Ibuprofeno Ratiopharm

Para que serve Ibuprofeno Ratiopharm

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


FOLHETO INFORMATIVO

INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

Ibuprofeno ratiopharm 200 mg comprimidos revestidos por película
Ibuprofeno

Este folheto contém informações importantes para si. Leia-o atentamente.
Este medicamento pode ser adquirido sem receita médica. No entanto, é necessário
tomar Ibuprofeno ratiopharm com precaução para obter os devidos resultados.
Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler.
Caso precise de esclarecimentos ou conselhos, consulte o seu farmacêutico.
Em caso de agravamento ou persistência dos sintomas, consulte o seu médico.
Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários
não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Neste folheto:
1. O que é Ibuprofeno ratiopharm e para que é utilizado
2. Antes de tomar Ibuprofeno ratiopharm
3. Como tomar Ibuprofeno ratiopharm
4. Efeitos secundários possíveis
5. Como conservar Ibuprofeno ratiopharm
6. Outras informações


O que é Ibuprofeno ratiopharm e para que é utilizado

O Ibuprofeno ratiopharm está indicado nas dores ligeiras a moderadas tais como
cefaleias, dores de dentes, dores musculares, contusões e dores pós-traumáticas. Está
ainda indicado nas dores menstruais (dismenorreia primária) e no tratamento da febre de
duração inferior a 3 dias.


Antes de tomar Ibuprofeno ratiopharm

Não tome Ibuprofeno ratiopharm:

-Se tem alergia (hipersensibilidade) ao ibuprofeno ou a qualquer outro componente de
Ibuprofeno ratiopharm
-Se tem antecedentes de asma, rinite, urticária, edema angioneurótico ou broncospasmo
associados ao uso de ácido acetilsalicílico ou outros medicamentos contendo anti-
inflamatórios não esteróides.
-Se tem ou teve alguma hemorragia gastrointestinal ou perfuração, relacionada com
tratamento anterior com AINE.
-Se tem ou teve alguma vez úlcera péptica/hemorragia activa ou história de úlcera
péptica/hemorragia recorrente (dois ou mais episódios distintos de ulceração ou
hemorragia comprovada).
-Se sofre de alterações da coagulação
-Se sofre de insuficiência renal grave
-Se sofre de insuficiência cardíaca grave
-Durante os últimos 3 meses da gravidez. Os comprimidos revestidos por película de ibuprofeno não devem ser administrados a
crianças com idade inferior a 6 anos, para evitar o risco de asfixia por inalação dos
comprimidos.

Tome especial cuidado com Ibuprofeno ratiopharm:

-Se tem problemas de coagulação do sangue ou toma medicamentos anticoagulantes
deve tomar ibuprofeno com precaução pois este inibe a agregação plaquetária.

-Se sofre de insuficiência renal ligeira a moderada, de insuficiência cardíaca com
predisposição para retenção hidrossalina, se toma diuréticos ou inibidores da ECA, ou
se é idoso, dado que o uso de AINE pode deteriorar a função renal. Antes do início e
durante o tratamento com ibuprofeno deverá ser feita uma avaliação regular da função
renal. Em caso de deterioração o tratamento deverá ser interrompido.

- No início de tratamento com ibuprofeno, tal como com outros AINE, este deve ser
administrado com precaução em doentes com considerável desidratação.

-Se sofre de lúpus eritematoso sistémico ou outras doenças auto-imunes, por risco de
meningite asséptica e/ou insuficiência renal.

-Se sofre de sintomas que sugiram lesão do fígado (anorexia, náuseas, vómitos,
icterícia) e/ou apresenta alterações da função hepática (transaminases, bilirrubina,
fosfatase alcalina e g-GT). Caso os sintomas/sinais se agravem o tratamento deverá ser
interrompido.

-Se tem história de doença inflamatória do intestino (colite ulcerosa, doença de Crohn),
na medida em que estas situações podem ser agravadas.

-Se sentir alterações da visão durante o tratamento com ibuprofeno, deverá interromper
o tratamento e fazer um exame oftalmológico.

-Se estiver a tomar medicamentos contendo corticosteróides ou outros AINE, pode
aumentar o risco de ulceração e hemorragia gastrointestinal.

-Se estiver a tomar medicamentos contendo outros AINE, incluindo inibidores
selectivos da cicloxigenase-2.

-Se a dismenorreia (dores menstruais) for acompanhada de qualquer outra alteração não
habitual, deverá contactar de imediato o seu médico.

- O ibuprofeno pode mascarar sinais de infecção.

- Este medicamento não deve ser administrado para o tratamento de febre alta (superior
a 39.5°C), febre de duração superior a 3 dias ou febre recorrente, excepto se prescrito
pelo médico, pois estas situações podem ser indicativas de doença grave, requerendo
avaliação e tratamento médico.

Os efeitos indesejáveis poderão ser reduzidos utilizando a dose mínima eficaz durante o
mais curto tempo possível.

Os doentes idosos são particularmente susceptíveis a reacções adversas especialmente
de hemorragias gastrointestinais e de perfurações. Sempre que for necessário um
tratamento prolongado com ibuprofeno, estes doentes deverão ser monitorizados
regularmente, no que respeita, nomeadamente, às funções hepáticas e renal.

Têm sido notificados casos de retenção de líquidos e edema associados ao tratamento
com AINE, pelo que os doentes com história de hipertensão arterial e/ou insuficiência
cardíaca congestiva ligeira a moderada deverão ser adequadamente monitorizados e
aconselhados.

Os medicamentos tais como Ibuprofeno ratiopharm podem estar associados a um
pequeno aumento de risco de ataque cardíaco (enfarte do miocárdio) ou Acidente
Vascular Cerebral (AVC). O risco é maior com doses mais elevadas e em tratamentos
prolongados. Não deve ser excedida a dose recomendada nem o tempo de duração do
tratamento.
Se tem problemas cardíacos, sofreu um AVC ou pensa que pode estar em risco de vir a
sofrer destas situações (por exemplo se tem pressão sanguínea elevada, diabetes,
elevados níveis de colesterol ou se é fumador) deverá aconselhar-se sobre o tratamento
com o seu médico ou farmacêutico.

Ao tomar Ibuprofeno ratiopharm com outros medicamentos

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente
outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

O ibuprofeno pode de alguma forma interferir com medicamentos anticoagulantes,
antiagregantes plaquetários, antidiabéticos orais, medicamentos para a hipertensão
(bloqueadores beta, inibidores da ECA) e diuréticos e antidepressivos inibidores
selectivos da recaptação da serotonina.

Informe o seu médico se estiver a tomar medicamentos anti-hipertensores,
nomeadamente os medicamentos pertencentes ao grupo dos Inibidores da Enzima de
Conversão da Angiotensina (IECA) e Antagonistas da Angiotensina II (AAII), pois a
associação com o ibuprofeno pode afectar a função renal.

O ibuprofeno pode levar à acumulação de lítio no seu organismo provocando sintomas
de intoxicação com lítio. Deve informar o seu médico se estiver a fazer um tratamento
com lítio.

A administração de AINE e ciclosporina apresenta um risco aumentado de
nefrotoxicidade.

A administração concomitante de ibuprofeno com outros AINE, incluindo Inibidores
selectivos da clcloxigenase-2, deve ser evitada, devido ao potencial efeito aditivo.

Os AINE podem diminuir a eliminação dos aminoglicosídeos. A Ginkgo Biloba pode potenciar o risco de hemorragia.

O ibuprofeno pode também interferir com o metotrexato, o probenecide, a
sulfimpirazona, a digoxina, o ácido acetilsalicílico e com corticosteróides.

Consequentemente deverá obter sempre aconselhamento médico antes de tomar
ibuprofeno em simultâneo com outros medicamentos.

Ao tomar Ibuprofeno ratiopharm com alimentos e bebidas

Deve evitar beber bebidas alcoólicas quando tomar ibuprofeno.

Se tiver efeitos secundários ao nível gastrointestinal deve tomar Ibuprofeno ratiopharm
com leite ou alimentos.

Gravidez e aleitamento
Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

Gravidez
Durante o tratamento com ibuprofeno poderá ter dificuldade em engravidar. Se está a
planear engravidar consulte o seu médico.
Não se recomenda que tome ibuprofeno sem indicação do seu médico, em especial
durante o último trimestre da gravidez.

Aleitamento
Não se recomenda que tome ibuprofeno enquanto estiver a amamentar.

Condução de veículos e utilização de máquinas

Em toma única ou tratamentos de curta duração o ibuprofeno não interfere, em geral,
com a condução de veículos nem com o uso de máquinas.

Contudo, a ocorrência de determinados efeitos secundários pode condicionar a
condução de veículos ou a utilização de máquinas.


Como tomar Ibuprofeno ratiopharm

A dose habitual no adulto e crianças acima de 12 anos de idade deve ser de 200 mg de 8
em 8 horas (ou 3xs ao dia) podendo em caso de necessidade ser de 2 comprimidos em
cada toma.
Não devem ser ultrapassados os 6 comprimidos por dia repartidos em 3 a 4 tomas.
Este medicamento não deve ser utilizado para auto-medicação da dor durante mais de 7
dias nos adultos ou mais de 5 dias em crianças.
A administração em crianças com idade inferior a 12 anos deve ser feita mediante
prescrição médica e devem procurar-se outras formulações mais adequadas para
administração em crianças.
Os efeitos indesejáveis podem ser minimizados utilizando a menor dose eficaz durante o
menor período de tempo necessário para controlar os sintomas. Se tomar mais Ibuprofeno ratiopharm do que deveria
Se tiver tomado mais Ibuprofeno ratiopharm do que deveria, entre imediatamente em
contacto com o seu médico ou farmacêutico. Podem ocorrer os seguintes efeitos
secundários: náuseas, dores de estômago, vómitos, dores de cabeça, zumbidos nos
ouvidos, tonturas e alterações da visão.
Raramente podem ocorrer diminuição da tensão arterial, insuficiência renal, perda de
consciência e acidose metabólica.

Caso se tenha esquecido de tomar Ibuprofeno ratiopharm
Se se tiver esquecido de tomar Ibuprofeno ratiopharm pode tomar a dose habitual assim
que quiser.
Não tome uma dose a dobrar para compensar a dose que se esqueceu de tomar.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico
ou farmacêutico.


Efeitos secundários possíveis

Como todos os medicamentos, Ibuprofeno ratiopharm pode causar efeitos secundários,
no entanto estes não se manifestam em toda as pessoas.

Os efeitos secundários mais frequentes ocorrem a nível do tracto gastrointestinal e do
sistema nervoso central (tonturas).

Poderão ocorrer os seguintes sintomas: náuseas, dor de estômago, azia, diarreia,
desconforto abdominal, vómitos, obstipação, sensação de plenitude gástrica e
flatulência; elevações ligeiras e transitórias das enzimas do fígado (ALT, AST, fosfatase
alcalina e g-GT); vertigem, dores de cabeça, fadiga, debilidade geral e nervosismo;
depressão, insónia, confusão, instabilidade emocional, sonolência, meningite asséptica
com febre e coma.

Eritema cutâneo de tipo maculopapular e prurido, erupções vesiculo-bolhosas, urticária,
eritema multiforme, síndroma de Stevens-Johnson, alopécia e acne; acúfenos,
diminuição da acuidade auditiva. O ibuprofeno pode provocar transtornos visuais
escassos e passageiros, tais como ambliopia (visão turva ou diminuída, escotomas,
síndroma da mancha cega e/ou alterações da visão cromática).

Alteração do número de células sanguíneas, asma, broncospasmo ou dispneia;
insuficiência renal (aguda ou crónica), alterações da função renal, diminuição da
depuração da creatinina, azotémia, poliúria, disúria e hematúria.

Mais raramente podem ocorrer: úlcera do estômago e duodeno, perfuração, hemorragia
gastrointestinal, sangue nas fezes e gastrite, formigueiro, alucinações e pseudotumor
cerebri; necrólise epidérmica tóxica (síndroma de Lyell) e reacções de
fotossensibilidade.

Surgiram casos raros de hepatite aguda citolítica ou colestática grave e de conjuntivite,
diplopia, neurite óptica a cataratas (se um doente apresentar tais queixas durante o tratamento com ibuprofeno, o tratamento deve ser interrompido, submetendo-se o
doente a um exame oftalmológico).

Raramente poderá ainda ocorrer insuficiência cardíaca congestiva (em doentes com
função cardíaca marginal), hipertensão arterial, edema e palpitações, arritmia
(taquicardia ou bradicardia sinusal),

Os medicamentos tais como ibuprofeno ratiopharm podem estar associados a um
pequeno aumento do risco de ataque cardíaco (enfarte miocárdio) ou AVC.

Edema, hipertensão arterial, e insuficiência cardíaca, têm sido notificados em
associação ao tratamento com AINE.

Casos raros: epistaxis, menorragia, aumento do tempo de hemorragia e redução da
agregação plaquetária, ginecomastia, hipoglicémia e acidose, toxicidade renal, nefrite
intersticial aguda com hematúria, proteinúria e ocasionalmente, síndrome nefrótico.

Poderão surgir reacções de hipersensibilidade, nomeadamente reacções alérgicas, asma,
agravamento da asma, broncospasmo ou dispneia, reacções anafiláticas, rash, prurido,
urticária, púrpura, angioedema e, mais raramente, dermatose bolhosa (incluindo
necrólise epidérmica e eritema multiforme).

Estas reacções são rapidamente reversíveis com a suspensão da terapêutica.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários
não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.


Como conservar Ibuprofeno ratiopharm

Manter fora do alcance e a da vista das crianças.

O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

Não utilize Ibuprofeno ratiopharm após expirar o prazo de validade impresso na
embalagem, após VAL. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês
indicado.

Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico.
Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita.
Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.


Outras informações

Qual a composição de Ibuprofeno ratiopharm

-A substância activa é ibuprofeno. Cada comprimido revestido por película contém 200
mg de ibuprofeno. -Os outros componentes são: amido de milho modificado, croscarmelose sódica, ácido
esteárico, sílica coloidal anidra, hipromelose, macrogol 8000 e dióxido de titânio
(E171).

Qual o aspecto de Ibuprofeno ratiopharm e conteúdo da embalagem

Ibuprofeno ratiopharm apresenta-se como comprimidos brancos, redondos, biconvexos,
acondicionados em blister de PVC branco/Alumínio.
Embalagens de 10, 20, 30 e 60 comprimidos revestidos por película.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Titular da Autorização de Introdução no Mercado

ratiopharm - Comércio e Indústria de Produtos Farmacêuticos, Lda
Rua Quinta do Pinheiro
EDIFÍCIO TEJO - 6º piso
2790-143 Carnaxide

Fabricante

Merckle GmbH
Ludwig-Merckle Strasse, 3
D-89143 Blaubeuren
Alemanha

Este folheto foi aprovado pela última vez em




DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Acidose: Desequilíbrio do meio interno caracterizado por uma maior concentração de íons hidrogênio no organismo. Pode ser produzida pelo ganho de substâncias ácidas ou perda de substâncias alcalinas (básicas).
  2. Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (p. ex. cálculos biliares, hepatite).
  3. Dermatose: Doença que afeta a pele e seus anexos (pêlos, cabelos e unhas).
  4. Edema: Acúmulo anormal de líquido nos espaços intercelulares dos tecidos ou em diferentes cavidades corporais (peritôneo, pleura, articulações, etc.).
  5. Febre: Elevação da temperatura corporal acima de um valor normal, estabelecido entre 36,7ºC e 37ºC, quando medida na boca.
  6. Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago (ver). Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
  7. Icterícia: Pigmentação amarelada da pele e mucosas devido ao aumento da concentração de bilirrubina no sangue. Pode ser acompanhada de sintomas como colúria (ver), prurido, etc. Associa-se a doenças hepáticas e da vesícula biliar, ou à hemólise (ver).
  8. Hematúria: Eliminação de sangue juntamente com a urina. Sempre é anormal e relaciona-se com infecção do trato urinário, litíase renal, tumores ou doença inflamatória dos rins.
  9. Hemorragia: Perda de sangue para um órgão interno (tubo digestivo, cavidade abdominal) ou para o exterior (ferimento arterial). De acordo com o volume e velocidade com a qual se produz o sangramento uma hemorragia pode produzir diferentes manifestações nas pessoas, desde taquicardia, sudorese, palidez cutânea, até o choque.
  10. Ginecomastia: Aumento anormal de uma ou ambas as glândulas mamárias no homem. Associa-se a diferentes enfermidades como cirrose, tumores testiculares, etc. Em certas ocasiões ocorrem de forma idiopática (ver).
  11. Neurite: Inflamação de um nervo. Pode manifestar-se por neuralgia (ver), déficit sensitivo, formigamentos e/ou diminuição da força muscular, dependendo das características do nervo afetado (sensitivo ou motor). Esta inflamação pode ter causas infecciosas, traumáticas ou metabólicas.
  12. Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
  13. Nefrite: Termo que significa ???inflamação do rim??? e que agrupa doenças caracterizadas por lesões imunológicas ou infecciosas do tecido renal. Alguns exemplos são a nefrite intersticial por drogas, a glomerulonefrite pós-estreptocócica, etc. Podem manifestar-se por hipertensão arterial, hematúria e dor lombar.
  14. Pápula: Uma pequena lesão endurecida, elevada, da pele.
  15. Taquicardia: Aumento da freqüência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações (ver).
  16. Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
  17. Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
  18. Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.

Síguenos

X