MABTHERA

Para que serve MABTHERA

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


2

MabThera

Roche

rituximabe

Antineoplásico e antirreumático


APRESENTAÇÕES
Solução para diluição para infusão.
Caixa com 2 frascos com 10 mL cada (100 mg /10 mL)
Caixa com 1 frasco com 50 mL (500 mg /50 mL)

VIA INTRAVENOSA

USO ADULTO

COMPOSIÇÃO
Cada frasco com 10 mL contém
Princípio ativo: rituximabe .......................................................................................... 100 mg
Cada frasco com 50 mL contém
Princípio ativo: rituximabe .......................................................................................... 500 mg
Excipientes: citrato de sódio di-hidratado, polissorbato 80, cloreto de sódio, ácido clorídrico, hidróxido de
sódio e água para injetáveis.

INFORMAÇÕES AO PACIENTE
As informações disponíveis nesta bula aplicam-se exclusivamente a MabThera

?

.

Solicitamos a gentileza de ler cuidadosamente as informações a seguir. Caso não esteja seguro a respeito de
determinado item, por favor, informe ao seu médico.

1. PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?

MabThera

?

é usado no tratamento de algumas doenças em que os linfócitos B (células do sistema

imunológico) desempenham papel importante.
MabThera

?

pode ser usado sozinho (monoterapia) ou associado a outros quimioterápicos ou outros

medicamentos.

2. COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

MabThera

?

contém o ingrediente ativo rituximabe, um anticorpo produzido fora do corpo e que se liga a

receptores nos linfócitos B, levando à destruição dessas células.
O crescimento anormal de linfócitos B é responsável por doenças neoplásicas como linfoma (tumor do tecido
linfático) e leucemia, ou autoimunes, como artrite reumatoide (AR - doença crônica que agride
principalmente as juntas, levando a deformidades e incapacidade física) e algumas vasculites como
Granulomatose com poliangiite (granulomatose de Wegener) e Poliangiite microscópica (PAM). O tempo
médio para saber se MabThera

?

está sendo eficaz depende do tratamento prescrito pelo médico, das

características do seu organismo e da doença.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?


Não use MabThera

?

se você teve reação alérgica grave a esse medicamento, a algum excipiente do produto

ou a qualquer proteína de origem de roedor.

Reações alérgicas graves costumam ser placas avermelhadas na

pele e sensação intensa de coceira e inchaço no rosto, lábios, boca ou garganta que causa dificuldade de
engolir ou respirar.

3

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?


Informe seu médico se você tem alguma doença do coração, como angina (dor no peito), batimentos anormais
do coração, insuficiência cardíaca ou teve infarto do miocárdio.

Informe ao médico se está usando remédios para controlar a pressão arterial, pois MabThera

?

pode causar

diminuição da pressão arterial durante a primeira infusão do medicamento. É possível que o médico peça para
suspender o uso desses medicamentos pelo menos 12 horas antes da administração de MabThera

?

.

Informe seu médico se você é alérgico a outras medicações ou substâncias, a alimentos, conservantes ou
corantes.

Se você tem alguma doença pulmonar, a chance de ter problemas respiratórios durante a administração de
MabThera

?

pode sermaior.

Durante o tratamento com MabThera

?

, algumas vacinas não podem ser tomadas e outras poderão ser menos

eficazes. Avise seu médico, caso necessite de alguma vacina durante o tratamento.

Seu médico poderá recomendar tratamento preventivo para a síndrome de lise tumoral (alterações decorrentes
da destruição tumoral).

Seu médico poderá solicitar monitoramento da contagem de células sanguíneas. Durante o tratamento, você
poderá apresentar alterações no exame de sangue, como diminuição de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos
e plaquetas (células que auxiliam na coagulação). Essas alterações costumam ser passageiras, e seu médico
acompanhará os resultados. Pode ser necessário realizar exames sanguíneos regularmente para controle
dessas alterações.

O tratamento com MabThera

não deve ser iniciado em pacientes com infecções graves ativas, por isso é

importante avisar seu médico caso você apresente sintomas que possam sugerir infecção, como febre,
calafrios, mal-estar intenso ou tosse prolongada.

Informe ao médico se você tem ou teve hepatite B. O tratamento com MabThera

não deve ser iniciadose

você estiver com hepatite B em atividade.

Informe seu médico se ocorrer graves reações de pele.

A substituição por qualquer outro medicamento biológico exige o consentimento do médico prescritor.

Pacientes pediátricos
A segurança e a eficácia de MabThera

?

em crianças ainda não foram estabelecidas.

Embora MabThera

?

não esteja aprovado para uso pediátrico, hipogamaglobulinemia, em alguns casos,

grave, tem sido observada em pacientes pediátricos que fizeram uso do medicamento, exigindo a
administração de imunoglobulina em longo prazo como terapia de substituição. As consequências da
diminuição acentuada de células B em longo prazo em pacientes pediátricos são desconhecidas.

Efeitos sobre a capacidade de dirigir veículos ou operar máquinas
Geralmente, pacientes que recebem MabThera

?

não apresentam efeitos sobre a habilidade de dirigir veículos

ou operar máquinas, mas MabThera

?

pode causar tonturas em algumas pessoas. Porém, algumas medicações

usadas antes da infusão para evitar as reações infusionais podem causar sonolência (antialérgicos). Caso você
tenha dúvidas a respeito dos medicamentos usados antes da infusão, pergunte ao médico ou à enfermeira.

Gravidez e amamentação
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do
cirurgião-dentista.
Informe ao médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou no prazo de 12 meses depois do
seu término. Você deve utilizar métodos contraceptivos eficazes antes de receber MabThera

?

, durante o

tratamento e por 12 meses após seu término.

Não se sabe se MabThera

administrado à mãe passa para o leite materno. Porém, como a IgG (principal

anticorpo que combate doenças) da mãe passa para o leite, MabThera

?

não deve ser administrado durante a

amamentação.

4

Informe ao médico se estiver amamentando.

Principais interações medicamentosas
Antes de iniciar o tratamento, certifique-se de que seu médico tenha conhecimento de que você está tomando
outros medicamentos (incluindo aqueles que não foram prescritos por ele). Isso é importante, visto que o uso
de mais de um medicamento ao mesmo tempo poderá reforçar ou diminuir os efeitos dos medicamentos.

Em pacientes com leucemia linfoide crônica, a coadministração com rituximabe não mostrou ter efeito na
farmacocinética de fludarabina ou ciclofosfamida. Além disso, não houve efeito aparente de fludarabina e
ciclofosfamida sobre a farmacocinética de rituximabe.

O metotrexato não tem efeito sobre a ação de MabThera

em pacientes com artrite reumatoide.

MabThera

não interage com alimentos.

Até o momento, não há informações de que MabThera

possa causar doping. Em caso de dúvida, consulte o

seu médico.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista, se você estiver fazendo uso de algum outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.


5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

MabThera

?

deve ser conservado sob refrigeração (entre 2 e 8 °C). Os frascos devem ser mantidos dentro da

caixa para proteger da luz. O profissional da saúde saberá como armazenar o medicamento depois de aberto.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

MabThera

?

é um líquido claro, incolor, fornecido em frascos estéreis, sem conservantes, de dose única, não

pirogênico, e deve ser diluído por um profissional da saúde antes de ser aplicado.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você observe
alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.

Descarte de medicamentos não utilizados e / ou com data de validade vencida
O descarte de medicamentos no meio ambiente deve ser minimizado. Os medicamentos não devem ser
descartados no esgoto, e o descarte em lixo doméstico deve ser evitado. Utilize o sistema de coleta local
estabelecido, se disponível.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance de crianças.

6. COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

O profissional da saúde saberá como preparar o medicamento.

Pré-medicação, consistindo de analgésico / antipirético (por exemplo, paracetamol), anti-histamínico (por
exemplo, difenidramina) e glicocorticoide, deverá ser sempre administrada antes de cada infusão de
MabThera

?

.

A solução de MabThera

?

deverá ser diluída em soro e será administrada lentamente na circulação sanguínea,

por agulha ou cateter colocado em uma veia. Esse tipo de aplicação é conhecido como intravenosa e deverá
ser realizada por um profissional da saúde treinado e habilitado.

O médico prescreverá a dose e o esquema de tratamento que julgar mais adequados para você. A dose será
calculada de acordo com o seu peso e sua altura (superfície corpórea), se a indicação for linfoma, leucemia
linfoide crônica, granulomatose com poliangiite ou poliangiite microscópica, ou será administrado em duas
doses fixas de 1.000 mg cada, com intervalo de 14 dias entre as doses (Dia 1 e Dia 15), se a indicação for
artrite reumatoide.

A duração do tratamento com MabThera

?

será estabelecida pelo médico, dependendo da doença, do seu

organismo e da resposta ao tratamento.

Caso você perca alguma das aplicações prescritas, seu médico deverá ser informado.

5

MabThera

?

não pode ser administrado por via oral ou intramuscular.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.

7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Seu médico saberá quando deverá ser aplicada a próxima dose de MabThera

.

Em caso de dúvida, procure orientação do farmacêutico ou do seu médico ou do cirurgião-dentista.


8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Informe ao médico imediatamente, caso você não se sinta bem enquanto estiver recebendo MabThera

?

.


Experiência advinda dos estudos clínicos em Onco-hematologia
Dentro de cada grupo de frequência, as reações adversas estão listadas em ordem decrescente de gravidade.
As frequências são definidas como muito comum ? 10%, comum ? 1% e < 10% e incomum ? 0,1% e < 1%.

MabThera

?

em monoterapia / terapia de manutenção

As reações adversas foram relatadas durante até 12 meses após o tratamento em monoterapia e até um mês
depois do tratamento de manutenção com MabThera

?

.


Tabela 1. Resumo das reações adversas ao medicamento (RAMs) relatadas em pacientes com linfoma
folicular ou de baixo grau que receberam MabThera

?

em monoterapia (N = 356) ou MabThera

?

como

tratamento de manutenção (N = 671) nos estudos clínicos

Classe de órgãos e
sistemas

Muito comum
(? 10%)

Comum
(? 1% - < 10%)

Incomum
(? 0,1% - < 1%)

Infecções e infestações

Infecções bacterianas,
infecções virais

Sepse (infecção geral
grave), pneumonia*,
infecção febril*, herpes-
zoster (infecção por vírus
que afeta comumente as
costas e / ou o peito e
provoca ardores, bolhas
na pele e dor)*, infecções
no trato respiratório*,
infecções fúngicas,
infecções de etiologia
(causa) desconhecida

Sangue e sistema
linfático

Neutropenia (redução de
um dos tipos de
glóbulos brancos,
responsável pelo
combate às bactérias),
leucopenia (redução dos
glóbulos brancos do
sangue)

Anemia (falta de glóbulos
vermelhos no sangue, por
falta de produção na
medula óssea, por
destruição ou
funcionamento
inadequado das hemácias
existentes),
trombocitopenia (redução
das plaquetas que
auxiliam na coagulação do
sangue)

Distúrbios de
coagulação, anemia
aplástica transitória
(aplasia pura das células
vermelhas), anemia
hemolítica, aumento de
gânglios linfáticos

Distúrbios do sistema
imune

Edema linfático

Hipersensibilidade
(reações tipo alérgicas)

Distúrbios metabólicos e

Hiperglicemia (aumento

6

nutricionais

da glicose ou do açúcar no
sangue), diminuição de
peso, edema periférico,
inchaço facial, aumento
de desidrogenase láctica
(LDH), baixa
concentração de cálcio no
sangue

Distúrbios psiquiátricos

Depressão, nervosismo

Distúrbios do sistema
nervoso

Parestesia

(sensibilidade

alterada de uma região do
corpo, geralmente com
formigamento ou
dormência), hipoestesia
(perda ou diminuição de
sensibilidade em
determinada região do
organismo), agitação,
insônia, vasodilatação,
tontura, ansiedade

Alteração do paladar

Distúrbios oculares

Distúrbio do
lacrimejamento,
conjuntivite

Distúrbios do labirinto e
ouvido

Zumbido, dor de ouvido

Distúrbios cardíacos

Infarto do miocárdio*,
arritmia, fibrilação atrial
(distúrbio da contração do
atrio)*, taquicardia
(aumento da frequência
cardíaca), distúrbio
cardíaco*

Insuficiência ventricular
esquerda (distúrbio da
função ventricular
esquerda)*, taquicardia
supraventricular*,
taquicardia ventricular*
(arritmias com aumento
da frequência cardíaca),
angina*, isquemia
miocárdica (diminuição
da irrigação do
miocárdio)*, bradicardia
(diminuição da
frequência cardíaca)

Distúrbios vasculares

Pressão alta, pressão baixa
postural, pressão baixa

Distúrbios respiratórios,
torácicos e mediastinais

Broncoespasmo

(diminuição do calibre dos
brônquios), doença
respiratória, dor no peito,
falta de ar, tosse, rinite

Asma, bronquiolite
obliterante (diminuição
de fluxo aéreo
pulmonar), distúrbio
pulmonar, hipóxia
(baixo teor de oxigênio)

Distúrbios
gastrintestinais

Náusea Vômito,

diarreia,

dor

abdominal, dificuldade de
engolir, inflamação da
cavidade bucal,
dificuldade de digestão,
constipação, anorexia,
irritação da garganta

Aumento do abdome

Distúrbios do tecido
subcutâneo e pele

Coceira, rash
(vermelhidão na pele)

Urticária (erupção
cutânea, acompanhada de
coceira), alopecia

7

(redução parcial ou total
de pelos ou cabelos em
uma determinada área de
pele)*, sudorese
(eliminação de suor),
suores noturnos

Distúrbios ósseos, do
tecido conectivo e
musculoesquelético

Aumento

da

rigidez

muscular, dores
musculares, dores nas
articulações, dor nas
costas, dor no pescoço,
dores

Distúrbios gerais e no
local da administração

Febre, calafrio, astenia
(fraqueza), dor de
cabeça

Dor tumoral, rubor,
mal-estar, síndrome gripal

Dor no local da infusão

Investigações

Redução dos níveis de
IgG

Para cada termo, a frequência foi baseada em reações de todos os níveis (de leve a grave), com exceção de
expressões marcadas com "*", para as quais a frequência foi baseada somente nas reações graves. Somente a
maior frequência observada em qualquer estudo é relatada.

MabThera

?

em combinação com quimioterapia em Linfoma não Hodgkin (LNH) e leucemia linfoide

crônica (LLC)

Tabela 2. Resumo de eventos adversos relatados em pacientes que receberam R-CHOP (MabThera

?

associado com ciclofosfamida, doxorrubicina, vincristina, prednisolona) em linfoma difuso de grandes
células B (N = 202), R-CHOP em linfoma folicular (N = 234) em R-CVP (MabThera

?

associado com

ciclofosfamida, vincristina e prednisolona) em linfoma folicular (N = 162 ), R-FC (MabThera

?

associado com fludarabina e ciclofosfamida) em LLC previamente não tratados (N = 397) ou com
recaída / refratária (N = 274)


Classe de órgãos e sistemas

Muito comum
(? 10%)

Comum
(? 1% - < 10%)

Infecções e infestações

Bronquite

Bronquite aguda, sinusite, hepatite
B*

Distúrbios do sangue e sistema
linfático

Neutropenia

#

,

neutropenia febril (febre associada
a baixo número de neutrófilos),
trombocitopenia (redução de
plaquetas no sangue)

Pancitopenia (redução de todas as
células do sangue),
granulocitopenia (redução dos
granulócitos do sangue)

Distúrbios do tecido subcutâneo e
de pele

Alopecia

Distúrbios da pele

Distúrbios gerais e do local de
administração

Cansaço,

tremores

* Estão incluídas as infecções primárias e reativações; frequência baseada no regime R-FC em LLC com
recaída / refratária
A frequência foi baseada somente em reações graves.
Apenas a maior frequência observada em qualquer estudo foi relatada.

#

Neutropenia prolongada e / ou de início tardio após a finalização do curso de R-FC em LLC não tratado

previamente ou com recaída / refratária.

Os seguintes termos foram relatados como eventos adversos, no entanto, em incidência semelhante (< 2% de
diferença entre os grupos) ou menor no grupo de MabThera

?

, em comparação com os grupos de controle:

hematotoxicidade (toxicidade sanguínea), infecção neutropênica (infecção associada a baixo número de
glóbulos brancos), infecção de trato urinário, choque séptico (falência circulatória aguda de causa infecciosa),
superinfecção do pulmão, infecção de implante, septicemia estafilocócica (infecção generalizada causada por
estafilococos), infecção de pulmão, rinorreia (coriza), edema pulmonar (acúmulo de líquido nos pulmões),

8

insuficiência cardíaca, distúrbio sensorial, trombose venosa (obstrução total ou parcial de uma veia por um
coágulo), trombose venosa profunda de membros (formação de coágulo sanguíneo em uma veia profunda)
mucosite (inflamação da mucosa) sem outros eventos, sintomas gripais, inchaço de membro inferior, fração
de ejeção anormal (quantidade de sangue que o coração consegue enviar para a circulação), febre,
deterioração de saúde física geral, queda, falência de múltiplos órgãos, , hemocultura (exame para pesquisa
de bactérias no sangue) positiva, controle inadequado de diabetes mellitus.

Informações adicionais relacionadas a reações adversas graves a medicamentos selecionados

Reações relacionadas à infusão
Monoterapia, quatro semanas de tratamento
Sinais e sintomas sugestivos de reações relacionadas à infusão foram predominantemente vistos durante a
primeira infusão.
Pressão baixa, febre, calafrios, tremores, urticária, broncoespasmo, sensação de inchaço da língua ou garganta
(angioedema), náusea, fadiga, dor de cabeça, prurido, falta de ar, rinite, vômito, rubor e dor nos locais com
doença ocorreram em associação à infusão de MabThera

?

como parte de um complexo de sintomas

relacionados à infusão. Alguns sintomas de síndrome de lise tumoral também foram observados.

Terapia em combinação (R-CVP em LNH; R-CHOP em linfoma difuso de grandes células B; R-FC em
Leucemia Linfóide Crônica)
Reações graves relacionadas à infusão ocorreram em, aproximadamente, 12% dos pacientes durante o
primeiro ciclo de tratamento com rituximabe em combinação com quimioterapia. A incidência de reações
relacionadas à infusão grave diminuiu substancialmente nas infusões subsequentes ocorrendo em menos de
1% dos pacientes no oitavo ciclo de terapia. As reações adicionais relatadas foram dificuldade de digestão,
erupção cutânea, pressão alta, taquicardia, sintomas de síndrome de lise tumoral (toxicidade causada pela
destruição tumoral). Foram relatados casos isolados de infarto do miocárdio, fibrilação atrial (distúrbio do
ritmo cardíaco), edema pulmonar e trombocitopenia aguda reversível.

Infecções
Monoterapia, quatro semanas de tratamento
MabThera

?

induziu depleção de células Bem 70% a 80% dos pacientes, porém, associou-se com

diminuição do nível sérico de imunoglobulinas (anticorpos) em apenas uma minoria de pacientes. Infecções
bacterianas, virais, fúngicas e de etiologia desconhecida, independentemente da causa, ocorreram em 30,3%
de 356 pacientes. Infecções graves (graus 3/4), incluindo sepse, ocorreram em 3,9% dos pacientes.

Tratamento de manutenção (LNH) até dois anos
As maiores frequências de infecções gerais, incluindo as de graus 3 e 4, foram observadas durante o
tratamento com Mabthera

®

.

Não houve toxicidade cumulativa em relação às infecções relatadas com o fim

do período de manutenção de dois anos.
Dados de estudos clínicos apresentaram casos de leucoencefalopatia multifocal progressiva (LMP -
complicações neurológicas graves) fatais em pacientes com LNH que ocorreram após a progressão da doença
e retratamento.

Terapia em combinação (R-CVP em LNH; R-CHOP em linfoma difuso de grandes células B; R-FC em
leucemia linfoide crônica)
Nenhum aumento na frequência de infecções ou infestações foi observado. As infecções mais comuns foram
das vias respiratórias superiores, relatadas por 12,3% dos pacientes em R-CVP. Infecções sérias foram
relatadas em 4,3% dos pacientes que receberam R-CVP. Nenhuma infecção potencialmente fatal foi relatada
durante o estudo.
No estudo MabThera

?

+ CHOP, a incidência global de infecções graus 2 a 4 foi de 45,5% no grupo de

MabThera

?

+ CHOP. As infecções fúngicas graus 2 a 4 foram mais frequentes no grupo de MabThera

?

+

CHOP (4,5% versus 2,6% no grupo CHOP); essa diferença foi devida à maior incidência de infecções
localizadas por Candida durante o período de tratamento. A incidência de herpes-zoster (infecção por vírus
que afeta comumente as costas e / ou o peito e provoca ardores, bolhas na pele e dor) grau 2 a 4 foi maior no
grupo de MabThera

?

+ CHOP (4,5% versus 1,5% no grupo de CHOP). A proporção de pacientes com

infecções grau 2 a 4 e / ou com neutropenia febril foi de 55,4% no grupo de MabThera

?

+ CHOP.

Em pacientes com LLC, a incidência de eventos adversos grau 3 ou 4 em pacientes com infecção por hepatite
B (infecção primária e reativação) foi de 2% de R-FC.

9


Eventos hematológicos
Monoterapia de quatro semanas
Neutropenia grave foi relatada em 4,2% dos pacientes, anemia grave foi relatada em 1,1% dos pacientes, e
trombocitopenia grave foi relatada em 1,7% dos pacientes.

Tratamento de manutenção (LNH) até dois anos
Houve maior incidência de leucopenia graus 3 - 4 [observação 2%, MabThera

?

5%] e neutropenia

[observação 4%, MabThera

?

10%] no grupo de MabThera

?

, em comparação com o grupo de observação. A

incidência de trombocitopenia graus 3 - 4 [observação 1%, MabThera

?

< 1%] foi baixa. Levou 12 meses ou

mais para os níveis de células B retornarem aos valores normais em, aproximadamente, metade dos pacientes
com dados disponíveis sobre a recuperação das células B após o final do tratamento de indução de
MabThera

?

.


Terapia combinada (R-CVP em LNH; R-CHOP em linfoma difuso de grandes células B; R-FC em leucemia
linfoide crônica)
Durante o curso de tratamento, em estudos com Mabthera

em combinação com quimioterapia, leucopenia e

neutropenia foram geralmente relatadas com maior frequência, em comparação com o tratamento que utiliza
quimioterapia sozinha. Entretanto, a maior incidência de neutropenia em pacientes tratados com Mabthera

e quimioterapia não foi associada a uma maior incidência de infecções e infestações, em comparação a
pacientes tratados apenas com quimioterapia.
Estudos em pacientes LLC não tratados previamente e LLC com recaída / refratária estabeleceram que em
alguns casos, a neutropenia foi prolongada ou teve um início tardio após tratamento no grupo de MabThera

?

em combinação com FC.
Não foram observadas diferenças relevantes entre os dois braços de tratamento relacionadas à anemia ou à
trombocitopenia graus 3 e 4.
No estudo de LLC de primeira linha, anemia grau 3 / 4 foi relatada em 4% dos pacientes tratados com R-FC,
e trombocitopenia grau 3 / 4 foi relatada em 7% dos pacientes do grupo de R-FC. No estudo de LLC recaída /
refratária, eventos adversos, como anemia graus 3/4, foram relatados em 12% dos pacientes tratados com R-
FC, e trombocitopenia grau 3/4 foi relatado em 11% dos pacientes no grupo de R-FC.

Eventos cardiovasculares
Monoterapia, quatro semanas de tratamento
Eventos cardiovasculares foram relatados em 18,8% dos pacientes durante o período de tratamento. Os
eventos relatados mais frequentemente foram pressão baixa e pressão alta. Foram relatados casos de arritmias
(alteração da frequência dos batimentos cardíacos) graus 3 ou 4 [incluindo taquicardia ventricular e
supraventricular (arritmias com aumento da frequência cardíaca)] e angina pectoris (dor torácica) durante a
infusão de MabThera

?

.


Tratamento de manutenção (LNH) até dois anos
A incidênciade distúrbios cardíacos graus 3 - 4 foram comparáveis entre os dois grupos de tratamento.
Eventos cardíacos foram relatados como eventos adversos graves em < 1% dos pacientes em observação e em
3% dos pacientes com MabThera

?

: fibrilação atrial (1%), infarto do miocárdio (1%), insuficiência

ventricular esquerda (< 1%), isquemia miocárdica (< 1%).

Terapia combinada (R-CVP em LNH; R-CHOP em linfoma difuso de grandes células B; R-FC em leucemia
linfoide crônica)
No estudo R-CHOP, a incidência de arritmias cardíacas (alteração da frequência dos batimentos cardíacos)
graus 3 e 4, predominantemente arritmias supraventriculares(arritmias com aumento da frequência cardíaca),
como taquicardia (aumento da frequência cardíaca) e flutter / fibrilação atrial (distúrbios do ritmo cardíaco),
foi maior no grupo de R-CHOP (6,9% dos pacientes), quando comparado ao grupo de CHOP (1,5% dos
pacientes). Todas essas arritmias ocorreram durante a infusão de MabThera

?

ou estavam associadas com

condições predisponentes, como febre, infecção, infarto agudo do miocárdio ou doença respiratória e
cardiovascular preexistentes. Não houve diferença entre os grupos de R-CHOP e CHOP quanto à incidência
de outros eventos cardíacos graus 3 e 4, incluindo insuficiência cardíaca, miocardiopatia e manifestações de
doença coronariana.

10

Em LLC, a incidência global de distúrbios cardíacos de grau 3 ou 4 foi baixa, tanto na primeira linha do
estudo (4% R-FC, 3% FC) como no estudo com pacientes portadores de LLC recaída / refratária (4% R-FC,
4% FC).

Níveis de IgG (imunoglobulina ou anticorpos do tipo G)
Tratamento de manutenção (LNH) até dois anos
Após o tratamento de indução, os níveis medianos de IgG permaneceram abaixo do Limite Inferior da
Normalidade (LIN) (< 7g/L) em ambos os grupos, em observação e com MabThera

?

.No grupo em

observação, os níveis medianos de IgG aumentaram subsequentemente acima do LIN, mas permaneceram
constantes durante o tratamento com MabThera

?

. A proporção de pacientes com níveis de IgG abaixo do

LIN foi de cerca de 60% no grupo de MabThera

?

ao longo do período de dois anos de tratamento, enquanto

diminuiu no grupo de observação (36% após dois anos).

Eventos neurológicos
Terapia combinada (R-CVP em LNH; R-CHOP em linfoma difuso de grandes células B; R-FC em leucemia
linfoide crônica)
Durante o período de tratamento, 2% dos pacientes no grupo de MabThera

?

+ CHOP, todos com fatores de

risco cardiovascular, apresentaram acidente vascular cerebral tromboembólico (derrame cerebral) durante o
primeiro ciclo de tratamento. Não foi observada diferença entre os grupos de tratamento quanto à incidência
de outros eventos tromboembólicos. Em contraste, 1,5% dos pacientes apresentou eventos vasculares
cerebrais no grupo de CHOP que ocorreram durante o período de acompanhamento.
Em LLC, a incidência global de eventos adversos do sistema nervoso de grau 3 ou 4 foi baixa, tanto na
primeira linha do estudo (4% R-FC, 4% FC) como no estudo em pacientes com LLC recaída / refratária (3%
R-FC, 3% FC).

Subpopulações
Monoterapia, quatro semanas de tratamento
Pacientes idosos (> 65 anos): a incidência de qualquer evento adverso a medicamento e de eventos adversos
graus 3 e 4 relacionados foi similar em pacientes idosos e jovens, sendo 88,3% versus 92%, para qualquer
evento adverso a medicamento, e 16,0% versus 18,1%, para eventos graus 3 e 4 relacionados.

Terapia em combinação
Pacientes idosos (> 65 anos): a incidência de eventos adversos do sistema sanguíneo e linfático graus 3 / 4 foi
maior nos pacientes idosos (> 65 anos), em comparação com pacientes mais jovens previamente não tratados
ou com LLC recaída ou refratária.

Doença volumosa “bulky” (tumores sólidos): pacientes com doença volumosa apresentaram maior incidência
de eventos adversos graus 3 e 4 relacionados que pacientes sem doença volumosa (25,6% versus 15,4%). A
incidência de qualquer evento adverso a medicamento foi semelhante nos dois grupos (92,3% em doença
volumosa versus 89,2% em doença não volumosa).

Retratamento com monoterapia: a porcentagem de pacientes que relataram qualquer evento adverso a
medicamento e eventos adversos graus 3 e 4 relacionados que receberam retratamento com ciclos
subsequentes de MabThera

?

foi similar ao porcentual de pacientes relatando qualquer evento adverso ou

eventos adversos graus 3 e 4 após a exposição inicial (95,0% versus 89,7%, para qualquer evento
relacionado, e 13,3% versus 14,8%, para eventos graus 3 e 4 relacionados).

Experiência originada dos estudos clínicos em artrite reumatoide
O perfil de segurança de MabThera

em artrite reumatoide moderada a grave está resumido a seguir.

As reações adversas apresentadas na Tabela 3 provêm de quatro estudos clínicos em artrite reumatoid



DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
  2. Derrame: Acúmulo anormal de líquido em qualquer cavidade ou órgão (derrame pleural, derrame pericárdico, derrame cerebral).
  3. Edema: Acúmulo anormal de líquido nos espaços intercelulares dos tecidos ou em diferentes cavidades corporais (peritôneo, pleura, articulações, etc.).
  4. Febre: Elevação da temperatura corporal acima de um valor normal, estabelecido entre 36,7ºC e 37ºC, quando medida na boca.
  5. Gânglios linfáticos: Estrutura pertencente ao sistema linfático, localizada amplamente em diferentes regiões superficiais e profundas do organismo, cuja função consiste na filtração da linfa (ver), maturação e ativação dos linfócitos, que são elementos importantes da defesa imunológica do organismo.
  6. Infarto: Morte de um tecido por irrigação sangüínea insuficiente. O exemplo mais conhecido é o infarto do miocárdio, no qual se produz a obstrução das artérias coronárias com conseqüente lesão irreversível do músculo cardíaco.
  7. Leucemia: Doença maligna caracterizada pela proliferação anormal de elementos celulares que originam os glóbulos brancos (leucócitos). Como resultado, produz-se a substituição do tecido normal por células cancerosas, com conseqüente diminuição da capacidade imunológica, anemia, distúrbios da função plaquetária, etc.
  8. Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de ???emergência infecciosa???.
  9. Sepse: Infecção produzida por um germe capaz de provocar uma resposta inflamatória em todo o organismo. Os sintomas associados a sepse são febre, hipotermia (ver), taquicardia (ver), taquipnéia (ver) e elevação na contagem de glóbulos brancos. Pode levar à morte, se não tratada a tempo e corretamente.
  10. Taquicardia: Aumento da freqüência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações (ver).
  11. Rash: Coloração avermelhada da pele como conseqüência de uma reação alérgica ou infecção.
  12. Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
  13. Vacina: Tratamento à base de bactérias, vírus vivos atenuados ou seus produtos celulares, que têm o objetivo de produzir uma imunização ativa no organismo para uma determinada infecção.
  14. Vasculite: Inflamação da parede de um vaso sangüíneo. ?? produzida por doenças imunológicas e alérgicas. Seus sintomas dependem das áreas afetadas.
  15. Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
  16. Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.
  17. Zoster: Doença produzida pelo mesmo vírus que causa a varicela (Varicela-Zóster)Em pessoas que já tenham tido varicela, o vírus se encontra em forma latente e pode ser reativado produzindo as características manchas avermelhadas, vesículas e crostas no território de distribuição de um determinado nervo. Como seqüela pode deixar neurite (ver), com dores importantes.

Síguenos

X