MAGNOSTASE

Para que serve MAGNOSTASE

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


Magnostase

®

– Comprimido - Bula para o paciente

I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO



MAGNOSTASE

cloridrato de loperamida

MEDICAMENTO SIMILAR EQUIVALENTE AO MEDICAMENTO DE REFERÊNCIA

APRESENTAÇÃO
Comprimido
Embalagens contendo 12 ou 200 comprimidos.

USO ORAL

USO ADULTO

COMPOSIÇÃO
Cada comprimido contém:
cloridrato de loperamida..........................................................................................................................2mg
excipiente q.s.p.........................................................................................................................1 comprimido
(lactose monoidratada, amido, celulose microcristalina, dióxido de silício e estearato de magnésio).

Magnostase

®

– Comprimido - Bula para o paciente

II – INFORMAÇÕES AO PACIENTE

1. PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?
Este medicamento é destinado ao tratamento de sintomas como:
- diarreia aguda sem causa específica, sem caráter infeccioso;
- diarreias crônicas espoliativas, associadas às doenças inflamatórias como Doença de Crohn e retocolite
ulcerativa;
- nas ileostomias e colostomias, que são cirurgias realizadas em partes do intestino denominadas íleo e
cólon, respectivamente, com excessiva perda de água e eletrólitos.

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

Na diarreia, o

MAGNOSTASE

faz com que as fezes fiquem mais sólidas e diminui a frequência de

evacuações.

MAGNOSTASE

tem seu início de ação desde a primeira tomada, ocorrendo uma redução

gradual da diarreia.
Estudos clínicos têm demonstrado que o início da ação da loperamida no controle da diarreia aguda
ocorre dentro das primeiras 1 a 2 horas seguidas da primeira dose.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Não utilize

MAGNOSTASE

em crianças.

Não tome

MAGNOSTASE

se você for alérgico ao cloridrato de loperamida, que é o componente ativo

do

MAGNOSTASE

, ou a qualquer outro componente da fórmula.

MAGNOSTASE

não deve ser usado nos casos de diarreia em que as fezes contenham sangue ou pus ou

sejam acompanhadas de febre.
Não use

MAGNOSTASE

se você estiver com constipação (“prisão de ventre") ou estiver com o

abdome distendido. Também não deve ser utilizado se você tiver inflamação no intestino delgado, sem
uma indicação específica do seu médico.

4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Informe seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início, ou durante o
tratamento.
Embora

MAGNOSTASE

seja um medicamento para tratar os sintomas da diarreia ele não trata a sua

causa. A causa da diarreia sempre que possível deve ser tratada.
Quando você está com diarreia, há uma grande perda de líquidos através das fezes, que devem ser
repostos através da ingestão de mais líquidos do que você normalmente toma.
Caso a diarreia aguda inesperada (diarreia que aparece repentinamente) não melhore dentro de um
período de 48 horas, ou se houver o aparecimento de febre, pare de tomar o medicamento e entre em
contato com seu médico.
Se ocorrer constipação (“prisão de ventre") durante o tratamento, o mesmo deverá ser suspenso. Caso a
"prisão de ventre" seja intensa, avise seu médico.
Se você tem AIDS e está sendo tratado com

MAGNOSTASE

para diarreia e apresentar qualquer sinal

de abdome distendido, pare de tomar

MAGNOSTASE

imediatamente e avise seu médico. Foram

observados casos isolados de constipação com risco aumentado de megacolo tóxico (dilatação e aumento
do tamanho de uma porção do intestino denominada cólon) em pacientes com AIDS e colite infecciosa
causada por vírus ou bactérias tratados com o cloridrato de loperamida.
Disfunção hepática
Informe seu médico se você tem problemas no fígado, pois você poderá necessitar de um
acompanhamento médico mais rigoroso.
Efeito sobre a capacidade de dirigir veículos e operar máquinas
Não há contra-indicações em tomar

MAGNOSTASE

se você dirige ou opera máquinas, a menos que

você esteja sentindo cansaço, tontura ou sonolência.
Gravidez e amamentação
Não se recomenda o uso de

MAGNOSTASE

durante a gravidez ou no período de amamentação, pois

pequenas quantidades de

MAGNOSTASE

podem aparecer no leite humano.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do
cirurgião-dentista.

Ingestão concomitante com outros medicamentos

Magnostase

®

– Comprimido - Bula para o paciente

Informe seu médico se você estiver tomando ou tomou recentemente qualquer outro medicamento. Estes
medicamentos incluem aqueles sem prescrição médica ou fitoterápicos. Particularmente, informe seu
médico se você estiver tomando qualquer um dos seguintes medicamentos:
- ritonavir (usado no tratamento de HIV);
- quinidina (usado no tratamento de arritmias do coração);
- desmopressina via oral (usada no tratamento de micção excessiva);
- itraconazol ou cetoconazol (usado no tratamento de infecções fúngicas);
- genfibrozila (usada para baixar os níveis de colesterol).
É esperado que os medicamentos com propriedades farmacológicas semelhantes possam potencializar o
efeito da loperamida e aqueles medicamentos que aceleram o trânsito intestinal possam diminuir seu
efeito.
Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.
Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?
Conservar em temperatura ambiente (entre 15 a 30°C). Proteger da luz e umidade.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

MAGNOSTASE

®

apresenta-se como comprimido circular, semiabaulado, sulcado, branco e isento de

partículas estranhas.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você
observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO? MAGNOSTASE

comprimidos deve ser utilizado somente em adultos. Os comprimidos devem ser

tomados com líquido.

O seguinte esquema médico é recomendado:
Diarreia aguda: a dose inicial sugerida é de 2 comprimidos (4mg), seguidos de 1 comprimido (2mg)
após cada subsequente evacuação líquida, até uma dose diária máxima de 8 comprimidos (16mg), ou a
critério médico.

Diarreia crônica: a dose diária inicial é de 2 comprimidos (4mg). Esta dose deve ser ajustada, até que 1 a
2 evacuações sólidas ao dia sejam obtidas, o que é conseguido, em geral, com uma dose diária média que
varia entre 1 a 6 comprimidos (2 mg a 12 mg).
A dose diária máxima não deve ultrapassar 8 comprimidos (16mg).

Duração do tratamento: Se você apresentar fezes sólidas ou endurecidas, ou se você já estiver há 24
horas sem evacuar, não tome mais o medicamento.

Lesão dos rins: não é necessário ajustar a dose se você tiver alguma lesão nos rins.

Lesão do fígado: MAGNOSTASE

deve ser usado com cuidado se você tiver alguma lesão no fígado.


Pacientes idosos: Não é necessário ajustar a dose para idosos.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do
tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.


7. O QUE DEVO FAZER QUANDO ESQUECER DE TOMAR ESSE MEDICAMENTO?
MAGNOSTASE

deve ser tomado regularmente para uso crônico ou como base necessária para diarreia

aguda. Se você tomar somente durante a diarreia, o esquecimento de dose não é um problema.
Se

MAGNOSTASE

está sendo tomado regularmente, as doses de

MAGNOSTASE

não devem ser

esquecidas. Se uma dose for esquecida, tome-a assim que se lembrar. Se estiver quase na hora da próxima

Magnostase

®

– Comprimido - Bula para o paciente

dose, pule esta dose e tome a próxima dose conforme prescrito. Não dobre a dose de

MAGNOSTASE

ao menos que seu médico tenha orientado.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

8. QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Como com qualquer medicamento,

MAGNOSTASE

pode causar eventos adversos, entretanto não são

todas as pessoas que apresentam estes eventos.
A segurança do cloridrato de loperamida para o tratamento da diarreia aguda e da diarreia crônica foi
avaliada em estudos clínicos. As reações adversas observadas nestes estudos estão descritas a seguir.
As reações adversas relatadas por ?1% dos pacientes tratados com

MAGNOSTASE

que participaram

de estudos clínicos de diarreia aguda foram: constipação (prisão de ventre), flatulência (gases), dor de
cabeça, náusea.
As reações adversas ao medicamento relatadas por < 1% dos pacientes tratados com

MAGNOSTASE

no conjunto de dados de estudos clínicos para diarreia aguda foram: tontura, boca seca, dor abdominal,
vômito, desconforto e distensão (inchaço) do abdomen, dor na parte superior do abdome, erupção
cutânea.
As reações adversas relatadas por ?1% dos pacientes tratados com

MAGNOSTASE

que participaram

de estudos clínicos de diarreia crônica foram: flatulência (gases), constipação (prisão de ventre), náusea,
tontura.
As reações adversas ao medicamento relatadas por < 1% dos pacientes tratados com

MAGNOSTASE

nos estudos clínicos de diarreia crônica foram: dor de cabeça, dor ou desconforto no abdome, boca seca,
dispepsia (indigestão).

Experiência pós-comercialização
As primeiras reações adversas identificadas durante a experiência pós-comercialização com o cloridrato
de loperamida estão descritas a seguir:

Reação muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento):
Distúrbios do Sistema Imunológico: alergia; reação anafiláticia (incluindo choque anafilático) e reação
anafilactoide (que são reações alérgicas graves).
Distúrbios do Sistema Nervoso: incapacidade de se movimentar de maneira coordenada, níveis
diminuídos de consciência, hipertonia (rigidez muscular), perda de consciência, sonolência, estupor
(diminuição acentuada da reação aos estímulos do ambiente).
Distúrbios dos Oftalmológicos: miose (contração da pupila dos olhos).
Distúrbios Gastrointestinais: íleo, incluindo íleo paralítico (obstrução do intestino devido a paralisia da
parede intestinal), megacolo, incluindo megacolo tóxico (dilatação e aumento do tamanho de uma porção
do intestino denominada cólon).
Distúrbios da Pele e do Tecido Subcutâneo: angioedema (inchaço de início repentino da pele, mucosas,
vísceras e cérebro), erupção bolhosa (incluindo Síndrome de Stevens-Johnson, necrólise epidérmica
tóxica e eritema multiforme), prurido (coceira), urticária (vermelhidão da pele).
Distúrbios Renais e Urinários: retenção urinária (dificuldade para urinar).
Distúrbios Gerais e Condições no Local da Administração: fadiga (cansaço extremo).
Pare de tomar MAGNOSTASE

e informe seu médico imediatamente se você notar ou suspeitar de

qualquer um dos seguintes eventos. Você poderá precisar de atendimento médico com urgência.
- inchaço repentino da face, lábios ou garganta, encurtamento da respiração, urticária, irritação intensa,
vermelhidão ou bolhas na pele. Estes podem ser sinais de hipersensibilidade intensa ou reação alérgica;
- cansaço ao extremo, estar incapaz de se movimentar de maneira coordenada, perda de consciência,
rigidez muscular, sonolência, diminuição acentuada da reação aos estímulos do ambiente.
- dor de estômago intensa, estômago distendido, inchaço ou febre podem ser resultantes de intestino
obstruído ou distendido.
Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis
pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

9. O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA
DESTE MEDICAMENTO?
Se por acidente, você ingeriu

MAGNOSTASE

em quantidades muito grandes, procure logo um médico,

principalmente se os seguintes sintomas aparecerem: rigidez muscular, movimentos sem coordenação,

Magnostase

®

– Comprimido - Bula para o paciente

sonolência, miose (contração das pupilas), diminuição dos movimentos da respiração, dificuldade para
urinar ou íleo (obstrução do intestino). As crianças são mais sensíveis que os adultos ao

MAGNOSTASE

.Se ocorrer ingestão acidental por crianças e algum dos sintomas descritos

anteriormente aparecerem, procure um médico imediatamente.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e
leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar
de mais orientações.

Magnostase

®

– Comprimido - Bula para o paciente

III – DIZERES LEGAIS


Registro M.S. nº 1.5584.0142
Farm. Responsável: Dr Marco Aurélio Limirio G. Filho CRF-GO nº 3524
Nº do Lote, Data de Fabricação e Prazo de Validade: VIDE CARTUCHO.

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA








Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A.
VPR 1 - Quadra 2-A - Módulo 4 – DAIA – Anápolis - GO - CEP 75132-020

CNPJ

05.161.069/0001-10 - Indústria Brasileira


Magnostase

®

– Comprimido - Bula para o paciente

7

ANEXO B

Histórico de Alteração da Bula

Dados da submissão eletrônica

Dados da petição/notificação que altera bula

Dados das alterações de bulas

Data do

expediente

No.

expediente

Assunto

Data do

expediente

N° do

expediente

Assunto

Data de

aprovação

Itens de bula

Versões

(VP/VPS)

Apresentações

relacionadas

05/02/2015

0115760/15-4

10457 - SIMILAR -

Inclusão Inicial de

Texto de Bula – RDC

60/12

05/02/2015

0115760/15-4

10457 - SIMILAR -

Inclusão Inicial de

Texto de Bula –

RDC 60/12

05/02/2015

Versão inicial

VP/VPS

Comprimido

2mg

06/02/2015

10756 - SIMILAR -

Notificação de

Alteração de Texto de

Bula para Adequação

a Intercambialidade

06/02/2015

10756 - SIMILAR -

Notificação de

Alteração de Texto

de Bula para

Adequação a

Intercambialidade

06/02/2015

I - IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO

Adição da frase sobre intercambialidade,

segundo RDC nº 58/2014.

VP/VPS

Comprimido

2mg



DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
  2. Edema: Acúmulo anormal de líquido nos espaços intercelulares dos tecidos ou em diferentes cavidades corporais (peritôneo, pleura, articulações, etc.).
  3. Febre: Elevação da temperatura corporal acima de um valor normal, estabelecido entre 36,7ºC e 37ºC, quando medida na boca.
  4. Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
  5. Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
  6. Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.

Síguenos

X