JEVTANA

Para que serve JEVTANA

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.



- 1 de 9 -

Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento.

JEVTANA

cabazitaxel

APRESENTAÇÃO
Concentrado para infusão 60 mg/1,5 mL (solução para administração parenteral após diluição): embalagem com 1 frasco-
ampola com 1,5 mL de solução injetável + 1 frasco-ampola com 4,5 mL de diluente. Dose única.

USO INTRAVENOSO (IV). USO ADULTO.


COMPOSIÇÃO
Frasco-ampola concentrado
:
Cada frasco-ampola do concentrado para solução para infusão contém 60 mg de cabazitaxel (livre de solvente e
anidro) em um volume nominal de 1,5 mL (volume de envase: 1,83 mL por 73,2 mg de cabazitaxel).
Este volume de envase foi estabelecido durante o desenvolvimento de JEVTANA para compensar as perdas de líquido
durante a preparação da pré-mistura. Este excesso garante que, após a diluição com o conteúdo

TOTAL

do diluente (5,67
mL) que acompanha JEVTANA, resulte em um volume mínimo extraível da pré-mistura de 6 mL contendo 10 mg/mL de
JEVTANA, correspondendo a quantidade rotulada de 60 mg de cabazitaxel por frasco-ampola.
Excipientes: polissorbato 80.
Cada mL do produto concentrado para infusão contém 40 mg de cabazitaxel.

Frasco-ampola diluente:
Cada frasco-ampola do diluente contém um volume nominal de 4,5 mL (volume de envase: 5,67 mL) de solução de
etanol 96% e água para injetáveis.
Este volume de envase foi estabelecido durante o desenvolvimento, e o excesso garante que após a adição de

TODO

o
conteúdo do fraco-ampola do diluente (5,67 mL) ao frasco-ampola do concentrado de 60 mg/1,5 mL de JEVTANA, resulte
em uma solução de pré-mistura de 10 mg/mL de JEVANA.

PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?


Este medicamento, em associação com prednisona ou prednisolona, é indicado para o tratamento de pacientes com câncer
de próstata com metástase hormônio-refratário (que não responde ao tratamento hormonal), previamente tratados com um
regime contendo docetaxel.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Cabazitaxel é um agente antineoplásico (que evita ou inibe o crescimento e a disseminação de tumores), que atua nos
processos celulares impedindo que as células consigam terminar o processo de divisão e multiplicação celular, reduzindo
assim a proliferação das células tumorais.
Considerando que a administração do medicamento JEVTANA é realizada exclusivamente por via intravenosa, o início da
ação farmacológica do seu princípio ativo, cabazitaxel, é imediato.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

JEVTANA não deve ser utilizado nos seguintes casos:

?

Pacientes com histórico de reações alérgicas severas ao cabazitaxel ou outras drogas formuladas com polissorbato 80;

?

Pacientes cuja contagem do número de neutrófilos (quantidade de tipo de célula branca do sangue) seja <1.500/mm

3

;

?

Pacientes com redução da função do fígado (bilirrubina ? 1 x LSN (limite superior da normalidade), ou enzima
AST/TGO e/ou enzima ALT/TGP ? 1,5 x LSN).


Este medicamento é contraindicado para uso por pacientes com redução da função do fígado.


4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?
ADVERTÊNCIAS E PRECAUÇÕES
Supressão da medula óssea (diminuição da produção de células sanguíneas)
Pode ocorrer supressão da medula óssea manifestada como neutropenia (diminuição do número de neutrófilos nos sangue),
anemia (diminuição de glóbulos vermelhos no sangue), trombocitopenia (diminuição de plaquetas no sangue) ou
pancitopenia (diminuição global de elementos celulares do sangue (glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas)) (vide
informações adicionais abaixo de precauções na neutropenia e anemia).


- 2 de 9 -

Neutropenia (diminuição do número de neutrófilos no sangue)
Pacientes tratados com JEVTANA podem receber profilaxia de G-CSF (fator de estimulação de colônias de granulócitos)
para reduzir o risco ou administrar complicações decorrentes de neutropenia (neutropenia acompanhada de febre,
neutropenia prolongada ou infecção neutropênica).
O uso de G-CSF tem demonstrado limitar a incidência e severidade da neutropenia. A profilaxia primária com G-CSF deve
ser considerada em pacientes com perfil de elevado risco clínico (idade > 65 anos, debilitado, episódios anteriores de
neutropenia acompanhada de febre, extenso recebimento prévio de radiação, estado nutricional ruim ou outras co-
morbidades graves) que os predispõem ao aumento das complicações da neutropenia prolongada.
Neutropenia é a reação adversa mais comum de JEVTANA (vide “Quais os males que este medicamento pode me
causar?”). A monitorização da contagem do sangue total é essencial, com frequência semanal, durante o primeiro ciclo e
antes de cada ciclo de tratamento subsequente, de modo que a dosagem possa ser ajustada, se necessário (vide “Como devo
usar este medicamento?”).
A dose deve ser reduzida em caso de neutropenia acompanhada de febre ou neutropenia prolongada, apesar de tratamento
apropriado (vide “Como devo usar este medicamento?”).
O tratamento deve ser reiniciado somente quando os neutrófilos recuperarem o nível ? 1.500/mm

3

(vide “Quando não devo

usar este medicamento?”).

Reações alérgicas
Todos os pacientes devem receber pré-medicação antes do início da administração de JEVTANA (vide “Como devo usar
este medicamento?”). Os pacientes devem ser rigorosamente monitorizados para reações alérgicas, especialmente durante a
primeira e segunda administração. Reações alérgicas podem ocorrer em poucos minutos após o início da administração de
cabazitaxel; portanto, recursos e equipamentos para o tratamento de pressão baixa e broncoespasmo (contração dos
brônquios levando a chiado no peito) devem estar disponíveis. Reações severas podem ocorrer e podem incluir erupções na
pele/vermelhidão generalizadas, pressão baixa e broncoespasmo. Reações alérgicas severas requerem descontinuação
imediata do cabazitaxel e terapia apropriada. Pacientes com histórico de reações alérgicas severas após uso de JEVTANA
não devem receber o medicamento novamente (vide “Quando não devo usar este medicamento?”).

Sintomas do aparelho gastrintestinal
Pacientes que apresentarem diarreia após administração de JEVTANA devem ser tratados com medicação antidiarreica
comumente utilizada. Medidas apropriadas devem ser tomadas para reidratar os pacientes. Retardo no tratamento ou
redução da dosagem pode ser necessária para diarreia de grau ? 3 (vide “Como devo usar este medicamento?”). Pacientes
que apresentarem náusea ou vômito devem ser tratados com medicamentos comumente utilizados contra estes males.
Casos de hemorragia e perfuração gastrintestinal, íleo paralítico, colite, incluindo casos fatais foram relatados em pacientes
tratados com cabazitaxel. Os pacientes com maior risco de desenvolvimento de complicações gastrintestinais: pacientes
com neutropenia, idosos, sob uso concomitante de AINE, em terapia antiplaquetária ou anticoagulante e pacientes com
histórico de radioterapia pélvica, doença gastrintestinal, tais como ulceração e sangramento gastrintestinal, devem ser
cuidadosamente observados.
Os sintomas tais como dor e sensibilidade abdominal, febre, constipação persistente, diarreia, com ou sem neutropenia,
podem ser manifestações precoces de toxicidade gastrintestinal grave, estes devem ser prontamente informados ao médico
para avaliação e tratamento. O tratamento com cabazitaxel pode ser adiado ou interrompido, caso necessário.

Anemia
Anemia foi observada em pacientes que receberam cabazitaxel (vide “Quais os males que este medicamento pode me
causar”). Hemoglobina e hematócrito devem ser verificados antes do tratamento com cabazitaxel e se o paciente apresenta
sinais ou sintomas de anemia ou perda de sangue. Recomenda-se precaução em pacientes com hemoglobina <10 g / dL e
medidas apropriadas devem ser tomadas, se clinicamente indicado.

Distúrbios dos rins
Distúrbios dos rins foram relatados em associação com sepse (infecção generalizada), desidratação severa decorrente de
diarreia, vômito e uropatia obstrutiva (bloqueio do fluxo de urina). Redução da função dos rins, incluindo casos com
desfecho fatal, foi observada. Medidas apropriadas devem ser tomadas para identificar a causa e os pacientes devem ser
tratados intensamente se isso ocorrer. A função dos rins deve ser monitorada.

Arritmias cardíacas
Foram relatadas arritmias cardíacas (descompasso dos batimentos do coração), mais frequentemente taquicardia
(aceleração do ritmo cardíaco) e fibrilação atrial (o ritmo cardíaco é geralmente irregular e rápido) (vide “Quais os males
que este medicamento pode me causar?”).

Gravidez e amamentação


- 3 de 9 -

Devido a potencial exposição através do líquido seminal, homens com parceiras com potencial de engravidar devem
utilizar métodos confiáveis para evitar a gravidez ao longo do tratamento e recomenda-se que tais medidas continuem
sendo utilizadas por até 6 meses após a última dose de JEVTANA.
Não existem dados do uso de cabazitaxel em mulheres grávidas. Em estudos pré-clínicos em animais, o cabazitaxel foi
tóxico ao embrião e ao feto, e foi abortivo em exposições significativamente menores do que aquelas esperadas no nível de
dose recomendada para humanos. O cabazitaxel atravessa a barreira placentária.
JEVTANA não é recomendado durante a gravidez.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica. Informe imediatamente seu
médico em caso de suspeita de gravidez.

Estudos em animais demonstraram que cabazitaxel e seus metabólitos são excretados no leite. Portanto, JEVTANA não
deve ser utilizado durante a amamentação.


O efeito de JEVTANA na fertilidade humana é desconhecido. Estudos em animais demonstraram que cabazitaxel afetou o
sistema reprodutivo.

Populações especiais

Pacientes pediátricos

A segurança e eficácia de JEVTANA em crianças não foram estabelecidas.

Pacientes idosos

Pacientes idosos (? 65 anos de idade) podem estar mais sujeitos a apresentar certas reações adversas, incluindo neutropenia
ou neutropenia acompanhada de febre (vide “Quais os males que este medicamento pode me causar?”).
Não é recomendado ajuste específico de dose de JEVTANA em pacientes idosos.

Pacientes com redução da função do fígado
JEVTANA é extensivamente metabolizado no fígado e é provável que a redução da função do fígado aumente as
concentrações de JEVTANA.
Não foram conduzidos estudos formais em pacientes com redução da função do fígado. Como medida de precaução,
JEVTANA não deve ser administrado a pacientes com redução da função do fígado cujos limites de enzimas estejam acima
do limite da normalidade.
A redução da função do fígado aumenta o risco de complicações severas e potencialmente fatais em pacientes recebendo
outros medicamentos pertencentes à mesma classe de JEVTANA. JEVTANA não deve ser administrado em pacientes com
redução da função do fígado (vide “Quando não devo usar este medicamento?”).
Pacientes com redução da função dos rins

JEVTANA é minimamente excretado através dos rins. Não é necessário ajuste de dose em pacientes com redução leve da
função dos rins. Dados em pacientes com redução moderada e severa da função dos rins ou com doença dos rins em estágio
final, são limitados; portanto, esses pacientes devem ser tratados com cautela e monitorizados cuidadosamente durante o
tratamento.

Uso concomitante de medicamentos
Deve-se evitar o uso concomitante de medicamentos que sejam fortes indutores ou inibidores da CYP3A. No entanto, se
o paciente necessitar da coadministração de um forte inibidor da CYP3A, o médico deve considerar uma redução da dose
de cabazitaxel (vide “Interações Medicamentosas”).

Alterações na capacidade de dirigir veículos e operar máquinas
Não foram realizados estudos sobre os efeitos na capacidade de dirigir e operar máquinas. No entanto, com base no perfil
de segurança, JEVTANA pode ter influência moderada na habilidade de dirigir e operar máquinas, uma vez que pode
causar fadiga e tontura. Pacientes devem ser aconselhados a não dirigir ou operar máquinas se apresentarem essas reações
adversas durante o tratamento.

Este medicamento contém ÁLCOOL na quantidade de 573,3 mg (o diluente de JEVTANA é uma solução 13% (p/p) de
etanol 96% em água para injetáveis).


INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS
Medicamento-medicamento


- 4 de 9 -

O metabolismo de cabazitaxel é modificado pela administração concomitante de substâncias conhecidas como fortes
inibidores
(ex: cetoconazol, itraconazol, claritromicina, atazanavir, indinavir, nefazodona, nelfinavir, ritonavir, saquinavir,
telitromicina, voriconazol) ou fortes indutores (ex: rifampicina, carbamazepina ou fenitoína) da enzima CYP3A. Portanto,
a coadministração de cabazitaxel com fortes inibidores da enzima CYP3A deve ser evitada. No entanto, se esta
coadministração não puder ser evitada, um monitoramento cuidadoso quanto à toxicidade e uma redução da dose do
cabazitaxel devem ser considerados.
A coadministração com fortes indutores da CYP3A deve ser também evitada, uma vez que podem diminuir a exposição
do cabazitaxel.

In vitro, cabazitaxel também tem demonstrado inibir o transporte de proteínas dos polipeptídeos transportadores de ânions
orgânicos OATP1B1. O risco de interação com substratos de OATP1B1 (ex: estatinas, valsartana, repaglinida) é
possivelmente notado durante a infusão (1hora) ou até 20 minutos após o final da infusão, e pode conduzir a um aumento
na exposição dos substratos de OATP1B1.
A prednisona/prednisolona administrada na dose de 10 mg diariamente não afetou a farmacocinética de cabazitaxel.
A administração de vacinas com vírus vivo ou vivo-atenuado em pacientes imunocomprometidos por agentes
quimioterápicos pode resultar em infecções graves ou fatais. A vacinação com uma vacina de vírus vivo-atenuado deve ser
evitada em pacientes recebendo cabazitaxel. As vacinas de vírus morto ou inativado podem ser administradas, no entanto, a
resposta a tais vacinas pode estar diminuída.

Medicamento-alimento
Pelo fato de JEVTANA ser um medicamento de uso exclusivamente intravenoso, não foram realizados estudos clínicos
formais de interação medicamento-alimento.

Medicamento-exames laboratoriais e não-laboratoriais
Baseado nos resultados dos estudos realizados com o medicamento, não há evidências de quaisquer interações de
cabazitaxel com exames laboratoriais e não-laboratoriais.

Informe ao seu médico se você está fazendo uso de algum outro medicamento.
Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.


5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?
JEVTANA deve ser mantido em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Não refrigerar.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

Estabilidade da solução após diluição inicial no frasco-ampola
Após diluição inicial
do concentrado de JEVTANA 60 mg/1,5 mL com o diluente, a mistura concentrado-diluente
resultante é estável por 1 hora se armazenada em temperatura ambiente.

Estabilidade da solução após diluição final na bolsa de infusão

Após diluição final na bolsa/frasco de infusão, a solução para infusão pode ser armazenada por até 8 horas em temperatura
ambiente (incluindo 1 hora de infusão).
Estabilidade química e física da solução para infusão foi demonstrada por 48 horas sob refrigeração (incluindo 1 hora de
infusão).
Uma vez que a solução para infusão é supersaturada, pode ocorrer cristalização com o tempo. Neste caso, a solução não
deve ser utilizada e deve ser descartada.

Características do medicamento
O concentrado de JEVTANA é uma solução oleosa límpida, amarela a amarela-acastanhada. O diluente é uma solução
límpida e incolor.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma
mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.


- 5 de 9 -

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Por ser um medicamento que deverá ser manipulado e administrado exclusivamente por profissionais experientes, as
orientações para manipulação, diluição, preparo da infusão intravenosa, administração e descarte do medicamento, além
das orientações sobre o uso da pré-medicação estão contidas no texto de bula destinado aos profissionais de saúde. Em caso
de dúvidas, consulte o seu médico.
A dose recomendada de JEVTANA é 25 mg/m

2

, administrada como infusão intravenosa de 1 hora a cada 3 semanas, em

associação com 10 mg prednisona (ou prednisolona) oral administrada diariamente durante todo o tratamento com
JEVTANA.
A duração do tratamento com JEVTANA depende da resposta de cada paciente ao tratamento, bem como dos eventos
adversos decorrentes do tratamento relatados pelo paciente. Esses fatores serão avaliados periodicamente pelo médico.
Converse com o seu médico caso você tenha questionamentos sobre a duração apropriada do seu tratamento.
Não há estudos dos efeitos de JEVTANA administrado por vias não recomendadas. Portanto, por segurança e para garantir
a eficácia deste medicamento, a administração deve ser somente por via intravenosa, conforme recomendado pelo médico.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento de seu médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Seu médico terá as instruções de quando administrar este medicamento para você. Entretanto, se você acha que uma dose
não foi administrada, converse com seu médico.
Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico.

8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?
A seguinte taxa de frequência é utilizada para as reações adversas a seguir:
Reação muito comum (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento), reação comum (ocorre entre
1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento), reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que
utilizam este medicamento), reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento), reação
muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento), reação desconhecida (não pode ser
estimada a partir dos dados disponíveis).
A segurança de cabazitaxel em associação com prednisona ou prednisolona foi avaliada em um estudo clínico de Fase III,
realizado com pacientes com câncer de próstata com metástase hormônio-refratário (que não responde ao tratamento
hormonal). Os pacientes receberam uma duração mediana de 6 ciclos de JEVTANA ou 4 de mitoxantrona.
As reações adversas muito comuns (?10%) de grau 1 – 4 foram anemia, leucopenia, neutropenia, trombocitopenia, diarreia,
cansaço, náusea, vômito, prisão de ventre, fraqueza, dor abdominal, sangue na urina, dor nas costas, anorexia, neuropatia
periférica (incluindo neuropatia periférica sensorial e motora), febre, falta de ar, alteração ou diminuição do paladar, tosse,
dor nas articulações e perda de cabelo.
As reações adversas comuns (? 5%) de grau > 3 ocorridas em pacientes que receberam cabazitaxel foram neutropenia,
leucopenia, anemia, neutropenia acompanhada de febre, diarreia, cansaço e fraqueza.
Ocorreu descontinuação do tratamento devido a reações adversas à droga em 68 pacientes (18,3%) no grupo do cabazitaxel
e em 31 pacientes (8,4%) no grupo tratado com mitoxantrona. A reação adversa mais comum que levou à descontinuação
do tratamento no grupo tratado com cabazitaxel foi neutropenia e insuficiência dos rins.
Foram relatadas mortes por outras causas que não a progressão da doença dentro de 30 dias da última dose do medicamento
em estudo em 18 pacientes (4,9%) tratados com JEVTANA e em 3 pacientes (< 1%) tratados com mitoxantrona. A reação
adversa fatal mais comum em pacientes tratados com JEVTANA foi devido a infecções (n=5). A maioria (4 de 5 pacientes)
das reações adversas fatais relacionada à infecção no estudo ocorreram após uma única dose de JEVTANA.

Tabela 1 – Incidência de reações adversas relatadas e anormalidades hematológicas (relacionadas ao sangue) em
pacientes recebendo cabazitaxel em associação com prednisona e pacientes recebendo mitoxantrona em associação
com prednisona (taxa de incidência pelo menos 2% mais elevada no grupo tratado com cabazitaxel em comparação
ao grupo tratado com mitoxantrona)

cabazitaxel 25 mg/m

2

a cada 3

semanas em associação com
prednisona 10 mg diariamente
n=371

mitoxantrona 12 mg/m

2

a cada 3

semanas em associação com
prednisona 10 mg diariamente
n=371

Sistema corporal / Termo preferido

Todos os graus
n (%)

Graus 3/4
n (%)

Todos os graus
n (%)

Graus 3/4
n (%)

Distúrbios do sangue e sistema linfático


- 6 de 9 -

cabazitaxel 25 mg/m

2

a cada 3

semanas em associação com
prednisona 10 mg diariamente
n=371

mitoxantrona 12 mg/m

2

a cada 3

semanas em associação com
prednisona 10 mg diariamente
n=371

Sistema corporal / Termo preferido

Todos os graus
n (%)

Graus 3/4
n (%)

Todos os graus
n (%)

Graus 3/4
n (%)

Neutropenia (diminuição de neutrófilos
no sangue)

a

347 (93,5%)

303 (81,7%)

325 (87,6%)

215 (58,0%)

Anemia (diminuição de glóbulos
vermelhos no sangue)

a

361 (97,3%)

39 (10,5%)

302 (81,4%)

18 (4,9%)

Leucopenia (diminuição de glóbulos
brancos no sangue)

a

355 (95,7%)

253 (68,2%)

343 (92,5%)

157 (42,3%)

Trombocitopenia (diminuição de
plaquetas no sangue)

a

176 (47,4%)

15 (4%)

160 (43,1%)

6 (1,6%)

Neutropenia acompanhada de febre

---

28 (7,5%)

---

5 (1,3%)

Distúrbios gastrintestinais
Diarreia

173 (46,6%)

23 (6,2%)

39 (10,5%)

1 (0,3%)

Náusea

127 (34,2%)

7 (1,9%)

85 (22,9%)

1 (0,3%)

Vômito

84 (22,6%)

7 (1,9%)

38 (10,2%)

0

Prisão de ventre

76 (20,5%)

4 (1,1%)

57 (15,4%)

2 (0,5%)

Dor abdominal

43 (11,6%)

7 (1,9%)

13 (3,5%)

0

Má digestão

25 (6,7%)

0

6 (1,6%)

0

Dor abdominal superior

20 (5,4%)

0

5 (1,3%)

0

Hemorroida

14 (3,8%)

0

3 (0,8%)

0

Refluxo gastroesofágico (refluxo de
conteúdo do estômago para o esôfago,
normalmente ácido, provocando
queimação)

12 (3,2%)

0

3 (0,8%)

0

Distúrbios gerais
Cansaço

136 (36,7%)

18 (4,9%)

102 (27,5%)

11 (3,0%)

Fraqueza

76 (20,5%)

17 (4,6%)

46 (12,4%)

9 (2,4%)

Febre

45 (12,1%)

4 (1,1%)

23 (6,2%)

1 (0,3%)

Inflamação de mucosa

22 (5,9%)

1 (0,3%)

10 (2,7%)

1 (0,3%)

Distúrbios musculoesqueléticos e do tecido conjuntivo (cartilagens)
Dor nas costas

60 (16,2%)

14 (3,8%)

45 (12,1%)

11 (3,0%)

Dor nas articulações

39 (10,5%)

4 (1,1%)

31 (8,4%)

4 (1,1%)

Espasmos musculares (contrações súbitas
e involuntárias do músculo)

27 (7,3%)

0

10 (2,7%)

0

Distúrbios do metabolismo e nutricionais
Anorexia

59 (15,9%)

3 (0,8%)

39 (10,5%)

3 (0,8%)

Desidratação

18 (4,9%)

8 (2,2%)

10 (2,7%)

3 (0,8%)

Distúrbios dos rins e do trato urinário
Sangue na urina

62 (16,7%)

7 (1,9%)

14 (3,8%)

2 (0,5%)

Dificuldade para urinar

25 (6,7%)

0

5 (1,3%)

0

Dificuldade em controlar a urina

9 (2,4%)

0

1 (0,3%)

0

Insuficiência renal aguda

8 (2,2%)

6 (1,6%)

0

0

Distúrbios respiratórios, torácicos e do mediastino
Falta de ar

44 (11,9%)

5 (1,3%)

17 (4,6%)

3 (0,8%)

Tosse

40 (10,8%)

0

22 (5,9%)

0

Distúrbios da pele e do tecido subcutâneo
Perda de cabelo

37 (10,0%)

0

18 (4,9%)

0

Infecções
Infecção do trato urinário

27 (7,3%)

4 (1,1%)

11 (3,0%)

3 (0,8%)

Distúrbios do sistema nervoso
Alteração ou diminuição do paladar

41 (11,1%)

0

15 (4,0%)

0

Neuropatia periférica (doença que afeta
os nervos periféricos)

30 (8,1%)

2 (0,5%)

4 (1,1%)

1 (0,3%)

Tontura

30 (8,1%)

0

21 (5,7%)

2 (0,5%)


- 7 de 9 -

cabazitaxel 25 mg/m

2

a cada 3

semanas em associação com
prednisona 10 mg diariamente
n=371

mitoxantrona 12 mg/m

2

a cada 3

semanas em associação com
prednisona 10 mg diariamente
n=371

Sistema corporal / Termo preferido

Todos os graus
n (%)

Graus 3/4
n (%)

Todos os graus
n (%)

Graus 3/4
n (%)

Dor de cabeça

28 (7,5%)

0

19 (5,1%)

0

Neuropatia sensorial periférica (doença
que afeta os nervos sensoriais periféricos) 20 (5,4%)

1 (0,3%)

5 (1,3%)

0

Distúrbios vasculares
Pressão baixa

20 (5,4%)

2 (0,5%)

9 (2,4%)

1 (0,3%)

a

Baseado em valores laboratoriais


Descrição das reações adversas selecionadas:
Distúrbios gerais e condições no local da administração
Inchaço nas extremidades do corpo foi observado com incidência de 9,2% em todos os graus e em uma incidência de 0,5%
e 0,3% em grau ? 3 no grupo do cabazitaxel e no grupo da mitoxantrona, respectivamente.
Foi observada dor com incidência de 5,4% e 4,9% em todos os graus e 1,1% e 1,9% nos graus ? 3 no grupo do cabazitaxel
e no grupo da mitoxantrona, respectivamente.

Neutropenia e eventos clínicos associados
Incidência de neutropenia grau ? 3 baseada em dados laboratoriais foi de 81,7%. As incidências de reações adversas grau ?
3 de neutropenia clínica e neutropenia acompanhada de febre foram respectivamente 21,3% e 7,5%. Neutropenia foi a
reação adversa mais comum levando à descontinuação da droga (2,4%). Complicações relacionadas à neutropenia
incluíram infecções neutropênicas (0,5%), sepse neutropênica (infecção generalizada associada com diminuição dos
neutrófilos na corrente sanguínea) (0,8%) e choque séptico (pressão baixa associada à infecção generalizada; trata-se de
uma forma mais grave de sepse) (1,1%), que em alguns casos resultou em desfecho fatal.
O uso de G-CSF demonstrou limitar a incidência e severidade da neutropenia (vide “O que devo saber antes de usar este
medicamento?”).

Distúrbios do coração e arritmias
Todos os graus de eventos relacionados a distúrbios do coração foram mais comuns no grupo do cabazitaxel, no qual 6
pacientes (1,6%) apresentaram arritmias cardíaca de grau ? 3. A incidência de taquicardia no grupo do cabazitaxel foi de
1,6%, nenhuma de grau ? 3. A incidência de fibrilação atrial (tipo de arritmia cardíaca, na qual o ritmo cardíaco é
geralmente irregular e rápido) foi de 1,1% no grupo do cabazitaxel.

Distúrbios nos rins e do trato urinário
Foi observada insuficiência dos rins em 2,2% em todos os graus e 1,6% nos graus ? 3 no grupo do cabazitaxel.

Distúrbios do aparelho digestivo
Foram observadas colite (inflamação do intestino grosso), enterocolite (inflamação no intestino grosso e delgado), gastrite
(inflamação do estômago) e enterocolite neutropenica (complicação da inflamação do intestino observada em pacientes
com neutropenia). Também foram relatadas hemorragia e perfuração gastrintestinal, obstrução do íleo e intestino.

Investigações
A incidência de anemia grau ? 3, enzimas do fígado aumentadas (AST/TGO e ALT/TGP) e bilirrubina (pigmento amarelo
produto da degradação da hemoglobina) aumentada, baseadas em anormalidades laboratoriais foram 10,6%, 0,9% e 1,1%,
0,6%, respectivamente.
Foi observada perda de peso de todos os graus em 8,6% e 7,5% e de grau ? 3 em 0% e 0,3% no grupo do cabazitaxel e no
grupo da mitoxantrona, respectivamente.

Pacientes idosos

As seguintes reações adversas foram relatadas em taxas ? 5% mais elevadas em pacientes com 65 anos ou mais em
comparação a pacientes mais jovens: cansaço (40,4% vs 29,8%), neutropenia (24,2% vs 17,6%), fraqueza (23,8% vs
14,5%), febre (14,6% vs 7,6%), tontura (10,0% vs 4,6%), infecção do trato urinário (9,6% vs 3,1%) e desidratação (6,7% vs
1,5%), respectivamente.


- 8 de 9 -

A incidência das seguintes reações adversas grau ? 3 foi mais elevada em pacientes ? 65 anos em comparação a pacientes
mais jovens: neutropenia baseada em anormalidades laboratoriais (86,3% vs 73,3%), neutropenia clínica (23,8% vs 16,8%)
e neutropenia acompanhada de febre (8,3% vs 6,1%) (vide “O que devo saber antes de usar este medicamento?”).

Atenção: este produto é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança
aceitáveis, mesmo que indicado e utilizado corretamente, podem ocorrer eventos adversos imprevisíveis ou
desconhecidos. Nesse caso, informe seu médico.

O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Não existe antídoto conhecido para JEVTANA. No caso de superdose, o paciente deve ser mantido em unidade
especializada e ser rigorosamente monitorizado. Pacientes devem receber G-CSF terapêutico tão logo quanto possível após
descoberta da superdose. Outras medidas apropriadas para alívio dos sintomas devem ser tomadas.
As complicações antecipadas decorrentes da superdose podem ser exacerbação de reações adversas, tais como supressão da
medula óssea (diminuição da produção de células sanguíneas) e distúrbios gastrintestinais.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem
ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.


DIZERES LEGAIS

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
USO RESTRITO A HOSPITAIS

MS 1.1300.1098
Farm. Resp.: Silvia Regina Brollo
CRF-SP 9.815

Registrado por:
Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda.
Av. Mj. Sylvio de M. Padilha, 5200 – São Paulo – SP
CNPJ 02.685.377/0001-57
Indústria Brasileira

Fabricado por:
Sanofi-Aventis Deutschland GmbH
Brüningstrasse 50, Industriepark Höchst
Frankfurt am Main - Alemanha

Importado por:
Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda.
Rua Conde Domingos Papaiz, 413 – Suzano – SP
CNPJ 02.685.377/0008-23

Ou

Registrado por:
Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda.
Av. Mj. Sylvio de M. Padilha, 5200 – São Paulo – SP
CNPJ 02.685.377/0001-57
Indústria Brasileira

Fabricado por:
Aventis Pharma, Dagenham
Rainham Road South
Dagenham Essex RM 10 7XS
Inglaterra


- 9 de 9 -

Importado por:
Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda.
Rua Conde Domingos Papaiz, 413 – Suzano – SP
CNPJ 02.685.377/0008-23


Ou
Registrado por:
Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda.
Av. Mj. Sylvio de M. Padilha, 5200 – São Paulo – SP
CNPJ 02.685.377/0001-57
Indústria Brasileira

Fabricado por:
Aventis Pharma, Dagenham
Rainham Road South
Dagenham Essex RM 10 7XS
Inglaterra

Embalado por:
Sanofi-Aventis Deutschland GmbH
Brüningstrasse 50, Industriepark Höchst
Frankfurt am Main – Alemanha

Importado por:
Sanofi-Aventis Farmacêutica Ltda.
Rua Conde Domingos Papaiz, 413 – Suzano – SP
CNPJ 02.685.377/0008-23

® Marca Registrada



IB280915

Esta bula foi aprovada pela ANVISA em 13/11/2015.

Anexo B

Histórico de Alteração para a Bula

Dados da submissão eletrônica

Dados da petição/notificação que altera bula

Dados das alterações de bulas

Data do

expediente

No.

expediente

Assunto

Data do expediente

No.

expediente

Assunto

Data da

aprovação

Itens de bula

Versões

(VP/VPS)

Apresentaçõ



DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Câncer: Crescimento anormal de um tecido celular, capaz de invadir outros órgãos a nível local ou à distância (metástases).
  2. Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (p. ex. cálculos biliares, hepatite).
  3. Febre: Elevação da temperatura corporal acima de um valor normal, estabelecido entre 36,7ºC e 37ºC, quando medida na boca.
  4. Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago (ver). Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
  5. Hemoglobina: Proteína encarregada de transportar o oxigênio desde os pulmões até os tecidos do corpo. Encontra-se em altas concentrações nos glóbulos vermelhos.
  6. Hemorragia: Perda de sangue para um órgão interno (tubo digestivo, cavidade abdominal) ou para o exterior (ferimento arterial). De acordo com o volume e velocidade com a qual se produz o sangramento uma hemorragia pode produzir diferentes manifestações nas pessoas, desde taquicardia, sudorese, palidez cutânea, até o choque.
  7. Hematócrito: Exame de laboratório que expressa a concentração de glóbulos vermelhos no sangue.
  8. Neuropatia: Doença que afeta a um (mononeuropatia) ou vários nervos (polineuropatia). Seus sintomas dependem da localização e tipo de nervo comprometido, podendo ser motores (fraqueza muscular) ou sensitivos (diminuição da sensibilidade, dor). Entre suas causas figuram certos tóxicos, distúrbios metabólicos, infecções, doenças degenerativas, etc.
  9. Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de ???emergência infecciosa???.
  10. Mediastino: Região anatômica do tórax onde se localizam diversas estruturas, dentre elas o coração.
  11. Sepse: Infecção produzida por um germe capaz de provocar uma resposta inflamatória em todo o organismo. Os sintomas associados a sepse são febre, hipotermia (ver), taquicardia (ver), taquipnéia (ver) e elevação na contagem de glóbulos brancos. Pode levar à morte, se não tratada a tempo e corretamente.
  12. Taquicardia: Aumento da freqüência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações (ver).
  13. Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
  14. Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
  15. Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
  16. Refluxo gastroesofágico: Presença de conteúdo ácido proveniente do estômago na luz esofágica. Como o dito órgão não está adaptado fisiologicamente para suportar a acidez do suco gástrico, pode ser produzida inflamação de sua mucosa (esofagite).

Síguenos

X