Rabeprazol Pharmakern

Para que serve Rabeprazol Pharmakern

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


FOLHETO INFORMATIVO

INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

Rabeprazol Pharmakern 10 mg comprimidos gastrorresistentes Rabeprazol Pharmakern 20 mg comprimidos gastrorresistentes

Rabeprazol sódico

Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento.

- Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler.

- Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.

- Este medicamento foi receitado para si. Não deve dá-lo a outros; o medicamento pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sintomas.

- Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto informe o seu médico ou farmacêutico.

Neste folheto: 1. O que é Rabeprazol Pharmakern e para que é utilizado

2. Antes de tomar Rabeprazol Pharmakern

3. Como tomar Rabeprazol Pharmakern 4. Efeitos secundários possíveis

5. Como conservar Rabeprazol Pharmakern

6. Outras informações

1. O QUE É RABEPRAZOL PHARMAKERN E PARA QUE É

UTILIZADO

Rabeprazol Pharmakern pertence a uma classe de medicamentos chamada Inibidores da Bomba de Protões. Rabeprazol Pharmakern comprimidos actua reduzindo a quantidade de ácido produzido pelo estômago. Isto evita a irritação da mucosa do estômago, permitindo a cicatrização da úlcera gástrica e aliviando a dor e o desconforto causados pelas úlceras.

Rabeprazol Pharmakern está indicado no:

· Úlcera duodenal activa;

· Úlcera gástrica benigna activa;

· Dor ou desconforto causado pelo ácido gástrico que reflui para o esófago, causando uma sensação de ardor no peito ou inflamação do esófago (doença de refluxo gastro-
esofágico (DRGE)). · Quando os sintomas desaparecem, o rabeprazol pode ser também usado para prevenir o reaparecimento da doença. · Erradicação do Helicobacter pylori (bactéria que infecta o estômago) em doentes com úlcera gástrica benigna activa (úlcera péptica), em associação com regimes terapêuticos antibacterianos apropriados. · Síndrome Zollinger-Ellison (perturbação que causa tumores no pâncreas e duodeno, e úlceras no estômago e duodeno).

É possível que o seu médico tenha receitado Rabeprazol Pharmakern para outro uso. Siga sempre as indicações do seu médico.

2.

ANTES DE TOMAR RABEPRAZOL PHARMAKERN

Não tome Rabeprazol Pharmakern:

-Se tem alergia (hipersensibilidade) ao rabeprazol sódico, a benzimidazóis substituídos, ou a qualquer um dos componentes do medicamento (ver secção 6) - Se está, ou pensa que poderá estar grávida, ou a amamentar.

Tome especial cuidado com Rabeprazol Pharmakern:

- Se é alérgico a outros inibidores da bomba de protões; - Se tem uma história de doença hepática;

- No tratamento de manutenção, especialmente quando ultrapassar o período de tratamento de 1 ano, os doentes devem permanecer sob vigilância regular.

Se a algum destes pontos se aplica a si, fale com o seu médico antes de tomar Rabeprazol Pharmakern.

Ao tomar Rabeprazol Pharmakern com outros medicamentos

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos sem receita médica.

Rabeprazol Pharmakern pode ter interacções com certos outros medicamentos, tais como os seguintes: - cetoconazol - itraconazol - antifúngicos - atazanavir

Se estiver a tomar qualquer um dos medicamentos arriba indicados, é possível que seja necessário ajustar a dose.

Crianças

Rabeprazol Pharmakern não é recomendado para crianças.

Idosos

Se tem 65 anos ou mais, pode utilizar Rabeprazol Pharmakern.

Gravidez e aleitamento

Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento. - Não tome Rabeprazol Pharmakern se está grávida, ou pensa engravidar. - Não tome Rabeprazol Pharmakern durante o aleitamento.

Condução de veículos e utilização de máquinas

É improvável que Rabeprazol Pharmakern afecte a capacidade de condução ou de utilização de máquinas. Contudo, raramente o rabeprazol sódico pode causar sonolência. Portanto, evite conduzir e trabalhar com máquinas se este efeito surgir durante o tratamento.

3.

COMO TOMAR RABEPRAZOL PHARMAKERN

Tome Rabeprazol Pharmakern sempre de acordo com as indicações do seu médico. Isto irá ajudá-lo a ter os melhores resultados e a diminuir o risco de efeitos secundários. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Os comprimidos de Rabeprazol Pharmakern não devem ser mastigados ou partidos, devendo ser engolidos inteiros. Deve engolir o comprimido inteiro com um copo de água.

Para indicações que requerem tratamento uma vez por dia Rabeprazol Pharmakern deve ser tomado de manhã, antes de comer.

Dose:

- Úlcera duodenal activa e úlcera gástrica benigna activa: A dose oral recomendada é de 20 mg, uma vez por dia, de manhã.

- Doença de refluxo gastro-esofágico ulcerativa ou erosiva (DRGE), dor ou desconforto causado pelo ácido gástrico que reflui para o esófago, causando uma sensação de ardor no peito ou inflamação do esófago: a dose oral recomendada é de 20 mg uma vez por dia.

- Tratamento prolongado da doença de refluxo gastro-esofágico (manutenção

DRGE)

Para tratamento prolongado, pode-se usar rabeprazol numa dose de manutenção de 20 mg ou 10 mg, uma vez por dia dependendo da resposta do doente.

- Tratamento sintomático da doença de refluxo gastro-esofágico moderado a muito grave (DRGE sintomático): 10 mg uma vez por dia em doentes sem esofagite. Uma vez que os sintomas tenham desaparecido, pode-se conseguir o controlo de sintomas subsequentes utilizando um outro regime de 10 mg diariamente, quando necessário.

- Erradicação do H. pylori (bactéria que infecta o estômago): Recomenda-se administrar durante 7 dias a seguinte associação: 20 mg rabeprazol duas vezes por dia + 500 mg de claritromicina duas vezes por dia e 1 g de amoxicilina duas vezes por dia.

- Síndrome Zollinge-El ison: A dose recomendada é de 60 mg uma vez por dia ou 60 mg duas vezes por dia.

Duração do tratamento:

- Úlcera duodenal activa: Normalmente durante quatro semanas, mas após este período o seu médico decidirá se deve ou não continuar o tratamento por mais quatro semanas.

- Úlcera gástrica benigna activa: Normalmente durante seis semanas, mas após este período o seu médico decidirá se deve ou não continuar o tratamento por mais seis semanas.

- Doença de refluxo gastro-esofágico ulcerativa ou erosiva (

DRGE)

4-8 semanas.

- Tratamento sintomático da doença de refluxo gastro-esofágico moderado a muito grave (DRGE sintomático): Normalmente 4 semanas.

- Erradicação do H. pylori: Normalmente 7 dias.

- Síndrome Zollinge-Ellison: O tratamento deve continuar enquanto for clinicamente indicado.

- Tratamento de manutenção: O seu médico ou farmacêutico dir-lhe-á por quanto tempo deve tomar os comprimidos.

Se tomar mais Rabeprazol Pharmakern do que deveria

Se tomou acidentalmente demasiados comprimidos de Rabeprazol Pharmakern, consulte o seu médico, farmacêutico ou o departamento de urgências do hospital mais próximo.

Caso se tenha esquecido de tomar Rabeprazol Pharmakern

Se se esqueceu de tomar um comprimido, tome um logo que se lembrar, e continue normalmente. No entanto, se estiver quase na altura de tomar a dose seguinte, não tome a dose em falta e tome a dose seguinte no horário habitual. Não tome uma dose a dobrar para compensar um comprimido que se esqueceu de tomar.

Se parar de tomar Rabeprazol Pharmakern

O alívio dos sintomas costuma ocorrer antes de que a úlcera esteja completamente cicatrizada. Portanto, o tratamento com Rabeprazol Pharmakern não deve ser interrompido sem ordem do médico.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico ou farmacêutico.

4. EFEITOS SECUNDÁ

RIOS POSSIVEIS

Como todos os medicamentos, Rabeprazol Pharmakern pode causar efeitos secundários, no entanto estes não se manifestam em todas as pessoas.

Os seguintes efeitos secundários são graves. Caso sinta algum destes efeitos, contacte o seu médico de imediato:

Reacção alérgica grave – pode sentir erupções cutâneas súbitas com prurido (urticária), inchaço das mãos, pés, tornozelos, cara, lábios, boca ou garganta (que podem causar dificuldade em engolir ou respirar), e pode sentir sensação de desmaio.

Efeitos secundários poucos frequentes (que afectam menos de 10 em cada 1000 pacientes)

- Aumento das enzimas hepáticas

Efeitos secundários raros (que afectam menos de 10 em cada 10000 pacientes)

- Hepatite

- Icterícia (a pele e os olhos ficam amarelos) - Encefalopatia hepática

- Nefrite intersticial (inflamação do rim) - Níveis baixos de neutrófilos (um tipo particular de glóbulos brancos no sangue ) - Níveis baixos de glóbulos brancos no sangue - Anorexia - Anemia (níveis baixos de plaquetas no sangue) - Aumento dos glóbulos brancos (leucocitose) Também foram descritos outros efeitos secundários menos graves:

Efeitos secundários frequentes (que afectam menos de 10 em cada 100 pacientes) - cefaleia - diarreia - náusea

- vómitos

- dor abdominal - obstipação - tontura - tosse

- rinites - inflamação da garganta(faringite) - infecção - insônia (dificuldade da dormir)

- flatulência (gases) - dor nas costas

- síndrome tipo-gripal - astenia (fraqueza)

Efeitos secundários pouco frequentes (que afectam menos de 10 em cada 1000 pacientes) - indigestão (dispepsia) - eructação (arrotos) - boca seca - nervosismo - sonolência - erupção cutânea - cãibras nas pernas - dores no peito - arrepios - febre

- infecção do tracto urinário - aumento das enzimas hepáticas - dores musculares - dores nas articulações - bronquite - sinusite (inflamação dos seios) - vermelhidão da pele

Efeitos raros (que afectam menos de 10 em cada 10000 pacientes)

- sudação - aumento de peso - depressão - perturbações da visão (alucinações) - boca inflamada (estomatite) - perturbações do paladar - gastrite - comichão da pele - bolhas

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

5.

COMO CONSERVAR RABEPRAZOL PHARMAKERN

Manter os medicamentos fora do alcance e da vista das crianças.

Não utilize Rabeprazol Pharmakern após o prazo de validade impresso na embalagem exterior, a seguir à abreviatura EXP. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

Não conservar acima de 25ºC. Conservar na embalagem de origem para proteger da umidade.

Não utilizar Rabeprazol Pharmakern se forem observados sinais de deterioração ou de violação da embalagem.

Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita. Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.

6. OUTRAS INFORMAÇÕ

ES

Qual a composição de Rabeprazol Pharmakern

A substância activa é rabeprazol sódico.

Cada comprimido de Rabeprazol Pharmakern 10 mg comprimidos gastrorresistentes contém 10 mg de rabeprazol sódico. Cada comprimido de Rabeprazol Pharmakern 20 mg comprimidos gastrorresistentes contém 20 mg de rabeprazol sódico.

Os outros componentes são: Núcleo do comprimido: manitol, óxido de magnésio pesado, hidroxipropilcelulose, estearato de magnésio e hidroxipropilcelulose de baixa substituição. Subrevestimento: etilcelulose, óxido de magnésio pesado. Revestimento entérico): ftalato de hipromelose, dibutilo sebacato, talco, dióxido de titânio (E171), óxido de ferro vermelho (E172). Revestimento entérico): ftalato de hipromelose, dibutilo sebacato, talco, dióxido de titânio (E171), óxido de ferro amarelo (E172).

Qual o aspecto de Rabeprazol Pharmakern e conteúdo da embalagem

Rabeprazol Pharmakern 10 mg comprimidos gastrorresistentes são comprimidos gastrorresistentes, biconvexos, cor-de-rosa. Rabeprazol Pharmakern 20 mg comprimidos gastrorresistentes são comprimidos gastrorresistentes, biconvexos, amarelos.

Rabeprazol Rabeprazol Pharmakern está disponível em embalagens blister de 1, 5, 7, 14, 15, 25, 28, 30, 50, 56, 75, 98 e 120 comprimidos.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Titular da Autorização de Introdução no Mercado:

Pharmakern Portugal - Produtos Farmacêuticos, Sociedade Unipessoal, Lda. Edifício Atlas II, Av. José Gomes Ferreira, N.º 11 - 3º, Sala 31 1495-139 Miraflores - Algés

Fabricante:

Laboratorios LICONSA, S.A. Avda. Miralcampo, Nº 7, Polígono Industrial Miralcampo 19200 Azuqueca de Henares (Guadalajara) - Espanha

Este folheto foi aprovado pela última vez em



DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
  2. Faringite: Inflamação da mucosa faríngea em geral de causa bacteriana ou viral. Caracteriza-se por dor, dificuldade para engolir e vermelhidão da mucosa, acompanhada de exsudatos (ver) ou não.
  3. Febre: Elevação da temperatura corporal acima de um valor normal, estabelecido entre 36,7ºC e 37ºC, quando medida na boca.
  4. Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago (ver). Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
  5. Icterícia: Pigmentação amarelada da pele e mucosas devido ao aumento da concentração de bilirrubina no sangue. Pode ser acompanhada de sintomas como colúria (ver), prurido, etc. Associa-se a doenças hepáticas e da vesícula biliar, ou à hemólise (ver).
  6. Leucocitose: Aumento da contagem de leucócitos no sangue periférico como resposta a uma infecção, inflamação ou outra agressão externa.
  7. Nefrite: Termo que significa ???inflamação do rim??? e que agrupa doenças caracterizadas por lesões imunológicas ou infecciosas do tecido renal. Alguns exemplos são a nefrite intersticial por drogas, a glomerulonefrite pós-estreptocócica, etc. Podem manifestar-se por hipertensão arterial, hematúria e dor lombar.
  8. Pâncreas: Glândula de secreção endócrina (ver), por sua produção de insulina, glucagon e peptídios intestinais que são lançados na corrente sangüínea e exócrina (ver) por sua produção de potentes enzimas digestivas lançadas no intestino delgado. Localiza-se profundamente na cavidade abdominal e possui um tamanho aproximado de 15x7cm.
  9. Tala: Instrumento ortopédico utilizado freqüentemente para imobilizar uma articulação ou osso fraturado. Pode ser de gesso ou material plástico.
  10. Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.
  11. Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.

Síguenos

X