MALEATO DE DEXCLORFENIRAMINA

Para que serve MALEATO DE DEXCLORFENIRAMINA

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


maleato de dexclorfeniramina

“Medicamento genérico Lei n° 9.787, de 1999”


I) IDENTIFICAÇÃO DO MEDICAMENTO
maleato de dexclorfeniramina

APRESENTAÇÃO


Comprimidos de 2 mg.
Embalagem com 10, 20, 30 e 60 comprimidos.

USO ORAL


USO ADULTO E PEDIÁTRICO ACIMA DE 6 ANOS



COMPOSIÇÃO


Cada comprimido contém:
maleato de dexclorfeniramina..................................................................................................................2 mg
excipiente* q.s.p....................................................................................................................................1 com.
* lactose, amido, corante amarelo crepúsculo 6, corante vermelho ponceaux, estearato de magnésio,
gelatina e água purificada.

II) INFORMAÇÕES AO PACIENTE

1. PARA QUE ESTE MEDICAMENTO É INDICADO?
O maleato de dexclorfeniramina é destinado para alergias, prurido, rinite alérgica, urticária, picada de
inseto, conjuntivite alérgica, dermatite atópica (um tipo de inflamação na pele) e eczemas alérgicos
(dermatite).

COMO ESTE MEDICAMENTO FUNCIONA?

O maleato de dexclorfeniramina é um anti-histamínico ou antialérgico, por isso ajuda a reduzir os
sintomas da alergia, prevenindo os efeitos da histamina, que é uma substância produzida pelo próprio
organismo. Após administração oral de 2mg de maleato de clorfeniramina, seu início de ação ocorre em
30 minutos. A dexclorfeniramina possui ação anti-histamínica mais prolongada, com duração de até 48
horas.

QUANDO NÃO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?

Este medicamento é contraindicado em pacientes com hipersensibilidade aos componentes da fórmula ou
a outros anti-histamínicos de estrutura química similar.
O maleato de dexclorfeniramina, como os demais anti-histamínicos, não deve ser usado em prematuros
ou recém-nascidos e em pacientes que estão fazendo uso de inibidores da monoaminoxidase (IMAOs).
Este medicamento é contraindicado para menores de 6 anos.

4. O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?
Advertências
Mantenha este medicamento fora do alcance das crianças e animais domésticos. Não permita que outra
pessoa utilize este medicamento e não o utilize para tratar outras doenças. Não utilize este produto com
maior frequência ou em doses maiores do que o recomendado na bula.
Se você teve qualquer alergia séria ou qualquer reação incomum a outro produto para alergia,
tosse ou resfriado, ou se você desenvolveu algum tipo de reação enquanto estava tomando o maleato
de dexclorfeniramina, entre em contato com seu médico ou farmacêutico antes de continuar o
tratamento com este produto.
Este medicamento pode afetar o comportamento de algumas pessoas, tornando-as sonolentas, com tontura
e estado de alerta diminuído. Tenha certeza de como você reage a este medicamento antes de realizar
atividades que possam ser perigosas se você não estiver alerta.
Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir veículos ou operar máquinas, pois sua habilidade
e atenção podem estar prejudicadas.
Não se esqueça de dizer ao seu médico ou farmacêutico, antes de iniciar o tratamento com este produto,
se você tem glaucoma ou algum outro problema ocular, problemas no intestino ou estômago, úlcera,
próstata aumentada, entupimento das vias urinárias ou dificuldade em urinar, doença no coração, pressão

alta, problemas na tireoide ou problemas respiratórios, pois este medicamento deve ser usado com cautela
nestas situações.
O maleato de dexclorfeniramina comprimidos contêm corantes que podem, eventualmente, causar
reações alérgicas.
Este medicamento pode causar doping.
Precauções
Os antialérgicos têm efeito aditivo com o álcool e outros depressores do Sistema Nervoso Central, como
sedativos, hipnóticos e tranquilizantes.
Uso em idosos
Em pacientes com mais de 60 anos poderá causar maior sonolência, vertigem e pressão baixa.
Uso em crianças
Os antialérgicos podem causar excitação em crianças.
Uso durante a gravidez e amamentação
A segurança durante a gravidez ainda não foi comprovada. O maleato de dexclorfeniramina poderá ser
utilizado durante os primeiros dois trimestres de gestação somente se claramente necessário e sob estrito
acompanhamento médico.
Este produto não deverá ser utilizado durante o terceiro trimestre de gestação porque recém-
nascidos e prematuros poderão apresentar reações severas aos anti-histamínicos. Não foi
comprovado se o maleato de dexclorfeniramina
é excretado no leite materno e, portanto, deve
haver precaução na administração a mulheres que estão amamentando.
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do
cirurgião-dentista.
Interações Medicamentosas
Interações medicamento-medicamento
Os IMAOs prolongam e intensificam os efeitos dos anti-histamínicos, podendo ocorrer pressão baixa
grave. O uso de anti-histamínicos com álcool, medicamentos para depressão, pode potencializar os efeitos
sedativos. A ação dos anticoagulantes orais pode ser diminuída por anti-histamínicos. Depressores do
sistema nervoso central como sedativos, hipnóticos e tranquilizantes, podem potencializar os efeitos
sedativos.
Interações em testes laboratoriais
Comunique seu médico ou farmacêutico se você for fazer algum teste de pele para detectar alergia. O
tratamento com maleato de dexclorfeniramina deverá ser suspenso dois dias antes da execução do teste,
pois este medicamento poderá afetar os resultados.
Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum outro medicamento.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?
Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Proteger da luz e umidade.
Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.
Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.
Para sua segurança, mantenha o medicamento na embalagem original.
O maleato de dexclorfeniramina

apresenta-se na forma de comprimido na cor vermelha, circular,

biconvexo e monossectado.
Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de validade e você
observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.
Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

6. COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?
USO ORAL
Adultos e crianças maiores de 12 anos: 1 comprimido 3 a 4 vezes por dia. Não ultrapassar a dose máxima
de 12mg/dia (ou seja, 6 comprimidos/dia).
Crianças de 6 a 12 anos: 1/2 comprimido três vezes por dia. Um máximo de 6mg diários (ou seja, 3
comprimidos/dia).
Siga corretamente o modo de usar. Em caso de dúvidas sobre o medicamento, procure orientação
do farmacêutico. Não desaparecendo os sintomas, procure orientação de seu médico ou cirurgião-
dentista.
Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.

7. O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?

Se você se esquecer de tomar uma dose na hora certa, tome-a assim que possível e depois reajuste os
horários de acordo com a esta última tomada, continuando o tratamento de acordo com os novos horários
programados. Não dobre a dose para compensar a dose esquecida.
Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?

Poderá ocorrer sonolência leve ou moderada durante o uso deste medicamento.
Reações Comuns (ocorrem entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento): Sonolência
leve ou moderada durante o uso;
Reações raras (ocorrem entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento):
Cardiovasculares: pressão baixa; dor de cabeça; palpitação;
Gerais devido o uso de antialérgico: urticaria; prurido; erupções na pele; sensibilidade na pele quando
exposta ao sol; aumento do suor no corpo; calafrios; fraqueza; choque anafilático (reação alérgica grave);
Gastrintestinais: azia; desconforto gástrico; constipação; náusea;
Geniturinários: dor ao urinar; aumento da quantidade de micções; alterações no ciclo menstrual;
Hematológicos: anemia hemolítica; anemia hipoplásica; trombocitopenia e agranulocitose;
Neurológicos: visão borrada; nervosismo;
Respiratórios: espessamento das secreções brônquicas; compressão do tórax; desconforto nasal;
dificuldade respiratória.
Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis
pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.

9. O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A INDICADA
DESTE MEDICAMENTO?

Na ocorrência de superdose, o tratamento de emergência deve ser iniciado imediatamente. A dose letal de
dexclorfeniramina estimada no homem é de 2,5 a 5,0mg por Kg.
As manifestações podem variar desde depressão do Sistema Nervoso Central como: sedação, apneia
(suspensão da respiração), redução do estado de alerta mental, colapso no coração, excitação (insônia,
alucinações, tremores ou convulsões) até morte.
Outros sinais e sintomas podem incluir tontura, zumbidos, ataxia (incapacidade de coordenar os
movimentos musculares), visão opaca e pressão baixa. Excitação, assim como os sinais e sintomas
semelhantes à ação da atropina (manifestações no estômago e intestino, boca seca, pupilas fixas e
dilatadas, rubor e aumento da temperatura do corpo), são mais observadas em crianças.
Tratamento: considerar as medidas padrão para remoção de qualquer droga que não foi absorvida pelo
estômago, tais como: absorção por carvão vegetal ativado administrado sob a forma de suspensão em
água e lavagem gástrica. O agente preferido para a lavagem gástrica, em crianças, é a solução salina
fisiológica. Em adultos, poderá ser usada água filtrada; entretanto, antes de se proceder à instilação
seguinte, deverá ser retirado o maior volume possível do líquido já administrado. Os agentes catárticos
salinos atraem água para o intestino por osmose e, portanto, podem ser valiosos por sua ação diluente
rápida do conteúdo intestinal. Após administrar-se tratamento de emergência, o paciente deverá
permanecer sob observação clínica.
Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e
leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue para 0800 722 6001, se você precisar
de mais orientações.

Siga corretamente o modo de usar, não desaparecendo os sintomas procure orientação médica.

III) DIZERES LEGAIS

MS nº: 1.0583.0364
Farm.Resp.: Dra. Maria Geisa Pimentel de Lima e Silva
CRF-SP nº 8.082

Registrado por: GERMED FARMACÊUTICA LTDA.
Rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença, s/n°, Km 08
Chácara Assay – Hortolândia - SP - CEP 13186-901

CNPJ

45.992.062/0001-65
INDÚSTRIA BRASILEIRA


Fabricado por: EMS S/A
Hortolândia - SP

SAC 0800-747-6000
www.germedpharma.com.br


Esta bula foi atualizada conforme Bula Padrão aprovada pela Anvisa em 01/07/2014.




Histórico de alteração da bula

Dados da submissão eletrônica

Dados da petição/notificação que altera bula

Dados das alterações de bulas

Data do

expediente

N° do

expediente

Assunto

Data do

expediente

N° do

expediente

Assunto

Data de

aprovação

Itens de bula

Versões

(VP/VPS)

Apresentações

relacionadas

11/09/2014

-

10459 –

GENÉRICO –

Inclusão Inicial

de

Texto de Bula –

RDC 60/12

N/A

N/A

N/A

N/A

Adequação do texto da

bula à RDC 47/2009 e a

bula padrão do

medicamento de

referência

disponibilizada no

bulário eletrônico em

01/07/2014

VP / VPS

Embalagem

com 10, 20, 30

e 60

comprimidos.



DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
  2. Eczema: Doença da pele caracterizada pelo surgimento de lesões generalizadas sob forma de placas, manchas ou bolhas, devido a uma reação por contato local ou por ação de uma agressão sistêmica.
  3. Germe: Organismo microscópico (vírus, bactérias, parasitas unicelulares, fungos) capaz de produzir doenças no homem e outros animais.
  4. Glaucoma: Aumento da pressão intra-ocular que se manifesta por dor de cabeça, olho vermelho e, se não tratado, pode produzir perda de visão a longo prazo.
  5. Palpitação: Percepção subjetiva dos batimentos cardíacos. Pode apresentar-se durante algumas arritmias cardíacas ou mesmo em pessoas com ritmo normal. Neste último caso, são distúrbios benignos associados a diversos distúrbios de ansiedade.
  6. Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
  7. Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.

Síguenos

X