MANIVASC

Para que serve MANIVASC

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


CHIESI FARMACÊUTICA LTDA.

Fábrica

Escritório

Rua Giacomo Chiesi, 151, km 39,2

Rua Alexandre Dumas, 1658, 12º/13º. And

Estrada dos Romeiros - Santana de Parnaíba

Chácara Santo Antonio

CEP

06500-970 São Paulo – SP

CEP

04717-004 São Paulo-SP

Telefone: 11 4622-8500

Telefone: 11 3095-2300

Fax: 11 4154-1679

Fax: 11 3095-2350

pectoris instável – dor no tórax decorrente de falta de oxigenação no coração - ou
insuficiência cardíaca não tratada).

Este medicamento nãoé indicado para uso pediátrico, pois até a presente data não foram
realizados estudos clínicos suficientes em crianças para justificar seu uso.

Este medicamento é contraindicado para uso por crianças.

Gravidez e lactação:
Este medicamento é contraindicado durante a gravidez e a lactação.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação
médica ou do cirurgião-dentista.

O QUE DEVO SABER ANTES DE USAR ESTE MEDICAMENTO?


Informe seu médico se você possui algum problema no fígado (função hepática). Neste
caso, seu médico irá avaliar qual a dose apropriada do medicamento para que você não
apresente uma diminuição muito acentuada na pressão.

Informe seu médico se você tem algum problema no coração, como, por exemplo,
disfunção cardíaca ventricular esquerda, obstrução do fluxo de saída do canal do
ventrículo esquerdo, falência cardíaca direita, nódulo sinusial sem marcapasso ou
problemas coronarianos.

Se você apresentar problemas de intolerância a alguns tipos de açúcar (como, por
exemplo, lactose), entre em contato com o seu médico antes de utilizar este
medicamento.

Efeitos sobre a Capacidade de Conduzir e Utilizar Máquinas
Ocasionalmente, em algumas pessoas durante o tratamento de hipertensão pode ocorrer
tontura. Se você apresentar este sintoma, converse com o seu médico antes de tentar
dirigir ou usar máquinas.

Interações medicamentosas

O uso de Manivasc

®

com outros medicamentos para o tratamento da hipertensão arterial,

como, por exemplo, diuréticos, betabloqueadores ou outros anti-hipertensivos, deve ser
feito com cuidado e somente sob orientação médica, pois pode ocorrer um aumento dos
efeitos farmacológicos, levando a uma queda acentuada da pressão arterial.

Informe seu médico se você estiver utilizando medicamentos que influenciam o
metabolismo do manidipino, tais como antiprotease, cimetidina, certos antibióticos
(usados no tratamento de patologias bacterianas como claritromicina, eritromicina e
rifampicina), ou alguns antimicóticos (usados para tratar infecções fúngicas, como

CHIESI FARMACÊUTICA LTDA.

Fábrica

Escritório

Rua Giacomo Chiesi, 151, km 39,2

Rua Alexandre Dumas, 1658, 12º/13º. And

Estrada dos Romeiros - Santana de Parnaíba

Chácara Santo Antonio

CEP

06500-970 São Paulo – SP

CEP

04717-004 São Paulo-SP

Telefone: 11 4622-8500

Telefone: 11 3095-2300

Fax: 11 4154-1679

Fax: 11 3095-2350

cetoconazol e itraconazol), fenitoína, carbamazepina, fenobarbital, terfenadina, astemisola
ou antiarrítmicos da classe III (usados para ajustar a frequência cardíaca, como a
amiodarona e a quinidina).
O uso de Manivasc

®

com digoxina pode elevar os níveis plasmáticos da digoxina.


Se você estiver utilizando qualquer um dos medicamentos mencionados acima, seu
médico poderá prescrever outro medicamento ou ajustar a dose dos medicamentos.

Interações alimentares
O uso de álcool durante o tratamento com Manivasc

®

pode intensificar a redução da

pressão sanguínea causada pelo manidipino.
A absorção de manidipino é aumentada pela presença de alimento no trato gastrintestinal.

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se você está fazendo uso de algum
outro medicamento.

Não use medicamento sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para
a sua saúde.

5. ONDE, COMO E POR QUANTO TEMPO POSSO GUARDAR ESTE MEDICAMENTO?

Manivasc

®

deve ser guardado dentro da embalagem original, em temperatura ambiente

(15ºC – 30ºC) e protegido da luz.

Número de lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem.

Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua
embalagem original

Os comprimidos de Manivasc

®

de 10 mg têm formato arredondado, apresentam marca

para quebra (sulco) no caso de uso de meia-dose e cor amarelada.

Os comprimidos de Manivasc

®

de 20 mg têm formato oval, apresentam marca para

quebra (sulco) no caso de uso de meia-dose e cor amarelada.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento. Caso ele esteja no prazo de
validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para
saber se poderá utilizá-lo.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

COMO DEVO USAR ESTE MEDICAMENTO?


Posologia

CHIESI FARMACÊUTICA LTDA.

Fábrica

Escritório

Rua Giacomo Chiesi, 151, km 39,2

Rua Alexandre Dumas, 1658, 12º/13º. And

Estrada dos Romeiros - Santana de Parnaíba

Chácara Santo Antonio

CEP

06500-970 São Paulo – SP

CEP

04717-004 São Paulo-SP

Telefone: 11 4622-8500

Telefone: 11 3095-2300

Fax: 11 4154-1679

Fax: 11 3095-2350

A dose inicial recomendada é de 1 comprimido de 10 mg, a cada 24 horas (uma vez ao
dia), administrado por via oral.
Após 2 a 4 semanas de tratamento, no caso do efeito anti-hipertensivo ser insuficiente,
seu médico pode aumentar a dosagem para uma dose de 20 mg, a cada 24 horas (uma
vez ao dia).
O comprimido deve ser tomado pela manhã após o desjejum, sem mastigar, com um
pouco de líquido. Você deve tentar tomar sua dose diária no mesmo horário todos os dias.

Caso você apresente insuficiência das atividades do fígado ou rim ou possua mais de 65
anos, seu médico avaliará seu caso e poderá solicitar a diminuição da dose a ser
utilizada.


Se você estiver fazendo uso de diuréticos ou outros anti-hipertensivos é possível que seu
médico inicie o tratamento com doses reduzidas. Após 2 a 4 semanas de tratamento,
dependendo da resposta e controle da pressão, a posologia poderá ser aumentada por
seu médico.

No tratamento da hipertensão arterial, a dose inicial usual é de 10 mg, em dose única
diária, podendo ser aumentada pelo seu médico para a dose máxima de 20 mg ao dia,
dependendo da resposta individual do paciente. Portanto, o limite máximo diário de
administração recomendado é de 20 mg de Manivasc

®

, sendo assim de 2 comprimidos de

10 mg ou 1 comprimido de 20 mg.

Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a
duração do tratamento. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu
médico.

O QUE DEVO FAZER QUANDO EU ME ESQUECER DE USAR ESTE MEDICAMENTO?


Se você se esquecer de tomar uma dose do medicamento, tome-o tão logo quando se
lembrar. Se estiver próximo da hora da próxima dose, espere e tome o medicamento
“pulando” a dose esquecida. A dose não deve ultrapassar a quantidade diária
recomendada pelo médico.

Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou
cirurgião-dentista.

QUAIS OS MALES QUE ESTE MEDICAMENTO PODE ME CAUSAR?


Como todos os medicamentos, Manivasc

®

pode proporcionar efeitos adversos.


Reação comum (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento):
Palpitações, fogachos (calor repentino), edema (inchaço), dor de cabeça, tontura e

CHIESI FARMACÊUTICA LTDA.

Fábrica

Escritório

Rua Giacomo Chiesi, 151, km 39,2

Rua Alexandre Dumas, 1658, 12º/13º. And

Estrada dos Romeiros - Santana de Parnaíba

Chácara Santo Antonio

CEP

06500-970 São Paulo – SP

CEP

04717-004 São Paulo-SP

Telefone: 11 4622-8500

Telefone: 11 3095-2300

Fax: 11 4154-1679

Fax: 11 3095-2350

vertigens. Estas reações ocorrem devido às propriedades vasodilatadoras do manidipino,
são dependentes das doses administradas e podem desaparecer espontaneamente com
a continuidade do tratamento.

Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento):
Aumento dos batimentos cardíacos, dificuldade de respirar (dispneia), náuseas, vômitos,
constipação, secura da boca, alterações gastrointestinais, erupção cutânea, inflamação
na pele com vermelhidão e coceira (eczema), fraqueza, hipotensão (pressão baixa),
parestesia (sensação de dormência ou formigamento involuntário, ou seja, sem estímulo
aparente) e alteração transitória de algumas enzimas detectáveis em exame de sangue
(ALT, AST, LDH, Gama GT, ALP, creatinina e nitrogênio ureico).

Reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento):
Dor abdominal, coceira, irritabilidade, eritema, dor de estômago, hipertensão, sonolência,
dor no tórax (dor devido a um fornecimento inadequado de sangue ao coração – angina
pectoris), diarreia, diminuição do apetite (anorexia), testes sanguíneos anormais (por
exemplo, bilirrubina aumentada) e icterícia.

Reação muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este
medicamento): ataque cardíaco, aumento da frequência e da intensidade de ataques em
pacientes que sofrem de angina pectoris, inflamação e inchaço das gengivas, os quais
normalmente diminuem com a suspensão do tratamento e que requerem certo cuidado
odontológico.

Reação com frequência desconhecida (a frequência não pode ser estimada a partir dos
dados disponíveis): eritema multiforme (vermelhidão anormal na pele) e dermatite
esfoliativa (doença de pele com vermelhidão anormal e com descamação).

Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de
reações indesejáveis pelo uso do medicamento. Informe também à empresa através
do seu serviço de atendimento.

9. O QUE FAZER SE ALGUÉM USAR UMA QUANTIDADE MAIOR DO QUE A
INDICADA DESTE MEDICAMENTO?

Se por alguma circunstância você tomou mais Manivasc

®

do que o recomendado,

consulte imediatamente seu médico ou o farmacêutico.
Uma sobredose pode provocar uma maior redução da pressão arterial.

Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente
socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível. Ligue
para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.

DIZERES LEGAIS

CHIESI FARMACÊUTICA LTDA.

Fábrica

Escritório

Rua Giacomo Chiesi, 151, km 39,2

Rua Alexandre Dumas, 1658, 12º/13º. And

Estrada dos Romeiros - Santana de Parnaíba

Chácara Santo Antonio

CEP

06500-970 São Paulo – SP

CEP

04717-004 São Paulo-SP

Telefone: 11 4622-8500

Telefone: 11 3095-2300

Fax: 11 4154-1679

Fax: 11 3095-2350

VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA
Reg.

M.S.

1.0058.0089
Farm. Resp.: Dra. C. M. H. Nakazaki
CRF-SP nº 12.448

Fabricado por: Chiesi Farmaceutici S.p.A. Itália
Importado e embalado por:
CHIESI Farmacêutica Ltda.
Uma empresa do Grupo Chiesi Farmaceutici S.p.A.
Rua Dr. Giacomo Chiesi nº 151 - Estrada dos Romeiros km 39,2 - Santana de Parnaíba -
SP
CNPJ nº 61.363.032/0001-46 -

®

Marca Registrada - Indústria Brasileira

SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor): 0800-114525
www.chiesi.com.br

OU

CHIESI Farmacêutica Ltda.
Uma empresa do Grupo Chiesi Farmaceutici S.p.A.
Rua Dr. Giacomo Chiesi nº 151 - Estrada dos Romeiros km 39,2 - Santana de Parnaíba -
SP
CNPJ nº 61.363.032/0001-46 -

®

Marca Registrada - Indústria Brasileira

SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor): 0800-114525
www.chiesi.com.br

Esta bula foi aprovada pela ANVISA em (dia/mês/ano).





MANIVASC_COM_100580089_VP2



DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
  2. Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (p. ex. cálculos biliares, hepatite).
  3. Dermatite: Inflamação das camadas superficiais da pele, que pode apresentar-se de formas variadas (dermatite seborreica, dermatite de contato...) e é produzida pela agressão direta de microorganismos, substância tóxica ou por uma resposta imunológica inadequada (alergias, doenças auto-imunes).
  4. Edema: Acúmulo anormal de líquido nos espaços intercelulares dos tecidos ou em diferentes cavidades corporais (peritôneo, pleura, articulações, etc.).
  5. Eczema: Doença da pele caracterizada pelo surgimento de lesões generalizadas sob forma de placas, manchas ou bolhas, devido a uma reação por contato local ou por ação de uma agressão sistêmica.
  6. Icterícia: Pigmentação amarelada da pele e mucosas devido ao aumento da concentração de bilirrubina no sangue. Pode ser acompanhada de sintomas como colúria (ver), prurido, etc. Associa-se a doenças hepáticas e da vesícula biliar, ou à hemólise (ver).
  7. Marcapasso: Dispositivo eletrônico utilizado para proporcionar um estímulo elétrico periódico para excitar o músculo cardíaco em algumas arritmias do coração (ver). Em geral são implantados sob a pele do tórax.
  8. Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.

Síguenos

X