Vagotrope S

Para que serve Vagotrope S

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


FOLHETO INFORMATIVO


Nome do medicamento:

VAGOTROPE "S"Composição qualitativa e quantitativa da substância activa:Injectável (composição por ml):Brometo de N – Butilescopolamina

-0.020 g Excipientes:Bissulfito de sódio

- 0.010 g Fosfato de sódio

- 0.0268 g Ácido cítrico - 0.0073 g Água para preparações injectáveis q.b.p. 1 mlForma Farmacêutica e Respectivo conteúdo em unidades:Solução injectável, 0.020 mg/ml de Brometo de N-Butilescopolamina, para administração por viaintravenosa, ou por via intramuscular.

Caixa de 6 ampolas de 1 ml.Caixa de 60 ampolas de 1 ml.Categoria farmaco-terapêutica:III – 5 (fármacos com acção no sistema Nervoso Vegetativo, parassimpaticolíticos, com acçãoantiespasmódica e anti-secretória)Designação e Sede do Titular da

AIM

IREX -Promoção e Comercialização de Produtos Farmacêuticos, Ld.ªEmpreendimento Lagoas ParkEdifício 7, 2º e 3º andar2740 – 244 Porto SalvoIndicações terapêuticas:• Alterações motoras e espásticas do tracto gastrintestinal. • Alterações motoras e espásticas das vias urinárias. • Alterações motoras e espásticas das vias biliares e pancreáticas. • Alterações motoras e espásticas das vias funcionais orgânicas. • Coadjuvante de manobras instrumentais: endoscopia do aparelho digestivo e urogenital.

Curetagem. Contra-indicações:• Retenção urinária (por perturbações uretro-prostáticas. • Glaucoma.Efeitos indesejáveis:
Vagotrope S - injectável

FI

Muito raramente, podem ocorrer em doentes mais sensíveis, sonolência, fadiga e secura da boca.

Podem ocorrer efeitos indesejáveis anticolinérgicos incluindo xerostomia, disidria, taquicardia epotencial retenção urinária, mas que são geralmente moderados e limitados.Muito raramente foram reportadas reacções de hipersensibilidade, incluindo reacções cutâneas e emcasos extremamente raros, dispneia.Os derivados quaternários da hioscina tal como o Brometo de N-Butil-escopolamina, não atravessama barreira hemato-encefálica, donde os efeitos centrais (depressão do SNC), são raros.Recomenda-se uma particular precaução no doente idoso, ou doentes com função metabólica,hepática ou renal diminuídas, uma vez que os efeitos a nível do SNC, podem ser mais frequentesnestas situações.

Interacções medicamentosas e outras:No caso de administração concomitante de outras substâncias atropínicas – antiparkinsónicos, anti-
colinérgicos, antidepressores imipramínicos, anti-histamínicos H1 e disopiramida, ter em atenção osefeitos aditivos.Precauções Especiais de Utilização:

Utilizar com prudência em situações de:• Hipertrofia prostática; • Glaucoma; • Insuficiência hepática ou renal; • Insuficiência coronária; • Bronquite crónica (pode aumentar a viscosidade das secreções brônquicas); • Íleo paralítico, atonia intestinal do idoso, magacólon tóxico.Efeitos em grávidas, lactentes, crianças, idosos e outros doentes com patologias especiais:Como na maioria dos medicamentos, o seu uso deve ser ponderado nos primeiros três meses degravidez.No termo da gestação a administração deve ser feita com prudência, dados os riscos de efeitosatropínicos no recém-nascido.Durante o aleitamento o uso deste medicamento deve ser evitado, dado que passa através do leite epode provocar efeitos atropínicos no recém-nascido.Recomenda-se uma particular precaução no doente idoso, ou doentes com função metabólica,hepática ou renal diminuídas, uma vez que os efeitos a nível do SNC, podem ser mais frequentesnestas situações.

Efeitos sobre a capacidade de condução e utilização de máquinas:Improváveis. Todavia os doentes sob tratamento prolongado com este fármaco devem evitarconduzir veículos ou utilizar outras máquinas e abster-se de bebidas alcoólicas.Posologia usual, duração do tratamento e via de de administração:
Vagotrope S - injectável

FI

Adulto: 1 ampola, duas a três vezes por dia, i.v., lenta ou i.m. profundaCrianças (com mais de 5 anos): ½ ampola, duas a três vezes por dia, i.v., lenta ou i.m. profunda.Sobredosagem:Uma vez que até ao momento não foram reportados casos de sobredosagem com VAGOTROPE'S,os seguintes são baseadas em considerações teóricas:Sintomas: Em caso de sobredosagem podem ocorrer sintomas anticolinérgicos como retençãourinária, secura da boca, vermelhidão da pele, taquicardia, inibição da motilidade gastrintestinal eperturbações visuais passageiras.Tratamento: Em caso de envenenamento por via oral, lavagem gástrica com carvão animal, seguidade sulfato de magnésio (15%). Os sintomas de sobredosagem com VAGOTROPE'S, respondem aparasimpaticomiméticos.Em doentes com glaucoma deve ser aplicada pilocarpina localmente. Se necessário, devem seradministrados parasimpaticomiméticos, tal como a neostigmina 0,5-2,5 mg por via intramuscular ouintravenosa.As complicações cardiovasculares devem ser tratadas de acordo com os princípios terapêuticoshabituais.Em caso de paralisia respiratória: Entubação e respiração artificial. A cateterização pode sernecessária no caso de retenção urinária.Se necessário, devem ser empregues medidas de suporte adequadas. Comunique ao seu médico ou farmacêutico qualquer efeito indesejável não mencionado neste
folheto informativo

Verifique sempre o prazo de validade inscrito na embalagem ou no recipiente
Precauções de conservação:

Conservar à temperatura ambiente na embalagem de origem.

Data da elaboração deste Folheto Informativo:Setembro de 2004 Vagotrope S - injectável

FI



DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Glaucoma: Aumento da pressão intra-ocular que se manifesta por dor de cabeça, olho vermelho e, se não tratado, pode produzir perda de visão a longo prazo.
  2. Paralisia: Perda total da força muscular que produz incapacidade para realizar movimentos nos setores afetados. Pode ser produzida por doença neurológica, muscular, tóxica, metabólica ou ser uma combinação das mesmas.
  3. Taquicardia: Aumento da freqüência cardíaca. Pode ser devido a causas fisiológicas (durante o exercício físico ou gravidez) ou por diversas doenças como sepse, hipertireoidismo e anemia. Pode ser assintomática ou provocar palpitações (ver).
  4. Respiração artificial: Tipo de apoio à função respiratória que utiliza um instrumento eletromecânico (respirador artificial), capaz de insuflar de forma cíclica volumes pré-determinados de ar com alta concentração de oxigênio através dos brônquios.
  5. Xerostomia: Ressecamento da boca provocado em geral pela secreção insuficiente de saliva pelas glândulas salivares. ?? ocasionado como efeito colateral de algumas drogas (anticolinérgicos) ou por diversos transtornos locais ou gerais.

Síguenos

X