Salofalk

Para que serve Salofalk

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


APROVADO EM 15-04-

14 INFARMED F

olheto informativo: Informação para o utilizador Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes Messalazina Leia com atenção todo este folheto antes de começar a utilizar este medicamento pois contém informação importante para si. - Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o ler novamente. - Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico. - Este medicamento foi receitado apenas para si. Não deve dá-lo a outros. O medicamento pode ser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sinais de doença. - Se tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Ver secção 4. O que contém este folheto: 1. O que é Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes e para que é utilizado 2. O que precisa de saber antes de tomar Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes 3. Como tomar Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes 4. Efeitos secundários possíveis 5. Como conservar Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes 6. Conteúdo da embalagem e outras informações 1. O que é Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes e para que é utilizado Messalazina, a substância ativa de Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes, é uma substância anti-inflamatória utilizada no tratamento de doenças inflamatórias do intestino. Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes está indicado no tratamento da: -Colite ulcerosa (no tratamento de episódios agudos e na prevenção de recorrências). -Doença de Crohn (no tratamento de episódios agudos). 2. O que precisa de saber antes de tomar Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes Não tome Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes - se é, ou lhe foi dito que é, hipersensível (alérgico) ou ácido salicílico, aos salicilatos como a Aspirina, ou a qualquer dos outros componentes de Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes (indicados na secção 6. Conteúdo da embalagem e outras informações). -se tem uma doença hepática ou renal grave; Advertências e precauções Fale com o seu médico ou farmacêutico antes de utilizar Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes. - se tem antecedentes de problemas pulmonares, em particular asma brônquica. APROVADO EM 15-04-

14 INFARMED

- se tem antecedentes de alergia à sulfassalazina, uma substância aparentada com a messalazina. - se sofre de problemas hepáticos (do fígado). - se sofre de problemas renais (dos rins). Durante o tratamento o seu médico poderá supervisioná-lo mais frequentemente e poderá solicitar-lhe regularmente análises de sangue e urina. Em casos raros, em doentes que foram submetidos a resseção/cirurgia intestinal na região ileocecal, com remoção da válvula ileocecal, verificou-se que os comprimidos de Salofalk 250 mg foram excretados inteiros nas fezes, devido a uma passagem excessivamente rápida pelo intestino.

Se detetar que isto lhe está a suceder por favor informe o seu médico. Outros medicamentos e Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes Antes de iniciar o tratamento com Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes, deve informar o seu médico se está a tomar ou a utilizar algum dos medicamentos descritos de seguida, pois o efeito destes medicamentos pode alterar-se (interações): - Azatioprina, 6-mercaptopurina ou tioguanina (medicamentos usados para tratar problemas imunológicos) - Algumas substâncias que inibem a coagulação sanguínea (medicamentos para a trombose ou para fluidificar o sangue, por ex. varfarina). Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outros medicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica.

Pode continuar a ser adequado que faça o tratamento com Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes mas será o seu médico a decidir o mais indicado para si. Gravidez e amamentação Se está grávida ou a amamentar, se pensa estar grávida ou planeia engravidar, consulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar este medicamento.

Durante a gravidez apenas deverá utilizar Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes se o seu médico assim o prescrever. De igual modo apenas deverá utilizar Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes durante a amamentação se o seu médico assim o prescrever, uma vez que a substância ativa e o seu metabolito podem passar para o leite materno. Condução de veículos e utilização de máquinas Não foram observados efeitos sobre a capacidade de conduzir e utilizar máquinas. Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes contém sódio. Cada comprimido de Salofalk 250 mg contem 2,1 mmol (47,7 mg) de sódio. Esta informação deve ser tida em consideração em doentes com ingestão controlada de sódio. 3. Como tomar Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes APROVADO EM 15-04-

14 INFARMED T

ome este medicamento exatamente como indicado pelo seu médico. Fale com o seu médico ou farmacêutico se tiver dúvidas. Adultos Em geral é recomendada a administração de 2 comprimidos de Salofalk 250 de manhã, à tarde e à noite. Durante episódios agudos da doença a dose administrada poderá duplicar; estes episódios agudos têm geralmente uma duração de 8-12 semanas. Administrações superiores às doses recomendadas devem ser apenas por indicação e com monitorização médica. Na terapêutica de manutenção e com o objetivo de prevenir o aparecimento de recorrências, aconselha-se a toma de 2 comprimidos de Salofalk 250 de manhã, à tarde e à noite. Crianças com idade igual ou superior a 6 anos Por favor pergunte ao seu médico qual a dose precisa de Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes recomendada para a sua criança. Em episódios agudos: a determinar individualmente, iniciando com 30-50 mg de messalazina por kg de peso corporal por dia, que devem ser administrados em tomas repartidas.

A dose máxima é de 75 mg de messalazina por kg de peso corporal por dia. A dose total não deve exceder a dose máxima no adulto. Tratamento de manutenção (na colite ulcerosa): a determinar individualmente, iniciando com 15-30 mg de messalazina por kg de peso corporal por dia, administrados em tomas repartidas. A dose total não deve exceder a dose recomendada no adulto. De um modo geral recomenda-se que, em crianças com peso corporal até 40 kg seja administrada metade da dose do adulto e, em crianças com peso corporal superior a 40 kg seja administrada a dose normal do adulto. Modo e via de administração Os comprimidos deverão ser deglutidos (sem mastigar), antes das refeições e acompanhados da ingestão de líquidos (água ou sumos). Momento mais favorável à administração A administração deve ser efetuada antes das refeições. Duração do tratamento A terapêutica com Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes deverá realizar- se de uma forma regular e continuada, tanto na fase aguda da doença como durante um período de manutenção longo, de forma a que se obtenham os efeitos terapêuticos desejados. Se tomar mais Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes do que deveria Contacte o seu médico se tiver dúvidas, para ele decidir o que se deve fazer.

Caso se tenha esquecido de tomar Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes Não tome uma dose a dobrar para compensar um comprimido que se esqueceu de tomar. Se parar de tomar Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes Não pare o tratamento sem primeiro falar com o seu médico. APROVADO EM 15-04-

14 INFARMED C

aso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale como seu médico ou farmacêutico. 4. Efeitos secundários possíveis Como todos os medicamentos, este medicamento pode causar efeitos secundários, embora estes não se manifestem em todas as pessoas. Todos os medicamentos podem causar reações alérgicas ainda que as reações alérgicas graves sejam muito raras.

Se observar algum destes sintomas, após a utilização deste medicamento, deve contactar imediatamente o seu médico: - Erupção cutânea alérgica, - Febre, - Dificuldades respiratórias. Se notar um acentuado agravamento do seu estado geral de saúde, especialmente se acompanhado de febre e/ou irritação da garganta e/ou boca, pare de utilizar estes comprimidos e contacte o seu médico imediatamente. Estes sintomas podem, muito raramente, ser devidos a uma redução do número de glóbulos brancos no sangue (uma condição chamada agranulocitose), que pode aumentar o risco de vir a sofrer uma infeção grave. Deverá efetuar um teste sanguíneo para verificar a possível redução de glóbulos brancos no sangue. É importante que informe o médico sobre os medicamentos que está a tomar. Foram também descritos os seguintes efeitos secundários por doentes a utilizar messalazina: Efeitos secundários raros (afetando menos de 1 em 1.000 doentes): - Dor abdominal, diarreia, flatulência, náuseas e vómitos. - Dor de cabeça, vertigens. - Dor no peito, falta de ar ou membros inchados devido a um efeito no coração. Efeitos secundários muito raros (afetando menos de 1 em 10.000 doentes): - Alterações na função renal, por vezes com edema dos membros ou dor dorsal lateral - Dor abdominal forte devido a inflamação pancreática aguda. - Febre, garganta inflamada ou mal-estar, devido a alterações na contagem sanguínea. - Falta de ar, tosse, pieira, mancha nos pulmões ao raio X devido a condições alérgicas e/ou inflamatórias dos pulmões. - Diarreia e dor abdominal graves, devido a uma reação alérgica ao medicamento a nível do intestino. - Inflamação ou erupção cutânea. - Dor muscular e articular. - icterícia ou dor abdominal, devido a perturbações do fígado ou do fluxo biliar. - Perda de cabelo e desenvolvimento de calvície. - Sensação de dormência e formigueiro nas mãos e pés (neuropatia periférica). - Diminuição reversível da produção de sémen. Comunicação de efeitos secundários APROVADO EM 15-04-

14 INFARMED S

e tiver quaisquer efeitos secundários, incluindo possíveis efeitos secundários não indicados neste folheto, fale com o seu médico ou farmacêutico. Também poderá comunicar efeitos secundários diretamente ao INFARMED, I.P. através dos contactos abaixo. INFARMED, I.P. Direção de Gestão do Risco de Medicamentos Parque da Saúde de Lisboa, Av. Brasil 53 1749-004 Lisboa Tel: +

1 21 798 71 40 F

ax: +

1 21 798 73 97 S?

?tio da internet: http://extranet.infarmed.pt/page.seram.frontoffice.seramhomepage E-mail: [email protected] Ao comunicar efeitos secundários, estará a ajudar a fornecer mais informações sobre a segurança deste medicamento.

5. Como conservar Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes Não conservar acima de 25ºC. Manter este medicamento fora da vista e do alcance das crianças. Não utilize este medicamento após o prazo de validade impresso na embalagem exterior, após “Val”. O prazo de validade corresponde ao último dia do mês indicado. Não deite fora quaisquer medicamentos na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte ao seu farmacêutico como deitar fora os medicamentos que já não utiliza. Estas medidas ajudarão a proteger o ambiente. 6. Conteúdo da embalagem e outras informações Qual a composição de Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes - A substância ativa é a messalazina. Cada comprimido gastrorresistente de Salofalk 250 contém 250 mg de messalazina. - Os outros componentes são: Núcleo: carbonato de sódio, glicina, polivinilpirrolidona, celulose microcristalina, sílica coloidal anidra, estearato de cálcio.

Revestimento: hidroxipropilmetilcelulose, Eudragit L, Eudragit E, talco, dióxido de titânio (E171), óxido de ferro amarelo (E172), polietilenoglicol. Qual o aspeto de Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes e conteúdo da embalagem Salofalk 250 mg comprimidos são comprimidos gastrorresistentes redondos, de cor amarelo claro a ocre, de superfície lisa sem ranhura.

Salofalk 250 mg comprimidos gastrorresistentes está disponível em embalagens de 20 e 60 comprimidos. APROVADO EM 15-04-

14 INFARMED T

itular da Autorização de Introdução no Mercado e Fabricante Titular da Autorização de Introdução no Mercado DR. FALK PHARMA PORTUGAL, Sociedade Unipessoal, LDA Edifício Mar do Oriente, Alameda dos Oceanos, Lote 1.07.1Y - Fração 3.2 1990-203 Lisboa Portugal Fabricantes Dr. Falk Pharma Gmb

H Leinenweberstrasse 5 D-79108 Freiburg Alemanha Este folheto foi revisto pela última vez em


DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Edema: Acúmulo anormal de líquido nos espaços intercelulares dos tecidos ou em diferentes cavidades corporais (peritôneo, pleura, articulações, etc.).
  2. Febre: Elevação da temperatura corporal acima de um valor normal, estabelecido entre 36,7ºC e 37ºC, quando medida na boca.
  3. Icterícia: Pigmentação amarelada da pele e mucosas devido ao aumento da concentração de bilirrubina no sangue. Pode ser acompanhada de sintomas como colúria (ver), prurido, etc. Associa-se a doenças hepáticas e da vesícula biliar, ou à hemólise (ver).
  4. Neuropatia: Doença que afeta a um (mononeuropatia) ou vários nervos (polineuropatia). Seus sintomas dependem da localização e tipo de nervo comprometido, podendo ser motores (fraqueza muscular) ou sensitivos (diminuição da sensibilidade, dor). Entre suas causas figuram certos tóxicos, distúrbios metabólicos, infecções, doenças degenerativas, etc.
  5. Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.

Síguenos

X