Rabeprazol Zentiva

Para que serve Rabeprazol Zentiva

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


APROVADO EM 29-10-2011 INFARMED Folheto informativo: Informação para o utilizador

Rabeprazol Zentiva 10 mg comprimidos gastrorresistentes
Rabeprazol Zentiva 20 mg comprimidos gastrorresistentes
Rabeprazol sódico

Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento.
Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler.
Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.
Este medicamento foi receitado para si. Não deve dá-lo a outros; o medicamento pode
ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sintomas.
Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários
não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.

Neste folheto:
1.O que é Rabeprazol Zentiva e para que é utilizado
2.Antes de tomar Rabeprazol Zentiva
3.Como tomar Rabeprazol Zentiva
4.Efeitos secundários possíveis
5.Como conservar Rabeprazol Zentiva
6.Outras informações


O QUE É RABEPRAZOL ZENTIVA E PARA QUE É UTILIZADO

O Rabeprazol Zentiva é um medicamento que reduz a produção de ácido gástrico
(inibidor da bomba de protões).

O Rabeprazol Zentiva é usado para:
- no tratamento de úlceras duodenais
- no tratamento de úlceras benignas do estômago
- no tratamento sintomático de doença de refluxo gastro-esofágico (DRGE) acompanhada
ou não de úlcera, que é frequentemente referida como uma inflamação da garganta
causada pela acidez e associada a azia.
- no tratamento a longo prazo de doença do refluxo gastro-esofágico
- no tratamento sintomático de formas moderadas a muito graves de refluxo gastro-
esofágico
- no tratamento a longo prazo de quando o estômago produz quantidades extremamente
elevadas de ácido (ex. síndrome de Zollinger-Ellison)
- em associação com antibióticos para o tratamento de úlceras pépticas. Este tratamento
envolve a erradicação da infecção do Helicobacter pylori, uma doença causada por um
microrganismo (patogeno) responsável por provocar úlceras no estômago e intestinos.


2.ANTES DE TOMAR RABEPRAZOL ZENTIVA
APROVADO EM 29-10-2011 INFARMED Não tome Rabeprazol Zentiva
- se tem alergia (hipersensibilidade) ao rabeprazol ou a qualquer outro componente de
Rabeprazol Zentiva.
- se está grávida ou a amamentar

Tome especial cuidado com Rabeprazol Zentiva
- se for alérgico a outro inibidor da bomba de protões.
- se sofre de problemas graves no fígado.

O Rabeprazol Zentiva pode esconder sintomas de outras doenças. Assim, se algum dos
seguintes acontecer antes de iniciar a toma de Rabeprazol Zentiva ou enquanto o estiver a
tomar, fale com o seu médico de imediato:
- se perdeu muito peso sem razão aparente e se tem dificuldades a engolir.
- se sente dor no estômago e indigestão
- se começar a vomitar alimentos ou sangue.
- se as suas fezes passam a ser escuras (fezes com sangue).

Crianças:
O Rabeprazol Zentiva não deve ser dado a crianças uma vez que não esixte esperiência
neste grupo.

Ao tomar Rabeprazol Zentiva com outros medicamentos
Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente
outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Se também estiver a ser tratado com antibióticos em associação com o Rabeprazol
Zentiva, siga as seguintes instruções para a utilização destes (que são dadas nos
respectivos folhetos informativos).

Informe por favor o seu médico caso esteja a tomar um dos seguintes medicamentos:
- medicamentos utilizados no tratamento de infecções fungicas (ex. cetaconazol e
itraconazol).
- Atazanavir para o tratamento de infecção por HIV, que não deve tomar em simultâneo
com Rabeprazol Zentiva.

Gravidez e aleitamento
Consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

Não existem dados adequados sobre a utilização de rabeprazol em mulheres grávidas.
Como tal, não deve tomar Rabeprazol Zentiva se está grávida ou se pensa que pode estar
grávida.

Não se sabe se a substância activa passa para o leite materno. Assim, não deve tomar
Rabeprazol Zentiva se estiver a amamentar.

Condução de veículos e utilização de máquinas APROVADO EM 29-10-2011 INFARMED É pouco provável que o Rabeprazol Zentiva afecte a sua capacidade de conduzir ou
utilizar máquinas. Contudo, ocasionalmente, o Rabeprazol Zentiva pode causar tonturas.
Se tal ocorrer não deve conduzir ou utilizar máquinas enquanto se sentir tonto.


COMO TOMAR RABEPRAZOL ZENTIVA

Tomar Rabeprazol Zentiva sempre de acordo com as indicações do médico. Fale com o
seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas.

Indicações para utilização:
Engula os comprimidos inteiros (não os mastigue ou esmague) antes do pequeno almoço
com um copo de água. Se também está a tomar antibióticos para erradicar a bactéria
Helicobacter pylori, tome o seu segundo comprimido de Rabeprazol Zentiva no final do
dia.

A não ser que o seu médico lhe indique de forma diferente, a dose habitual é:

Tratamento de úlceras duodenais, úlcera gástrica benigna
A dose usual é de 20 mg uma vez por dia de rabeprazol sódico.


Tratamento sintomático de doença do refluxo gastro-esofágico ulcerativa ou erosiva
A dose usual é de 20 mg uma vez por dia de rabeprazol sódico.

Tratamento sintomático da doença do refluxo gastro-esofágico moderada a muito grave
A dose usual é de 10 mg uma vez por dia de rabeprazol sódico.

Tratamento a longo prazo da doença do refluxo gastro-esofágico
Dependendo da sua resposta ao tratamento o seu médico irá decidir se a dose indicada
para si será 10 mg ou 20 mg por dia de rabeprazol sódico.

Tratamento a longo prazo de quando o estômago produz quantidades extremamente
elevadas de ácido (ex. síndrome de Zollinger-Ellison)
A dose recomendada inicial é de 60 mg por dia de rabeprazol sódico. A seguir o seu
médico deverá ajustar a dose individualmente. A dose diária pode ser aumentada até 120
mg de rabeprazol sódico que poderá necessitar de doses divididas (60 mg duas vezes ao
dia).

Tratamento para erradicação da infecção por Helicobacter pylori, caso já esteja a fazer
tratamento com antiobióticos

Recomenda-se a seguinte associação:
Manhã Final do dia APROVADO EM 29-10-2011 INFARMED 20 mg de rabeprazol
sódico 20 mg de rabeprazol sódico 500 mg de claritromicina 500 mg de claritromicina
1000 mg de amoxicilina 1000 mg de amoxicilina
Doentes com insuficiência renal ou hepática
Se pertence a este grupo de doentes, fale com o seu médico. Contudo, o ajuste de dose
não é normalmente necessário. Doentes com problemas hepáticos graves devem ser
monitorizados cuidadosamente pelo seu médico.

Durante quanto tempo deve tomar os comprimidos de Rabeprazol Znetiva
As úlceras duodenais saram normalmente em 4 semanas. Se o tratamento de 4 semanas
não for suficiente, a cura será atingida, na maioria dos casos, após mais 4 semanas de
tratamento.

Em úlceras gástricas benignas, um tratamento de 6 semanas é normalmente utilizado.
Caso não seja suficiente, a cura será ser atingida, na maioria dos casos, após mais 6
semanas de tratamento.

Em casos de doença de refluxo gastro-esofágico ulcerativo ou erosivo é utilizado
normalmente um tratamento de 4 a 8 semanas.

No tratamento a longo prazo da doença do refluxo gastro-esofágico o seu médico pode
aconselhá-lo sobre a duração do tratamento. Se está num tratamento a longo prazo deverá
consultar o seu médico em intervalos regulares para avaliar a medicação e os seus
sintomas.

Se sofre de formas moderadas a muito graves de refluxo gastro-esofágico, o seu
tratamento deverá continuar até 4 semanas. Se os seus sintomas não se solucionarem no
perído de 4 semanas, fale com o seu médico. Se os seus sintomas regressarem após as 4
semanas de tratamento, o seu médico poderá indicar-lhe que tome rabeprazol sódico a 10
mg durante e quando for necessário para controlar os seus sintomas.

Em doentes com a condição em que demasiado ácido gástrico é produzido (ex. síndrome
de Zollinger-Ellison
), não existem limites na duração do tratamento e este deverá
continuar durante o tempo que seja necessário.

O tratamento de erradicação da infecção do Helicobacter pylori com rabeprazol sódico
(em combinação com 2 antibióticos) é de 7 dias.


Se tomar mais Rabeprazol Zentiva do que deveria
Se tomar mais Rabeprazol Zentiva do que deveria, ou se alguma criança o tomar
acidentalmente, contacte o seu médico ou diriga-se ao hospital para obter informações
sobre o risco da toma, bem como acções a tomar. APROVADO EM 29-10-2011 INFARMED
Caso se tenha esquecido de tomar Rabeprazol Zentiva
Caso se tenha esquecido de tomar uma dose, tome-a assim que se lembrar e depois
continue como habitualmente. Não tome uma dose a dobrar para compensar um
comprimido que se esqueceu de tomar.

Se parar de tomar Rabeprazol Zentiva
Fale sempre com o seu médico antes de parar o tratamento com Rabeprazol Zentiva por
sua iniciativa ou acerca da paragem do tratamento antes do que deveria.

Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médico
ou farmacêutico.


EFEITOS SECUNDÁRIOS POSSIVEIS

Como todos os medicamentos, Rabeprazol Zentiva pode causar efeitos secundários, no
entanto estes não se manifestam em todas as pessoas.

A classificação dos efeitos adversos a seguir descritos tem por base as seguintes
frequências:
Frequentes: afecta 1 a 10 utilizadores em 100
Pouco frequentes: afecta 1 a 10 utilizadores em 1000
Raros: afecta 1 a 10 utilizadores em 10000
Muito raros: afetcta menos de 1 em 10000 utilizadores
Desconhecidos: a frequencia não pode ser estimada com os dados disponíveis
Se notar algum dos seguintes efeitos secundários, páre de tomar o Rabeprazol Zentiva e
contacte imediatamente o seu médico:
- reacções graves na pele e nas membranas mucosas acompanhadas por bolhas (eritema
multiforme, necrólise epidérmica tóxica, sindroma de Stevens-Johnson).
- inchaço da face, queda acentuada na pressão arterial e dificuldade em respirar.

Outros efeitos secundários possíveis

Efeitos secundários frequentes
Infecção, falta de sono, bronquite, tonturas, tosse, inflamação da garganta, rinite, diarreia,
mal-estar geral , obstipação, flatulência, dor não especifícada, dores nas costas, fraqueza,
sintomas do tipo gripal.


Efeitos secundários pouco frequentes APROVADO EM 29-10-2011 INFARMED Nervosismo, sonolência, bronquite, sinusite, problemas digestivos, boca seca, arrotos,
erupção cutânea, comichão, dor muscular, cãibras nas pernas, dores nas articulações,
infecção urinária, dor no peito, arrepios, febre e aumento das enzimas hepáticas.

Efeitos secundários raros
Aumento ou diminuição no número de glóbulos brancos, redução no número das
plaquetas. Anorexia, depressão, perturbações visuais, gastrite, dor na boca (estomatite),
alterações no paladar, suores, inflamação dos rins (nefrite intersticial), aumento de peso.
Erupção cutânea, vermelhidão da pele, comichão e bolhas na pele, reacções agudas
generalizadas como por exemplo inchaço da face, pressão sanguínea baixa e dificuldades
respiratórias, problemas hepáticos têm sido notificados mas resolvem-se após
descontinuação do tratamento.

Efeitos secundários muito raros
Reacções graves na pele e membranas mucosas acompanhadas de erupções bolhosas na
pele (eritema multiforme, sindroma de Stevens-Johnson).

Desconhecidos
Níveis baixos de sódio no sangue, confusão, inchaço dos braços e das pernas (edema
periférico), desenvolvimento mamário nos homens (ginecomastia).

Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários
não mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.


COMO CONSERVAR RABEPRAZOL ZENTIVA

Manter fora do alcance e da vista das crianças.

Não utilize Rabeprazol Zentiva após o prazo de validade impresso na embalagem exterior
e blister, após VAL. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado.

O medicamento não necessita de quaisquer precauções especiais de conservação.

Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico.
Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita.
Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente.


OUTRAS INFORMAÇÕES Qual a composição de Rabeprazol Zentiva

A substância activa é rabeprazol sódico.

Cada comprimido gastrorresistente de Rabeprazol Zentiva contém 10 mg de rabeprazol
sódico, equivalente a 9,42 mg de rabeprazol. APROVADO EM 29-10-2011 INFARMED
Cada comprimido gastrorresistente de Rabeprazol Zentiva contém 20 mg de rabeprazol
sódico, equivalente a 18,85 mg de rabeprazol.

Os outros componentes são:
Núcleo do comprimido:
Manitol, crospovidona tipo A, óxido de magnésio, edetato de sódio, estearato de cálcio,
povidona

Revestimento do comprimido:
Citrato de trietilo, copolímero do ácido metacrílico e acrilato de etilo (1:1), etilcelulose,
hipromelose, carbonato de sódio anidro, dióxido de titânio (E171), macrogol 400, óxido
de ferro amarelo (E172)

Os comprimidos de Rabeprazol Zentiva 10 mg contém adicionalmente óxido de ferro
vermelho (E172).

Qual o aspecto de Rabeprazol Zentiva e conteúdo da embalagem
Os comprimidos gastrorresistentes de Rabeprazol Zentiva 10 mg são cor rosa, redondos e
biconvexos.
Os comprimidos gastrorresistentes de Rabeprazol Zentiva 20 mg são amarelos, redondos
e biconvexos.
Rabeprazol Zentiva está disponível em embalagens com blisters de 5, 7, 14, 15, 25, 28,
30, 50, 56, 75, 98 ou 120 comprimidos.

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.


Titular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante

Sanofi-Aventis - Produtos Farmacêuticos, Lda
Empreendimento Lagoas Park - Edifício 7, 3º Piso
2740-244 Porto Salvo, Portugal

Fabricante
Sofarimex, Indústria Química e Farmacêutica, S.A.
Avenida das Indústrias, Alto do Colaride, Agualva
2735-213 Cacém
Portugal


Este folheto foi aprovado pela última vez em



DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
  2. Edema: Acúmulo anormal de líquido nos espaços intercelulares dos tecidos ou em diferentes cavidades corporais (peritôneo, pleura, articulações, etc.).
  3. Febre: Elevação da temperatura corporal acima de um valor normal, estabelecido entre 36,7ºC e 37ºC, quando medida na boca.
  4. Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago (ver). Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
  5. Ginecomastia: Aumento anormal de uma ou ambas as glândulas mamárias no homem. Associa-se a diferentes enfermidades como cirrose, tumores testiculares, etc. Em certas ocasiões ocorrem de forma idiopática (ver).
  6. Nefrite: Termo que significa ???inflamação do rim??? e que agrupa doenças caracterizadas por lesões imunológicas ou infecciosas do tecido renal. Alguns exemplos são a nefrite intersticial por drogas, a glomerulonefrite pós-estreptocócica, etc. Podem manifestar-se por hipertensão arterial, hematúria e dor lombar.
  7. Rinite: Inflamação da mucosa nasal, produzida por uma infecção viral ou reação alérgica. Manifesta-se por secreção aquosa e obstrução das fossas nasais.

Síguenos

X