental, provocado por uma causa orgânica.
  3. Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
  4. Glaucoma: Aumento da pressão intra-ocular que se manifesta por dor de cabeça, olho vermelho e, se não tratado, pode produzir perda de visão a longo prazo.
  5. Taquicardia: Aumento da freqüência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações (ver).
  6. Tópico: Referente a uma área delimitada. De ação limitada à mesma. Diz-se dos medicamentos de uso local, como pomadas, loções, pós, soluções, etc.
  7. Varizes: Dilatação anormal de uma veia. Podem ser dolorosas ou causar problemas estéticos quando são superficiais como nas pernas. Podem também ser sede de trombose, devido à estase sangüínea.

Síguenos

X