Ximos

Para que serve Ximos

Recomendações
Recorde-se que antes de tomar este medicamento deverá consultar o seu médico, a informação que lhe disponibilizamos é meramente orientativa e não substitui em nenhuma ocasião a consulta de um médico ou qualquer profissional de saúde.

LEMBRE-SE, NUNCA use esta informação para automedicar-se. A consulta de um médico é imprescindível.


FOLHETO INFORMATIVO

INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

Ximos 125 mg comprimidos revestidosXimos 250 mg comprimidos revestidosXimos 500 mg comprimidos revestidos
Cefuroxima axetil
Leia atentamente este folheto antes de utilizar o medicamentoConserve este folheto. Pode ter necessidade de o relerCaso tenha dúvidas, consulte o seu médico ou farmacêutico.Este medicamento foi receitado para si. Não deve dá-lo a outros; pode ser-lhes prejudicialmesmo que apresentem os mesmos sintomas.Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários nãomencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.Neste folheto:1. O que é Ximos e para que é utilizado2. Antes de tomar Ximos3. Como tomar Ximos4. Efeitos secundários possíveis5. Como conservar Ximos6. Outras Informações

1. O QUE É XIMOS E PARA QUE É

UTILIZADO

Ximos pertence a um grupo de anti-infecciosos antibacterianos denominado cefalosporinas de2ª geração (grupo 1.1.2.2).Os antibacterianos são medicamentos utilizados para eliminar as bactérias (acção bactericida)causadoras de infecções.A cefuroxima é um agente antibacteriano eficaz e bem caracterizado, que tem actividadebactericida contra uma vasta gama de patogénios comuns, incluindo estirpes produtoras debeta-lactamases. Tem uma boa estabilidade às beta-lactamases bacterianas, sendo por issoactiva contra muitas estirpes resistentes à ampicilina ou à amoxicilina.A cefuroxima é geralmente activa in vitro contra os seguintes microrganismos: Aeróbios Gram-negativos: H. influenzae (incluindo estirpes ampicilino-resistentes), H.parainfluenzae, Moraxella (Branhamella) catarrhalis, N. gonorrhoea (incluindo estirpes produtorase não produtoras de penicilinase), E. coli, Klebsiella spp., P. mirabilis, Providencia spp, P. rettgeri. Aeróbios Gram-positivos: S. aureus e S. epidermidis (incluindo estirpes produtoras depenicilinase mas excluindo estirpes meticilino-resistentes), S. pyogenes (e outros estreptococoshemolíticos beta), S. pneumoniae, Streptococcus Grupo B (S. agalactiae). Anaeróbios: cocos Gram-positivos e Gram-negativos (incluindo espécies de Peptococcus ePeptostreptococcus), bacilos Gram-positivos (incluindo espécies de Clostridium) e bacilos Gram-
negativos (incluindo espécies de Bacteroides e Fusobacterium), Propionibacterium spp. Outros microrganismos: Borrelia burgdorferi.

Os seguintes microrganismos não são susceptíveis à cefuroxima: C. difficile, Pseudomonasspp., Campylobacter spp., Acinetobacter calcoaceticus, L. monocytogenes, estirpes de S.aureus e de S. epidermidis meticilino-resistentes, Legionella spp.

Algumas espécies dos seguintes géneros não são susceptíveis à cefuroxima: Enterococcus(Streptococcus) faecalis, Morganella morganii, P. vulgaris, Enterobacter spp., Citrobacter spp.,Serratia spp., Bacteroides fragilis.Ximos é utilizado no tratamento de:infecções dos ouvidos, nariz e garganta, tais como otite média, sinusite, amigdalite e faringite;infecções respiratórias, por ex., pneumonia, bronquite aguda e exacerbações agudas dabronquite crónica;infecções do aparelho genital e urinário, por ex. pielonefrite, cistite, uretrite, gonorreia, uretritegonocócica aguda não complicada e cervicite;infecções da pele e tecidos moles, por ex., furunculose, piodermia e impetigo.A cefuroxima é também comercializada sob a forma de sal sódico (Curoxime) paraadministração parentérica, permitindo a terapêutica sequencial com o mesmo antibacteriano,quando for clinicamente indicada a passagem da administração parentérica para a oral.

Quando apropriado, Ximos é eficaz no tratamento da pneumonia e exacerbação aguda dabronquite crónica, quando administrado após terapêutica parentérica inicial com Curoxime(cefuroxima sódica).

2.

ANTES DE TOMAR XIMOS

Não tome Ximos
:se tem alergia (hipersensibilidade) à cefuroxima axetil, substância activa, ou a qualquer outrocomponente de Ximos;se tem hipersensibilidade conhecida aos antibacterianos cefalosporínicos.Tome especial cuidado com Ximos:- se manifestou reacção alérgica à penicilina ou a outros antibióticos beta-lactâmicos.Como com outros antibacterianos, o uso prolongado de Ximos pode originar desenvolvimento demicrorganismos não susceptíveis, podendo ser necessária a interrupção do tratamento.

Têm sido referidas situações de inflamação grave da mucosa intestinal com excreção de mucomembranar ou de materiais de natureza albuminosa, obstipação e dores abdominais (colitepseudomembranosa) com o uso de antibacterianos de largo espectro. Caso tenha estes sinais esintomas durante ou após utilização do antibacteriano, é importante que contacte imediatamenteo seu médico.Na terapêutica sequencial, a passagem para a terapêutica oral é determinada pela gravidade dainfecção, situação clínica do doente e susceptibilidade dos microrganismos envolvidos. Se não severificar melhoria clínica em 72 horas, dever-se-á manter o tratamento por via parentérica.Tomar Ximos com outros medicamentos:Contacte o seu médico caso: tenha que fazer análises para determinação da quantidade de açúcar no sangue. O tratamentocom Ximos pode alterar os resultados;tome medicamentos para reduzir a acidez gástrica. Estes medicamentos podem diminuir aabsorção de Ximos.se está a tomar probenecide. Este medicamento origina concentrações séricas mais elevadas emantidas de Ximos, pelo que o seu médico poderá ter de ajustar a dose.

Informe o seu médico ou farmacêutico se estiver a tomar ou tiver tomado recentemente outrosmedicamentos, incluindo medicamentos sem receita médica.Tomar Ximos com alimentos e bebidas:Os comprimidos de Ximos devem ser tomados após as refeições, para melhor absorção.Gravidez e aleitamentoConsulte o seu médico ou farmacêutico antes de tomar qualquer medicamento.Informe o seu médico se estiver grávida, se planeia engravidar ou está a amamentar. Comocom todos os medicamentos, Ximos deve ser administrado com precaução durante os primeirosmeses de gravidez.

A cefuroxima axetil é excretada no leite materno, pelo que se recomenda precaução naadministração durante o período de amamentação.Condução de veículos e utilização de máquinas:Este medicamento pode causar tonturas e deste modo interferir na capacidade de conduzir ouutilizar máquinas.

Informações importantes sobre alguns componentes de XimosOs comprimidos Ximos contêm parabenos que podem causar reacções alérgicas (possivelmenteretardadas).3.

COMO TOMAR XIMOS

Tome Ximos conforme prescrito pelo seu médico. É importante que cumpra o período detratamento recomendado pelo médico, não devendo interromper o tratamento mesmo que sesinta melhor, a fim de evitar o desenvolvimento de microrganismos pouco susceptíveis. Se tiverdúvidas sobre como tomar este medicamento, pergunte ao seu médico ou farmacêutico.Adultos:Maioria das infecções, infecções ligeiras ou moderadas do tracto respiratório inferior (por ex.bronquite), pielonefrite: 250 mg, duas vezes por dia.Infecções mais graves do tracto respiratório inferior, ou caso se suspeite de pneumonia: 500 mg,duas vezes por dia. Infecções urinárias: 125 mg, duas vezes por dia. Gonorreia não complicada: uma dose única de 1 g.Terapêutica sequencial:Pneumonia: 1,5 g de Curoxime por via intravenosa, duas vezes por dia, durante 48 a 72 horas,seguido de terapêutica oral com Ximos, 500 mg duas vezes por dia, durante 7 a 10 dias. Exacerbação aguda da bronquite crónica: 750 mg de Curoxime por via intravenosa, duas vezespor dia, durante 48 a 72 horas, seguido de terapêutica oral com Ximos, 500 mg duas vezes pordia, durante 5 a 10 dias.A duração da terapêutica parentérica e oral é determinada pela gravidade da infecção e situaçãoclínica do doente.Idosos:- Dose idêntica à dos adultos para o idoso sem insuficiência renal.Insuficiência renal:- Em doentes com clearance da creatinina > 20ml/min não é necessário reduzir a dose padrão.Em adultos com clearance da creatinina de 20ml/min recomenda-se a administração da dose

adequada ao tipo de infecção uma vez por dia. Em doentes em hemodiálise recomenda-se aadministração de uma dose adicional no final de cada secção.Crianças:A forma farmacêutica comprimidos não é a mais recomendada para crianças com idade inferiora 12 anos ou peso inferior a 30kg. Para este grupo etário existe disponível o medicamentoXimos na forma farmacêutica de granulado para suspensão oralCrianças ? 12 anos: dose idêntica à dos adultos.Os comprimidos de Ximos não devem ser esmagados. Ximos granulado para suspensão oraldeve ser utilizado em crianças que não conseguem deglutir os comprimidos.Não há experiência de utilização de Ximos em crianças com idade inferior a 3 meses.Duração média do tratamentoA duração usual do tratamento é de 7 dias (5-10 dias).Se tomar mais Ximos do que deveria:Caso tome uma dose muito superior à recomendada e não se sinta bem, deve informar o seumédico ou farmacêutico imediatamente ou contactar o serviço de urgência do hospital maispróximo para aconselhamento. Leve este folheto consigo para que os profissionais de saúdeidentifiquem o medicamento que tomou.Doses elevadas podem provocar irritação a nível cerebral, originando convulsões. A cefuroximapode ser eliminada do organismo por hemodiálise ou diálise peritoneal.Caso se tenha esquecido de tomar Ximos:Caso se esqueça de tomar o medicamento, deve tomá-lo assim que se lembrar e continuarconforme indicado pelo médico.

Não tome uma dose a dobrar para compensar uma dose que se esqueceu de tomar.4. EFEITOS SECUNDÁRIOS POSSÍ

VEIS

A maioria dos doentes não tem problemas relacionados com o tratamento. No entanto, comocom todos os medicamentos, alguns doentes poderão sentir efeitos secundários com Ximos, osquais têm sido, em geral, transitórios e de intensidade ligeira.Alguns doentes podem ser alérgicos a determinados medicamentos. Caso ocorra qualquer dossintomas seguintes, indicadores de reacção de hipersensibilidade (alérgica) após utilizar Ximos,interrompa a sua administração e contacte o médico imediatamente:falta de ar súbita ou pressão no peito;inchaço dos olhos, face ou lábios;erupções cutâneas granulosas, urticária ou prurido em qualquer zona do corpo.Como com outras cefalosporinas, têm sido relatados casos muito raros de eritema multiforme,síndrome de Stevens-Johson, necrólise epidérmica tóxica (necrólise exantemática) e outrasreacções de hipersensibilidade incluindo febre, doença do soro e reacção alérgica sistémica(reacção anafiláctica).

Caso ocorram os seguintes sintomas, interrompa a administração de Ximos, e contacte o seumédico assim que possível:diarreia ou indisposição intensas (náuseas ou vómitos) ou dor intensa no estômago;sangramento rectal;coloração amarela na pele ou olhos.Como com outros antibacterianos de largo espectro, têm sido relatados casos de colitepseudomembranosa.

Caso ocorram os seguintes sintomas, não interrompa a administração de Ximos, no entanto,contacte o seu médico assim que possível:descoloração ou descamação da pele;dores de cabeça e tonturas;diarreia, indisposição ligeiras e dor abdominal.Durante o tratamento com Ximos tem ocorrido eosinofilia e aumentos transitórios dos níveis dasenzimas hepáticas. Têm ocorrido alguns casos de diminuição, por vezes acentuada, do númerode plaquetas e de glóbulos brancos. Caso tenha um número de plaquetas baixo, poderá notarque forma nódoas negras mais facilmente; a redução do número de glóbulos brancos poderátorná-lo mais susceptível a infecções.A classe dos antibacterianos cefalosporínicos pode causar resultados positivos no teste deCoombs (o que pode interferir com a classificação do sangue) e, muito raramente, diminuiçãodo número de glóbulos vermelhos associada a destruição excessiva destas células (anemiahemolítica). Foram também notificados casos muito raros de hepatite.Se algum dos efeitos secundários se agravar ou se detectar quaisquer efeitos secundários nãomencionados neste folheto, informe o seu médico ou farmacêutico.5.

COMO CONSERVAR XIMOS

Não conservar acima de 30°C.Como com todos os medicamentos, mantenha Ximos fora do alcance e da vista das crianças.Não utilizar após o prazo de validade impresso na embalagem. O prazo de validadecorresponde ao último dia do mês indicado.Os medicamentos não devem ser eliminados na canalização ou no lixo doméstico. Pergunte aoseu farmacêutico como eliminar os medicamentos de que já não necessita. Estas medidas irãoajudar a proteger o ambiente.6. OUTRAS INFORMAÇÕ

ES

Qual a composição de Ximos
A substância activa é cefuroxima, sob a forma de cefuroxima axetil.

Os outros componentes são: Núcleo do comprimido: celulose microcristalina, croscarmelosesódica, laurilsulfato de sódio, óleo vegetal hidrogenado e sílica coloidal. Revestimento:hipromelose, propilenoglicol, para-hidroxibenzoato de metilo (E218), para-hidroxibenzoato depropilo (E216), dióxido de titânio (E171), benzoato de sódio (E211) ), álcool industrial metilado eágua purificada.Qual o aspecto de Ximos e conteúdo da embalagemXimos apresenta-se sob a forma farmacêutica de comprimidos revestidos para administraçãooral, em embalagens de 10 e 20 comprimidos.

Titular da Autorização de Introdução no MercadoGlaxo Wellcome Farmacêutica, Lda.

R. Dr. António Loureiro Borges,3Arquiparque, Miraflores

1495-131 AlgésPara quaiquer informações queira contactar o representante local do titular da autorização deintrodução no mercado.Este folheto foi aprovado pela última vez em:



DEFINIÇÕES MÉDICAS
  1. Acidez gástrica: Estado normal do conteúdo do estômago caracterizado por uma elevada quantidade de íons hidrogênio, quantidade esta que pode ser medida através de uma escala logarítmica denominada pH (ver pH).
  2. Bactéria: Organismo unicelular, capaz de auto-reproduzir-se. Existem diferentes tipos de bactérias, classificadas segundo suas características de crescimento (aeróbicas ou anaeróbicas, etc.), sua capacidade de absorver corantes especiais (Gram positivas, Gram negativas), segundo sua forma (bacilos, cocos, espiroquetas, etc.). Algumas produzem infecções no ser humano, que podem ser bastante graves.
  3. Faringite: Inflamação da mucosa faríngea em geral de causa bacteriana ou viral. Caracteriza-se por dor, dificuldade para engolir e vermelhidão da mucosa, acompanhada de exsudatos (ver) ou não.
  4. Febre: Elevação da temperatura corporal acima de um valor normal, estabelecido entre 36,7ºC e 37ºC, quando medida na boca.
  5. Impetigo: Infecção da pele e mucosas, produzida por uma bactéria chamada Estreptococo, e caracterizada pela presença de lesões avermelhadas, com formação posterior de bolhas que contém pus e que, ao romper-se, deixam uma crosta cor de mel. Pode ser transmitida por contato entre as pessoas, como em creches.
  6. Náuseas: Vontade de vomitar. Forma parte do mecanismo complexo do vômito e pode ser acompanhada de sudorese, sialorréia (salivação excessiva), vertigem, etc.
  7. Nefrite: Termo que significa ???inflamação do rim??? e que agrupa doenças caracterizadas por lesões imunológicas ou infecciosas do tecido renal. Alguns exemplos são a nefrite intersticial por drogas, a glomerulonefrite pós-estreptocócica, etc. Podem manifestar-se por hipertensão arterial, hematúria e dor lombar.
  8. Tecido: Conjunto de células de características semelhantes, organizadas em estruturas complexas para cumprir uma determinada função. Exemplo de tecido: o tecido ósseo encontra-se formado por osteócitos dispostos em uma matriz mineral para cumprir funções de sustentação.
  9. Uretrite: Inflamação da uretra de causa geralmente infecciosa. Manifesta-se por ardor ao urinar e secreção amarelada drenada pela mesma. Em mulheres esta secreção pode não ser evidente.
  10. Urticária: Reação alérgica manifestada na pele como elevações pruriginosas, acompanhadas de vermelhidão da mesma. Pode afetar uma parte ou a totalidade da pele. Em geral é autolimitada e cede em pouco tempo, podendo apresentar períodos de melhora e piora ao longo de vários dias.

Síguenos

X