Salicylcafeína

Para que serve Salicylcafeína

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


FOLHETO INFORMATIVO

Informação para o utilizadorSalicylcafeina, 500 mg + 30 mg, comprimidosÁcido acetilsalicílico + cafeína

COMPOSIÇÃO

Ácido acetilsalicílico 500 mgCafeína 30 mgExcipiente q.b.p. 1 comp.Ver secção “EXCIPIENTES”.

APRESENTAÇÃO

Comprimidos - Embalagens de 20 ou 250

É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.GRUPO FARMACOTERAPÊ

UTICO

2.10 Analgésicos e antipiréticosA Salicylcafeina, pelo ácido acetilsalicílico, tem propriedades antipiréticas, analgésicase, em doses elevadas, actividade anti-inflamatória.Pela cafeína é um estimulante respiratório e cardíaco.

TITULAR DA AUTORIZAÇÃO DE INTRODUÇÃO NO MERCADO

A. Menarini Portugal-Farmacêutica, S.A.Quinta da FonteEdifício D. Manuel I – Piso 2

A

Rua dos Malhões nº 12770 – 071 Paço de ArcosPortugal

FABRICANTE

Sofarimex - Indústria Química e Farmacêutica, Lda.Avenida das Indústrias - Alto de Colaride - Agualva2735-213 Cacém

PortugalINDICAÇÕES TERAPÊ

UTICAS

Tratamento sintomático da dor e da febre, sobretudo no contexto de:- cefaleias- odontalgias- nevralgias- dores musculo-esqueléticas- estados gripais e infecções das vias respiratórias superioresCONTRA-INDICAÇÕ

ES

O medicamento está contra-indicado em caso de hipersensibilidade às substânciasactivas ou a qualquer um dos excipientes.Salicylcafeina está contra-indicada nos casos de hipersensibilidade aos salicilatos,nomeadamente nos doentes asmáticos, bem como nos doentes com dois ou maisepisódios de úlcera péptica/hemorragia activa ou de úlcera péptica/hemorragiarecorrente ou ainda nos indivíduos submetidos a tratamento com anticoagulantescumarínicos.Salicylcafeina não deve ser administrada a doentes com história de hemorragiagastrointestinal ou perfuração, relacionada com terapêutica anterior com anti-
inflamatórios não esteroides (AINE).

A administração de doses superiores a 100 mg/dia de ácido acetilsalicílico está contra-
indicada durante o terceiro trimestre de gravidez.EFEITOS INDESEJÁ

VEIS

Os eventos adversos mais frequentemente observados são de natureza gastrointestinal.Podem ocorrer, em particular nos idosos, úlceras pépticas, perfuração ou hemorragiagastrointestinal, náuseas, dispepsia, vómitos, hematemeses, flatulência, dor abdominal,diarreia, obstipação, melenas, estomatite aftosa, exacerbação de colite ou doença deCrohn. Menos frequentemente têm vindo a ser observados casos de gastrite.Prolongamento do tempo de hemorragia, devido ao efeito antiagregante plaquetar doácido acetilsalicílico.

São possíveis reacções de hipersensibilidade, que podem assumir aspectos de maiorgravidade nos doentes asmáticos.

INTERACÇÕ

ES

Pela cafeína, a Salicylcafeina pode interferir com os agentes beta-adrenérgicosfacilitando o seu efeito inotrópico cardíaco. Pelo ácido acetilsalicílico pode interferircom os agentes anticoagulantes, antiagregantes trombolíticos, uricosúricos,sulfonilureias, corticosteróides e metotrexato.A Salicylcafeina, pela sua associação da cafeína com o ácido acetilsalicílico, aumenta orisco de ulceração ou hemorragia gastrointestinal quando administradaconcomitantemente com corticosteróides, agentes anti-agregantes plaquetários einibidores selectivos da recaptação da serotonina.A Salicylcafeina pode aumentar o efeito dos anti-coagulantes, tais como a varfarina.A Salicylcafeina pode diminuir a eficácia dos diuréticos assim como de outrosmedicamentos anti-hipertensores (inibidores da enzima de conversão da angiotensina,antagonistas da angiotensina II).

Em alguns doentes com função renal diminuída (doentes desidratados ou idosos comcomprometimento da função renal) a administração concomitante de um IECA ou

AAII

e inibidores da ciclogenase pode ter como consequência a progressão da deterioração dafunção renal, incluindo a possibilidade de insuficiência renal grave, que é normalmentereversível. Por este motivo, nos doentes idosos, esta associação medicamentosa deveráser administrada com precaução. Os doentes devem ser adequadamente hidratados e asua função renal deve ser monitorizada periodicamente.

Interacções laboratoriaisO medicamento pode interferir com o doseamento do ácido úrico, da glicosúria aindado ácido vanilmandélico e a determinação das catecolaminas urinárias podendo originarum falso diagnóstico de feocromocitoma ou de neuroblastoma.PRECAUÇÕ

ES

A Salicylcafeina contém ácido acetilsalicílico pelo que não se deve usar em dosesmaiores que as recomendadas, nem durante mais de 3 dias ou em crianças com menosde 3 anos, nem durante a gravidez.O risco de hemorragia, ulceração e perfuração gastrointestinal é maior com doses maiselevadas, em doentes com história anterior de úlcera péptica, especialmente seassociada a hemorragia ou perfuração e em doentes idosos. Nestes casos aSalicylcafeina só deverá ser administrada em casos excepcionais, sob controlo médico eassociada a medicamentos protectores da mucosa.

Em doentes a tomar outros medicamentos susceptíveis de aumentar o risco de úlcera ouhemorragia, tais como corticosteróides, anticoagulantes (como a varfarina), inibidoresda recaptação da serotonina ou anti-agregantes plaquetários, a administração deSalicylcafeina deve ser iniciada com a menor dose eficaz, sob controlo médico eassociada a medicamentos protectores da mucosa.

Tal como com todos os AINE existe a possibilidade de ocorrência de hemorragia,ulceração e perfuração gastrointestinal. Neste caso o tratamento deve ser interrompido.Os AINE devem ser administrados com precaução em doentes com história de doençainflamatória do intestino (colite ulcerosa, doença de Crohn), na medida em que estassituações podem ser exacerbadas.Os idosos apresentam uma maior frequência de reacções adversas, especialmente dehemorragias gastrointestinais e de perfurações que podem ser fatais.

A administração concomitante de Salicylcafeina com outros AINE, incluindo inibidoresselectivos de ciclooxigenase-2 deve ser evitada.Não usar em crianças com febre sem consultar o médico.

UTILIZAÇÃO DURANTE A GRAVIDEZ E ALEITAMENTO

Não usar durante a gravidez ou no período de aleitamento a não ser por expressaindicação do médico.GravidezAdministração de doses baixas de ácido acetilsalicílico (até 100 mg/dia)Os dados dos ensaios clínicos sugerem que a administração de doses até 100 mg/dia emindicações obstétricas restritas (por exemplo no caso dos abortamentos de repetição deetiologia supostamente imunológica e dos hidrâmnios), que requerem monitorizaçãoespecializada, é aparentemente segura.Administração de doses de ácido acetilsalicílico entre 100 e 500 mg/diaA experiência clínica relativa ao uso de doses entre 100 mg/dia e 500 mg/dia éinsuficiente. Consequentemente, as recomendações que em seguida se enunciamrelativas à administração de doses superiores a 500 mg/dia, aplicar-se-ão também a esteintervalo posológico.Administração de doses de ácido acetilsalicílico de 500 mg/dia ou superioresA inibição da síntese das prostaglandinas pode afectar negativamente a gravidez e/ou odesenvolvimento embrio-fetal. Os dados dos estudos epidemiológicos sugerem umaumento do risco de aborto espontâneo, de malformações cardíacas e de gastroschisis

na sequência da utilização de um inibidor da síntese das prostaglandinas no inicio dagravidez. O risco absoluto de malformações cardiovasculares aumentou de valoresinferiores a 1% para aproximadamente 1,5%. Presume-se que o risco aumenta com adose e duração do tratamento.Nos animais, demonstrou-se que a administração de inibidores da síntese dasprostaglandinas tem como consequência o aumento de abortamentos peri e post-
implantatórios e da mortalidade embrio-fetal. Adicionalmente, registou-se maiorincidência de várias malformações, incluindo malformações cardiovasculares emanimais expostos a inibidores da síntese das prostaglandinas durante o períodoorganogenético.Durante o 1º e 2º trimestres de gravidez, o ácido acetilsalicílico não deverá seradministrado a não ser que seja estritamente necessário. Se o ácido acetilsalicílico forusado por mulheres que estejam a tentar engravidar, ou durante o 1º e 2º trimestre degravidez, a dose administrada deverá ser a menor e durante o mais curto espaço detempo possível.

Durante o 3º trimestre de gravidez, todos os inibidores da síntese das prostaglandinaspodem expor o feto a:- Toxicidade cardiopulmonar (com fecho prematuro do ductus arteriosus (canal deBotal) e hipertensão pulmonar).- Disfunção renal, que pode progredir para insuficiência renal com oligohidrâmnios.Na fase final da gravidez a mãe e o recém-nascido podem estar expostos a:- Possível prolongamento do tempo de hemorragia, um efeito antiagregante que podeverificar-se mesmo com doses muito baixas.- Inibição das contracções uterinas com consequente atraso ou prolongamento dotrabalho de parto.Assim, a administração de doses iguais ou superiores a 100 mg/dia de ácidoacetilsalicílico está contra-indicada durante o terceiro trimestre de gravidez.EFEITOS SOBRE A CAPACIDADE DE CONDUÇÃO DE VEÍ

CULOS E DE

UTILIZAÇÃO DE MÁ

QUINAS

A Salicylcafeina não interfere com a capacidade de conduzir veículos ou de utilizarmáquinas.

EXCIPIENTES

Amido de milho e celulose microcristalina

POSOLOGIA,

MODO E VIA DE ADMINISTRAÇÃO

Administração por via oralEm geral aconselha-se:Adultos: 1 a 2 comprimidos (1 a 3 vezes por dia)Crianças com mais de 3 anos: 1/4 de comprimido (3 vezes por dia)Crianças com mais de 7 anos: 1/2 comprimido (3 vezes por dia)Dose máxima recomendada:Adultos - 6 comprimidos por dia.Crianças - 2 comprimidos por dia.

SOBREDOSAGEM

Em caso de sobredosagem acidental, os sintomas são dispepsia, náuseas e/ou vómitos ehemorragia digestiva.Deve ser administrada terapêutica de suporte com esvaziamento gástrico e respiraçãoassistida.

AVISOS

A ocorrência de efeitos indesejáveis diferentes dos descritos deve ser de imediatocomunicada ao médico ou ao farmacêutico.Antes de utilizar verificar o prazo de validade inscrito na embalagem.Manter fora do alcance e da vista das crianças.

CONSERVAÇÃO

Conservar a temperatura inferior a 25 ºC.Conservar na embalagem de origem para proteger da humidadeEste folheto foi aprovado pela última vez em



DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Abortamento: Interrupção precoce da gravidez, espontânea ou induzida, seguida pela expulsão do produto gestacional pelo canal vaginal (Aborto). Pode ser precedido por perdas sangüíneas através da vagina.
  2. Febre: Elevação da temperatura corporal acima de um valor normal, estabelecido entre 36,7ºC e 37ºC, quando medida na boca.
  3. Gastrite: Inflamação aguda ou crônica da mucosa do estômago (ver). Manifesta-se por dor na região superior do abdome, acidez, ardor, náuseas, vômitos, etc. Pode ser produzida por infecções, consumo de medicamentos (aspirina), estresse, etc.
  4. Hemorragia: Perda de sangue para um órgão interno (tubo digestivo, cavidade abdominal) ou para o exterior (ferimento arterial). De acordo com o volume e velocidade com a qual se produz o sangramento uma hemorragia pode produzir diferentes manifestações nas pessoas, desde taquicardia, sudorese, palidez cutânea, até o choque.
  5. Hematêmese: Eliminação de sangue proveniente do tubo digestivo, através de vômito.
  6. Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
  7. Uréia: Produto do metabolismo das proteínas. Indica de forma indireta a eficiência da função renal. Quando existe insuficiência renal, os valores de uréia elevam-se produzindo distúrbios variados (pericardite urêmica, encefalopatia urêmica, etc.).

Síguenos

X