Rabeprazol Basi

Para que serve Rabeprazol Basi

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


APROVADO EM 06-12-2015 INFARMED FOLHETO INFORMATIVO

INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

Rabeprazol Basi 10 mg Comprimido gastrorresistente
Rabeprazol Basi 20 mg Comprimido Gastrorresistente
Rabeprazol

Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento.
Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler.
Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.
Este medicamento foi receitado para si. Não deve dá-lo a outros; o medicamento pode
ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sintomas.
Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários
não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Neste folheto:
1. O que é Rabeprazol Basi e para que é utilizado
2. Antes de tomar Rabeprazol Basi
3. Como tomar Rabeprazol Basi
4. Efeitos secundários possíveis
5. Como conservar Rabeprazol Basi
6. Outras informações


O QUE É Rabeprazol Basi E PARA QUE É UTILIZADO

Rabeprazol Basi pertence a uma classe de medicamentos chamada Inibidores da Bomba
de Protões.

Rabeprazol Basi está indicado para tratar doentes diagnosticados com úlcera duodenal
activa, úlcera gástrica benigna activa (úlcera péptica), doença de refluxo gastro-esofágico
sintomática, erosiva ou ulcerativa (DRGE), geralmente referida como uma inflamação do
esófago causada pelo ácido e associada à azia, ou para tratamento prolongado da DRGE
(tratamento de manutenção da DRGE). Os comprimidos de Rabeprazol Basi são também
usados para o tratamento sintomático da doença de refluxo gastro-esofágico, moderada a
muito grave (DRGE sintomática), também associada a azia. Rabeprazol Basi
comprimidos actuam reduzindo a quantidade de ácido produzido pelo estômago. Isto
permite a cura de úlceras e melhoria dos sintomas da dor. Rabeprazol Basi às vezes
também é administrado a doentes cujo estômago produz grandes quantidades de ácido,
situação designada como Síndrome de Zollinger-Ellison. Em associação com dois
antibióticos apropriados (claritromicina e amoxicilina), Rabeprazol Basi é usado para a
erradicação da infecção pelo H. pylory em doentes com úlcera péptica. Para mais
informações sobre os componentes antibióticos na terapêutica para a erradicação do H.
pylory, consultar os respectivos folhetos informativos.

Rabeprazol Basi não é recomendado para crianças
APROVADO EM 06-12-2015 INFARMED 2. ANTES DE TOMAR Rabeprazol Basi

Não tome este medicamento sem consultar o seu médico.
Não tome Rabeprazol Basi:
Se tem alergia (hipersensibilidade) à substância activa ou a qualquer outro componente
de Rabeprazol Basi.

Tome especial cuidado com Rabeprazol Basi :
Se é alérgico a outros inibidores da bomba de protões;
Se lhe foi diagnosticado um tumor no estômago;
Se está, ou pensa que poderá estar, grávida, ou a amamentar;
Se tem menos de 12 anos;
Se tem uma história de doença hepática;
Se está a tomar um dos seguintes medicamentos: digoxina ou cetoconazol; Fale com o seu médico antes de tomar Rabeprazol Basi: • se já teve reações cutâneas após tratamento com um medicamento similar a Rabeprazol Basi que reduza a acidez do estômago. No caso de sofrer uma erupção cutânea, especialmente em áreas da pele expostas ao sol, fale com o seu médico o mais cedo possível, dado que poderá ter de interromper o seu tratamento com Rabeprazol Basi. Lembre-se de mencionar igualmente quaisquer outros efeitos adversos, tal como dores nas articulações.
Ao tomar Rabeprazol Basi com outros medicamentos:
Informe o seu médico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros
medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Gravidez e aleitamento
Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

Condução de veículos e utilização de máquinas
É improvável que Rabeprazol Basi afecte a capacidade de condução ou de utilização de
máquinas.
Contudo, raramente o rabeprazol sódico pode causar sonolência. Portanto, evite conduzir
e trabalhar com máquinas se este efeito surgir durante o tratamento.


COMO TOMAR Rabeprazol Basi

Tome Rabeprazol Basi sempre de acordo com as indicações do seu médico. Fale com o
seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Quantos comprimidos deve tomar? Quando e quantas vezes deve tomar?
Tome o Rabeprazol Basi segundo as instruções do seu médico ou farmacêutico. Não
altere a dose ou duração do tratamento.
APROVADO EM 06-12-2015 INFARMED A dose usual recomendada que irá ser prescrita pelo seu médico deve ser tomada por via
oral com um copo de água, uma vez por dia, pela manhã e antes de comer: indicações
agudas - úlcera duodenal activa, úlcera gástrica activa benigna (úlceras pépticas), doença
de refluxo esofágico erosiva ou ulcerativa (DRGE) - 20 mg; tratamento sintomático da
doença de refluxo gastro-esofágico moderado a muito grave (DRGE sintomático) - 10 mg
tratamento de manutenção da DRGE - 20 mg ou 10 mg.

Para tratar situações em que o estômago produz quantidades extremamente elevadas de
ácido, como o Síndrome Zollinger-Ellison, a dose usual recomendada, que o seu médico
irá prescrever para começar, é de três comprimidos de 20 mg por dia. A dose pode ser
então ajustada pelo seu médico, dependendo da resposta ao tratamento. O seu médico dir-
lhe-á quantos comprimidos deve tomar e quando tomá-los.

A dose usual recomendada que irá ser prescrita pelo seu médico para a erradicação da
infecção por H. Pylori é 20 mg (em associação com dois antibióticos- 500 mg de
claritromicina e 1g de amoxicilina) duas vezes por dia, durante 7 dias.

Deve engolir o comprimido inteiro com água. Não o mastigue nem esmague.
Para mais informação sobre os outros componentes da terapêutica de erradicação do H.
Pylori, consulte os folhetos informativos dos outros medicamentos.

Por quanto tempo deve tomar Rabeprazol Basi?
Se tiver uma úlcera duodenal activa, deve continuar o seu tratamento com Rabeprazol
Basi durante quatro semanas, mas após este período o seu médico decidirá se deve ou não
continuar o tratamento por mais quatro semanas.

Se tiver uma úlcera gástrica benigna activa, deve continuar o seu tratamento com
Rabeprazol Basi durante seis semanas, mas após este período o seu médico decidirá se
deve ou não continuar o tratamento por mais seis semanas.

Se tiver uma doença de refluxo esofágico erosiva ou ulcerativa (DRGE), deverá ter
indicações do seu médico ou farmacêutico para tomar o Rabeprazol Basi durante quatro a
oito semanas. Para tratamento prolongado de DRGE, o seu médico ou farmacêutico
aconselhá-lo-ão durante quanto tempo deve tomar os comprimidos. Se está a fazer um
tratamento prolongado deve procurar o seu médico em intervalos regulares para revisão
dos comprimidos e sintomas.

Se tiver uma doença de refluxo gastro-esofágico moderada a muito grave (DRGE
sintomático), é de esperar que o seu tratamento com Rabeprazol Basi continue até quatro
semanas. Se os seus sintomas não passarem dentro dum período de quatro semanas
consulte o seu médico. Seguindo este tratamento inicial de 4 semanas, se os sintomas
voltarem, o seu médico deve então dizer-lhe para tomar um comprimido de Rabeprazol
Basi 10 mg quando for necessário, para controlar os seus sintomas.

Se tiver uma situação em que o seu estômago produz quantidades extremamente elevadas
de ácido, chamada Síndrome Zollinger-Ellison, o seu médico ou farmacêutico dir-lhe-á APROVADO EM 06-12-2015 INFARMED por quanto tempo deve tomar os comprimidos. Se está a fazer um tratamento prolongado
deve consultar o seu médico em intervalos regulares para rever os comprimidos que está
a tomar e os sintomas.

O tratamento para a erradicação da infecção por H. pylori com Rabeprazol Basi (em
associação com dois antibióticos) durará 7 dias.

O alívio dos sintomas ocorrerá normalmente antes da cura total da úlcera. Portanto é
importante que não termine o tratamento antes que o seu médico lhe diga para o fazer.

Quando é que o tratamento começará a fazer efeito?
Os ensaios clínicos sugerem que a dor melhorará após os primeiros dias de tratamento
com Rabeprazol Basi. No entanto o tempo de alívio da dor varia de doente para doente.

Se Tomar mais Rabeprazol Basi do que deveria
Não tome mais comprimidos por dia do que aqueles que lhe foram prescritos. Se tomou
demasiados comprimidos de Rabeprazol Basi em relação à prescrição consulte o seu
médico ou o departamento de urgências do hospital mais próximo. Leve sempre os
comprimidos e a embalagem consigo para o hospital, para que o médico saiba o que é
que tomou.

Caso se tenha esquecido de tomar Rabeprazol Basi
Não tome uma dose a dobrar para compensar um comprimido que se esqueceu de tomar.
Se se esqueceu de tomar um comprimido, tome um logo que se lembrar, e continue
normalmente.
Se se esqueceu de tomar o medicamento por mais de 5 dias, informe o seu médico antes
de tomar mais algum comprimido.


EFEITOS SECUNDÁRIOS POSSÍVEIS

Como todos os medicamentos, Rabeprazol Basi pode causar efeitos secundários, no
entanto estes não se manifestam em todas as pessoas.

Têm vindo a ser descritos casos de cefaleias, diarreias, dor abdominal, astenia (fraqueza),
flatulência (gases), e boca seca ligado ao uso de Rabeprazol Basi comprimidos.

Outros efeitos descritos durante o tratamento com Rabeprazol Basi foram: rinites,
faringites, náuseas, vómitos, dores inespecíficas, dores nas costas, dores musculares,
dores no peito, dores nas articulações, tonturas, síndrome tipo-gripal, infecção, tosse,
obstipação e insónia. Outros efeitos indesejáveis menos frequentes foram dispepsia
(indigestão), nervosismo, sonolência, bronquite, sinusite, arrepios, eructação (arrotos),
cãibras nas pernas, infecção do tracto urinário, febre, aumento da mama, retenção de
líquidos e, em alguns casos isolados, anorexia, gastrite, aumento de peso, problemas nos
rins, depressão, prurido, perturbações da visão ou do paladar, estomatite (boca
inflamada), sudação e leucocitose (aumento dos glóbulos brancos). APROVADO EM 06-12-2015 INFARMED
Na maioria destes casos, os efeitos secundários descritos têm sido de gravidade
moderada, de curta duração, resolvendo-se sem necessidade de parar o tratamento.

Durante o tratamento com Rabeprazol Basi foram descritos os seguintes efeitos
secundários: erupção cutânea, vermelhidão da pele, comichão da pele e, raramente,
bolhas, problemas de fígado e reacções agudas generalizadas, como por exemplo, cara
inchada, baixa pressão sanguínea e falta de ar. Se verificar algum destes efeitos, pare de
tomar Rabeprazol Basi e consulte o seu médico.

Raramente pode surgir uma diminuição nos glóbulos brancos e/ou plaquetas sanguíneas.
Deve procurar o seu médico imediatamente se tiver algumas nódoas negras inexplicadas.

Muito raramente pode ter reacções cutâneas alérgicas graves como bolhas e/ou dor ou
úlcera na boca e garganta. Frequência desconhecida: erupções cutâneas, possivelmente acompanhadas de dores nas articulações.
Informe o seu médico se tiver algum destes efeitos e se sentir demasiado incómodo.
Informe também o seu médico, se ocorrer algum outro efeito enquanto está a tomar
Rabeprazol Basi.

Para mais informações sobre os outros componentes utilizados no tratamento de
erradicação do Helicobacter pilori, ver o folheto informativo de cada produto.

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários
não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.


COMO CONSERVAR Rabeprazol Basi

Como é que os comprimidos de Rabeprazol Basi devem ser guardados?
Conservar a temperatura inferior a 25ºC.
Conservar na embalagem de origem.

Como todos os medicamentos, Rabeprazol Basi deve ser armazenado num lugar seguro,
onde as crianças não consigam ver nem alcançar. Este medicamento é para si. Só um
médico o pode prescrever. Não o partilhe com ninguém. Pode prejudicá-los, mesmo que
tenham os mesmos sintomas.

Nunca tome Rabeprazol Basi após a data de validade (mês e ano) que está inscrita na
embalagem e no blister. Deixe ficar os comprimidos no blister. Tire um só quando for
tomá-lo. Se o seu médico parou com o tratamento, é aconselhável devolver
medicamentos antigos ao farmacêutico, que se irá desfazer deles de forma segura.
APROVADO EM 06-12-2015 INFARMED

OUTRAS INFORMAÇÕES

O que é que pode fazer para se ajudar a si próprio?
Ulcera Péptica (Ulcera Duodenal e
Gástrica) Doença de refluxo gastro-esofágico
(Esofagite) Recomendado Evitar Recomendado Evitar Tome refeições
regulares
relaxadamente Não beba álcool Agache-se para
apanhar objectos
Não se incline a
partir
da cintura Evite alimentos que
o façam sentir mal
(ou piorem os
sintomas) Não fume Levante 20 cm a
cabeceira da sua
cama Não durma na
horizontal.
Tente reduzir o seu
peso, se tiver peso
em
excesso. Evite
alimentos que o
façam sentir mal (ou
piorem os sintomas) Não fume nem vista
roupas apertadas.

O problema de demasiado ácido!
O seu médico prescreveu-lhe Rabeprazol Basi com o objectivo de tratá-lo de uma úlcera
duodenal ou de uma úlcera gástrica (também chamada úlcera péptica) ou doença de
refluxo gastro-esofágico referida normalmente como uma inflamação ácida da garganta
ou azia.

O que é uma úlcera péptica?
Uma úlcera péptica é uma pequena área no estômago ou na primeira parte do intestino
delgado (o duodeno), onde o revestimento protector desapareceu. A úlcera péptica tem
semelhanças com outras úlceras. Geralmente, as úlceras causam dor.

Quais são as causas da úlcera péptica?
O estômago tem ligação directa ao duodeno. A úlcera começa quando o ácido,
normalmente presente no estômago, ataca uma pequena parte da parede do estômago ou
duodeno. O estômago é normalmente protegido por uma camada protectora, mas a úlcera
começa onde essa mesma camada é danificada; ou, quando uma grande quantidade de
ácido se desloca do estômago para o duodeno, o qual não tem camada protectora. Tais
úlceras não se conseguem curar sozinhas, quando há um fluxo contínuo do ácido gástrico.

O que é doença de refluxo gastro-esofágico (esofagite/DRGE)?
APROVADO EM 06-12-2015 INFARMED Doença de refluxo gastro-esofágico (esofagite/DRGE) é quando o esófago ou a garganta
começam a ficar inflamados, inchados e ulcerados devido a repetidas exposições ao ácido
do estômago.

O que é que provoca a doença de refluxo gastro-esofágico (esofagite/DRGE)?
O estômago é normalmente protegido do ácido que produz pela camada protectora. Mas,
tal como o duodeno também o esófago não tem essa camada protectora. O esófago ou
garganta têm ligação directamente ao estômago. Quando o ácido gástrico retorna à
garganta esta torna-se inflamada, inchada e ulcerada. Reduzindo a quantidade de ácido
gástrico consegue-se obter a cura da inflamação e alívio da dor ou azia.

Se quiser saber mais informações em relação ao seu medicamento, pergunte ao seu
médico ou farmacêutico. Eles têm mais informação.

Qual a composição de Rabeprazol Basi
A substância activa no Rabeprazol Basi é rabeprazol sódico.

Os outros componentes são:
- Comprimidos a 10 mg
Núcleo do comprimido: manitol, óxido de magnésio pesado, hidroxipropilcelulose de
baixa substituição, L-hidroxipropilcelulose, estearato de magnésio.
Subrevestimento: etilcelulose, óxido de magnésio pesado.
Revestimento entérico: ftalato de hipromelose, dibutilo sebacato, talco, dióxido de titânio
(E171), óxido de ferro vermelho (E172).
- Comprimidos a 20 mg
Núcleo do comprimido: manitol, óxido de magnésio peado, hidroxipropilcelulose de
baixa substituição, L-hidroxipropilcelulose, estearato de magnésio.
Subrevestimento: etilcelulose, óxido de magnésio pesado.
Revestimento entérico: ftalato de hipromelose, dibutilo sebacato, talco, dióxido de titânio
(E171), óxido de ferro amarelo (E172).

Qual o aspecto de Rabeprazol Basi e conteúdo da embalagem
Rabeprazol Basi está disponível em comprimidos gastrorresistentes:
- comprimidos redondos cor-de-rosa com 10 mg de rabeprazol sódico.
- comprimidos redondos amarelos com 20 mg de rabeprazol sódico.

Embalagens de blister Alu/Alu com 14, 20, 28, 56, 60, 98 ou 120 comprimidos.
É possível que não sejam comercializadas todas as embalagens.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante
Laboratórios Basi – Indústria Farmacêutica, S.A. Parque Industrial Manuel Lourenço Ferreira, Lote 15 3450-232 Mortágua – Portugal Tel.: + 351 231 920 250 Fax: + 351 231 921 055 APROVADO EM 06-12-2015 INFARMED [email protected] Fabricantes Laboratórios Basi – Indústria Farmacêutica, S.A. Parque Industrial Manuel Lourenço Ferreira, Lote 15 e 16 3450-232 Mortágua Portugal Laboratorios Liconsa S.A. Av. Miralcampo, nº7, Polígono Industrial Miralcampo 19200 Azuqueca de Henares – Guadalajara Espanha
Este folheto foi aprovado pela última vez em


DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Faringite: Inflamação da mucosa faríngea em geral de causa bacteriana ou viral. Caracteriza-se por dor, dificuldade para engolir e vermelhidão da mucosa, acompanhada de exsudatos (ver) ou não.
  2. Febre: Elevação da temperatura corporal acima de um valor normal, estabelecido entre 36,7ºC e 37ºC, quando medida na boca.
  3. Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago (ver). Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
  4. Leucocitose: Aumento da contagem de leucócitos no sangue periférico como resposta a uma infecção, inflamação ou outra agressão externa.
  5. Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
  6. Tala: Instrumento ortopédico utilizado freqüentemente para imobilizar uma articulação ou osso fraturado. Pode ser de gesso ou material plástico.
  7. Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.

Síguenos

X