UFT

Para que serve UFT

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


FOLHETO INFORMATIVO

INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

UFT 100 mg/224 mg CápsulasTegafur/uraciloLeia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento.Conserve este folheto. Pode ter necessidade de o reler.Caso ainda tenha dúvidas, fale com o seu médico ou farmacêutico.Este medicamento foi receitado para si. Não deve dá-lo a outros; o medicamento podeser-lhes prejudicial mesmo que apresentem os mesmos sintomas.Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundáriosnão mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.Neste folheto:

1. O que é UFT e para que é utilizado2. Antes de tomar

UFT

3. Como tomar

UFT

4. Efeitos secundários possíveis5. Como conservar

UFT

6. Outras informações1. O que é UFT e para que é utilizadoUFT é composto por duas substâncias. Uma é denominada tegafur e a outra uracilo.

O

tegafur é um medicamento usado para o tratamento do cancro (citostático) e o uraciloajuda a que o tegafur tenha uma melhor acção. O seu efeito é reduzir a taxa à qual otegafur é excretado do organismo.UFT é usado para tratar o cancro avançado do cólon e do recto. É usado em associaçãocom outro medicamento, que contém folinato de cálcio.2. Antes de tomar

UFT

Não tome

UFT

se tem alergia (hipersensibilidade) ao tegafur, uracilo, 5-fluorouracil ou a qualquer outrocomponente de UFT se tem um problema no fígado, que o impede de funcionardevidamente se sabe ter uma deficiência em algumas enzimas do fígado, que ajudam aexcretar UFT do organismo (CYP2A6, dihidropirimidina-desidrogenase) se está, ouesteve recentemente, a ser tratado para a zona (herpes zoster) com medicamentos, taiscomo a brivudina, que bloqueia a enzima dihidropirimidina-desidrogenase (ver também

"Ao tomar UFT com outros medicamentos") se tiver alteração da medula óssea, causadapor tratamentos de radioterapia anteriores ou tratamento com outros medicamentosantineoplásicos se estiver grávida ou se planear engravidar (consulte abaixo "Gravidez")se estiver a amamentar (consulte "Aleitamento" abaixo).Caso alguma das situações acima descritas se aplique a si, não tome este medicamento efale com o seu médico.

UFT não deverá ser administrado em adolescentes, crianças ou lactentes.Tome especial cuidado com

UFT

Caso algumas das situações descritas a seguir seja aplicável a si, fale com o seu médico.O tratamento pode obrigar a uma supervisão mais próxima do seu médico, se: tiverproblemas de fígado, ou se aparecerem problemas durante a toma deste medicamentoos seus rins não estiverem a funcionar devidamente tiver problemas de coração tiverproblemas devidos a obstrução intestinal for idoso tiver diarreia grave durante ou poucotempo após o tratamento com UFT.Ao tomar UFT com outros medicamentosInforme o seu médico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outrosmedicamentos, incluindo medicamentos obtidos sem receita médica. Tome especialatenção caso tome algum dos seguintes medicamentos:Medicamentos que inibem uma determinada enzima do fígado (inibidores dadihidropirimidina-desidrogenase, tais como brivudina, utilizada no tratamento de"herpes zoster"):Caso sejam usados em combinação com UFT, estes medicamentos podem aumentar orisco de efeitos secundários graves, por vezes ameaçadores da vida. Não tome UFT emcombinação com estes medicamentos ou dentro de 4 semanas após ter recebidotratamento com estes medicamentos.Alguns medicamentos usados para fluidificar o sangue (anticoagulantes cumarínicos,tais como a varfarina):O UFT pode interferir com o modo de acção destes medicamentos. O seu médicopoderá necessitar de realizar análises ao sangue com maior frequência, especialmente noinício do tratamento com UFT.Medicamentos com fenitoína, usada no tratamento da epilepsia:Caso estes medicamentos sejam tomados em combinação com UFT, podem aumentaros efeitos secundários da fenitoína. O seu médico poderá necessitar de verificarregularmente os seus níveis sanguíneos de fenitoína.Medicamentos que bloqueiam uma determinada enzima do fígado (CYP2A6) ou quesão por ela decompostos no organismo (tais como a cumarina, usada para fluidificar osangue, metoxipsoraleno usado em alguns problemas de pele, ou clotrimazol,cetoconazol ou miconazol, usados em infecções fúngicas):Se algum destes medicamentos for usado em associação com o UFT, podem não ter aacção devida. Podem igualmente impedir o UFT de funcionar devidamente.Ao tomar UFT com alimentos e bebidasA administração de UFT com alimentos pode afectar a sua eficácia e a sua absorçãopelo organismo.Deve tomar este medicamento em jejum, no mínimo uma hora antes ou uma hora depoisdas refeições.GravidezConsulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

Antes de tomar o UFT, certifique-se que não está grávida, pois pode prejudicargravemente o seu bebé. Recomenda-se vivamente que não engravide durante otratamento com este medicamento.

Certifique-se que está a fazer uma contracepção fiável durante e até 3 meses após o fimdo tratamento. Tal aplica-se tanto a homens como a mulheres.Se acha que está grávida ou a sua companheira possa estar grávida, fale imediatamentecom o seu médico.Um doente do sexo masculino que considere ter filhos, durante ou após o tratamento,deve procurar aconselhamento médico antes do tratamento. Poderá querer aconselhar-sesobre a conservação de esperma antes de iniciar a terapêutica.AleitamentoConsulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.

Não se sabe se as substâncias activas do UFT passam para o leite humano. Deste modo,não amamente durante o tratamento com este medicamento, para prevenir que o seubebé sofra efeitos secundários graves.Condução de veículos e utilização de máquinasEste medicamento, por si só, não influencia a sua capacidade de conduzir ou utilizarmáquinas. Contudo, alguns doentes podem sentir confusão, como efeito secundário.Caso tal lhe aconteça, não conduza nem utilize máquinas até este sintoma desaparecer.3. Como tomar

UFT

Tomar UFT sempre de acordo com as indicações do médico. Fale com o seu médico oufarmacêutico se tiver dúvidas.O seu tratamento com UFT será acompanhado por um médico com experiência no usode medicamentos antineoplásicos.

Como referido na secção 2, este medicamento não pode ser tomado por lactentes,crianças e adolescentes, com idade inferior a 18 anos.Dose habitualA dose habitual é 3, 4, 5, ou 6 cápsulas de UFT por dia, dependendo da sua superfíciecorporal. O seu médico determinará a sua dose diária. Tome a sua dose diária em trêstomas, de manhã, à tarde e à noite, da seguinte forma: Cápsulas de

UFT

Manhã Tarde Noite por dia3 1 1 1 4 2 1 1 5 2 2 1 6 2 2 2

Como tomar

UFT

Tome cada dose pelo menos uma hora antes ou uma hora depois das refeições.Engula cada cápsula com um copo de água. Não abra as cápsulas.

Durante quanto tempo tomar

UFT

UFT é administrado em ciclos de tratamento. Cada ciclo é composto por 28 dias detratamento com UFT e folinato de cálcio, como explicado adiante, interrompendo-se otratamento nos 7 dias seguintes.Se tomar mais UFT do que deveriaSe tomar mais cápsulas de UFT do que deveria, os efeitos secundários poderãoaumentar ou agravar-se, incluindo náuseas, vómitos, diarreia, úlceras do estômago ouintestino, hemorragia ou depressão da medula óssea. Como alguns destes efeitossecundários podem ter consequências graves, fale com o seu médico de imediato.Caso se tenha esquecido de tomar

UFT

Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.Retome a dose na próxima toma.Caso ainda tenha dúvidas sobre a utilização deste medicamento, fale com o seu médicoou farmacêutico.Tomar folinato de cálcioSer-lhe-á igualmente prescrito um medicamento contendo folinato de cálcio.

A dose diária habitual é de 90 mg (miligramas)A dose diária deve ser administrada em três tomas: 30 mg de manhã, 30 mg à tarde e30 mg à noite.

Tome cada dose ao mesmo tempo que tomar UFT. Isto é importante para garantir aeficácia do seu tratamento.4. Efeitos secundários possíveisComo todos os medicamentos, UFT pode causar efeitos secundários, no entanto estesnão se manifestam em todas as pessoas.Fale com o seu médico caso sinta algum dos seguintes efeitos secundários:Efeitos secundários muito frequentes (afectam mais de 1 em 10 doentes)Redução do número de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos ou plaquetas sanguíneas(anemia, trombocitopenia, leucopenia, neutropenia), depressão da medula óssearesultando na redução da produção de células sanguíneas. Estes efeitos indesejáveispodem causar fraqueza, aumentar o risco de infecções, hemorragias ou hematomas.Caso observe algum destes efeitos secundários, consulte o seu médico. O médicopoderá aconselhá-lo a parar temporariamente o tratamento com o UFT, ou alterar adose.Diarreia. Em caso de persistência da diarreia, consulte o seu médico. O médico poderáaconselhá-lo a parar temporariamente o tratamento com o UFT, ou alterar a dose.Outros efeitos secundários possíveis:Efeitos secundários muito frequentes (afectam mais de 1 em 10 doentes)Náuseas, vómitos, dor abdominal, aftas na boca, anorexia.

Sensação de fraqueza.Aumento dos níveis sanguíneos de algumas enzimas do fígado (fosfatase alcalina, ALT,AST) ou bilirrubina.Efeitos secundários frequentes (afectam menos de 1 em 10 doentes)Infecções fúngicas.Desidratação, má nutrição.Alteração ou perda do paladar, sedação, tonturas, insónias, depressão, dormência oupicadas nos pés ou mãos, confusão.Corrimento lacrimal, inflamação dos olhos (conjuntivite).Edema dos joelhos.Inflamação das veias.Dificuldade em respirar, aumento da tosse, inflamação da garganta.Obstipação, flatulência, indigestão, inflamação das membranas mucosas, boca seca,arrotos (eructação), obstrução intestinal.Queda de cabelo, exantema, descamação, descoloração da pele, comichão, sensibilidadeà luz, suor, pele seca, alterações das unhas.Dores musculares, dor nas costas, dor nas articulações.Febre, dor de cabeça, mal-estar, arrepios, dor.Perda de peso.Efeitos secundários pouco frequentes (afectam menos de 1 em 100 doentes)Infecção, sepsis.Dificuldades de coagulação sanguínea, redução do número de glóbulos brancosacompanhada de febre (neutropenia febril).Batimento cardíaco irregular, falha cardíaca, ataque cardíaco, paragem cardíaca.Colapso circulatório.Embolia pulmonar (obstrução repentina de uma artéria pulmonar causada por umcoágulo sanguíneo).Inflamação do estômago ou intestino, perfuração intestinal.Inflamação do fígado, icterícia, falha do fígado.Funcionamento irregular dos rins, retenção urinária, sangue na urina.Impotência.Dor no peito.Efeitos secundários raros (afectam menos de 1 em 1000 doentes)Alterações na substância branca cerebral (leucoencefalopatia).Distúrbios ou perda do olfacto (anosmia, parosmia).Pneumonia intersticial.Cansaço.Efeitos secundários muito raros (afectam menos de 1 em 10000 doentes)Perturbações sanguíneas graves (anemia hemolítica, síndroma mielodisplástico,leucemia mielóide aguda, leucemia promielocítica aguda, agranulocitose, pancitopenia),coagulação intravascular disseminada.Perda de memória, perturbações motoras incluindo movimentos descontrolados eparalisia de mãos e pés, perturbações da fala, distúrbios ao andar, distúrbios daconsciência, diminuição anormal da sensibilidade ao toque (hipoestesia).Pneumonia.

Inflamação aguda do pâncreas, úlcera do estômago ou intestino, inactividade intestinal(íleo paralítico), fluidos abdominais (ascite), inflamação intestinal (colite isquémica).Cirrose hepática, fibrose hepática, inflamação hepática grave com rápida progressão(hepatite fulminante).Alterações cutâneas semelhantes a lúpus eritematoso, outras perturbações cutâneasincluindo vesículas, erupção com lesões avermelhadas e papulosas, reacção cutâneagrave (síndroma de Stevens-Johnson), palmas das mãos ou solas dos pés avermelhadase inflamadas com possibilidade de descamação (síndroma da mão-pé).Falha renal aguda, síndroma nefrótica (uma doença renal), incontinência urinária.Falha múltipla de órgãos.Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundáriosnão mencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.5. Como conservar

UFT

Manter fora do alcance e da vista das crianças.Não utilize UFT após o prazo de validade impresso na embalagem exterior. O prazo devalidade corresponde ao último dia do mês indicado.Não conservar acima de 25°C.Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico.Pergunte ao seu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita.Estas medidas irão ajudar a proteger o ambiente.6. Outras informaçõesQual a composição de

UFT

As substâncias activas são tegafur e uracilo. Cada cápsula contém 100 mg de tegafur e224 mg de uracilo.Os outros componentes são hidroxipropilcelulose e laurilsulfato de sódio na cápsula;gelatina e dióxido de titânio (E171) no corpo da cápsula; dióxido de titânio (E171),óxido de ferro vermelho sintético (E172), cera de carnaúba, goma laca e monooleato degliceril na impressão do corpo da cápsula (tinta edível).Qual o aspecto de UFT e conteúdo da embalagemAs cápsulas UFT apresentam cor branca opaca com o código TC434 impresso. Estãodisponíveis em caixas de 21, 28, 35, 36, 42, 56, 70, 84, 112, 120, 140, 144 (4x36) ou168 cápsulas.É possível que não sejam comercializadas todas as apresentações.

Titular da Autorização de Introdução no Mercado

Merck, s.a.Rua Alfredo da Silva, 3

C

1300-040 LisboaFabricanteMerck KGa

A

Frankfurter Str. 25064293 DarmstadtAlemanhaEste medicamento encontra-se autorizado nos Estados Membros do Espaço EconómicoEuropeu (EEE) sob as seguintes denominações:Áustria:

UFT

Bélgica:

UFT

Dinamarca: UftoralFinlândia:

UFT

França:

UFT

Alemanha:

UFT

Grécia:

UFT

Islândia:

UFT

Irlanda:

UFT

Itália:

UFT

Luxemburgo:

UFT

Holanda:

UFT

Noruega:

UFT

Portugal:

UFT

Espanha:

UFT

Suécia:

UFT

Reino Unido: UftoralEste folheto foi aprovado pela última vez em



DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Bilirrubina: Pigmento amarelo que é produto da degradação da hemoglobina. Quando aumenta no sangue, acima de seus valores normais, pode produzir uma coloração amarelada da pele e mucosas, denominada icterícia. Pode estar aumentado no sangue devido a aumento da produção do mesmo (excesso de degradação de hemoglobina) ou por dificuldade de escoamento normal (p. ex. cálculos biliares, hepatite).
  2. Edema: Acúmulo anormal de líquido nos espaços intercelulares dos tecidos ou em diferentes cavidades corporais (peritôneo, pleura, articulações, etc.).
  3. Embolia: Impactação de uma substância sólida (trombo, colesterol, vegetação, inóculo bacteriano), líquida ou gasosa (embolia gasosa) em uma região do circuito arterial com a conseqüente obstrução do fluxo e isquemia (ver).
  4. Febre: Elevação da temperatura corporal acima de um valor normal, estabelecido entre 36,7ºC e 37ºC, quando medida na boca.
  5. Icterícia: Pigmentação amarelada da pele e mucosas devido ao aumento da concentração de bilirrubina no sangue. Pode ser acompanhada de sintomas como colúria (ver), prurido, etc. Associa-se a doenças hepáticas e da vesícula biliar, ou à hemólise (ver).
  6. Impotência: Termo freqüentemente utilizado para se referir à impotência sexual masculina, distúrbio caracterizado pela incapacidade de iniciar ou manter uma ereção peniana satisfatória para realizar o ato sexual.
  7. Incontinência: Incapacidade de controlar o esvaziamento da bexiga ou do reto. Como resultado produz-se perda de urina ou matéria fecal involuntariamente. As pessoas com incontinência podem apresentar um defeito adquirido ou congênito no mecanismo esfincteriano, ou alguma anormalidade neurológica que as impeça de reconhecer o estado de plenitude da bexiga ou reto e de promover esvaziamento destes quando for conveniente.
  8. Hemorragia: Perda de sangue para um órgão interno (tubo digestivo, cavidade abdominal) ou para o exterior (ferimento arterial). De acordo com o volume e velocidade com a qual se produz o sangramento uma hemorragia pode produzir diferentes manifestações nas pessoas, desde taquicardia, sudorese, palidez cutânea, até o choque.
  9. Leucemia: Doença maligna caracterizada pela proliferação anormal de elementos celulares que originam os glóbulos brancos (leucócitos). Como resultado, produz-se a substituição do tecido normal por células cancerosas, com conseqüente diminuição da capacidade imunológica, anemia, distúrbios da função plaquetária, etc.
  10. Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
  11. Neutropenia: Queda no número de neutrófilos no sangue abaixo de 1000 por milímetro cúbico. Esta é a cifra considerada mínima para manter um sistema imunológico funcionando adequadamente contra os agentes infecciosos mais freqüentes. Quando uma pessoa neutropênica apresenta febre, constitui-se uma situação de ???emergência infecciosa???.
  12. Má nutrição: Qualquer transtorno da alimentação tanto por excesso quanto por falta da mesma.A qualidade dos alimentos deve ser balanceada de acordo com as necessidades fisiológicas de cada um.
  13. Pâncreas: Glândula de secreção endócrina (ver), por sua produção de insulina, glucagon e peptídios intestinais que são lançados na corrente sangüínea e exócrina (ver) por sua produção de potentes enzimas digestivas lançadas no intestino delgado. Localiza-se profundamente na cavidade abdominal e possui um tamanho aproximado de 15x7cm.
  14. Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
  15. Radioterapia: Método que utiliza diversos tipos de radiação ionizante para tratamento de doenças oncológicas.
  16. Zoster: Doença produzida pelo mesmo vírus que causa a varicela (Varicela-Zóster)Em pessoas que já tenham tido varicela, o vírus se encontra em forma latente e pode ser reativado produzindo as características manchas avermelhadas, vesículas e crostas no território de distribuição de um determinado nervo. Como seqüela pode deixar neurite (ver), com dores importantes.

Síguenos

X