CHELIDONIUM

Para que serve esta planta medicinai

Informação sobre CHELIDONIUM


CHELIDONIUM


Chelidonium majus (L.) - PAPAVERACEAE

SINONÍMIA HOMEOPÁTICA

Chelidonium majus, Celidônia, Celidonia maior, Quelidônio.

DESCRIÇÃO DA PLANTA

Chelidonium majus L. é planta herbácea perene, caducifolia, com raiz fusiforme, de cor castanho-
avermelhada por fora e branca, internamente. É planta erecta com 30 a 80 cm de altura, tendo o talo
ramificado, piloso, quebradiço, do qual exsuda látex amarelo, de odor forte e de sabor amargo. As
folhas são grandes, alternas, pecioladas, verde-escuras na face ventral, glaucas na face dorsal. As
flores são pequenas, com 6 a 8 mm de largura, amarelas, dispostas em falsa umbela contendo de 2 a 7
flores com pedúnculos irregulares, compreendendo duas sépalas amarelas, caducas, e quatro pétalas
também amarelas; apresentam muitos estames (de 16 a 24) e ovário com dois carpelos, com estilete
muito curto. Os frutos são cápsulas lineares bivalvas com 2,5 – 5,0 mm de comprimento, deiscentes a
partir da base e as sementes acham-se dispostas em duas fileiras, são quase negras e providas de arilo
arqueado em forma de crista. A raiz é pouco espessa, comprida, afunilada, terminando em ponta fina;
é freqüentemente ramificada, fissurada, fibrosa, esponjosa e de cor castanho-avermelhada,
externamente. É densamente coberta por pequenas raízes secundárias, escuras e fibrosas. Sua secção
transversal é amarela clara ou alaranjada e exsuda látex amarelo intenso ou vermelho-tijolo, acre,
picante.

PARTE EMPREGADA

Planta inteira florida, incluindo a raiz.

DESCRIÇÃO DA DROGA

A droga apresenta os caracteres anteriormente detalhados na descrição da planta.

PREPARAÇÃO DA TINTURA-MÃE

A tintura-mãe de Chelidonium é preparada por maceração ou percolação, de forma que o teor
alcoólico durante e ao final da extração seja de 45% (V/V), segundo a técnica geral de preparação de
tintura-mãe (X.1) Farm. Hom. Bras.

CARACTERÍSTICAS DA TINTURA-MÃE

Líquido de cor castanha escura, odor fraco e sabor amargo, contendo, no mínimo, 0,015% de
alcalóides totais expressos em quelidonina.

IDENTIFICAÇÃO

A. Evaporar 1 ml da tintura-mãe em banho-maria. Tratar o resíduo com 0,5 ml de ácido clorídrico a
5 % (V/V). Adicionar algumas gotas de reagente de Dragendorff. Observa-se a formação de
precipitado alaranjado.

B. Repetir a reação nas mesmas condições anteriores, substituindo o reagente de Dragendorff pelo
reagente de Mayer. Observa-se a formação de precipitado castanho-escuro.

C. Adicionar a 2 ml da tintura-mãe, 2 ml de solução de cloramina 10% (p/V). Observa-se o
desenvolvimento de cor amarelo limão.

D. A 1 ml da tintura-mãe acrescentar 10 ml de água purificada e 1 ml de hidróxido de amônio; à
mistura acrescentar 3 ml de éter. Agitar. Examinar à luz ultra-violeta de onda longa (365 nm).
Observa-se florescência azul na fase superior.

ENSAIOS

Título etanol.
Deve estar compreendido entre 40 e 50% (V/V).

Resíduo seco
. Deve ser igual ou superior a 1,20% (p/V)

Cromatografia em camada delgada (V.2.17.1) F. Bras. IV. Desenvolver cromatografia em
camada delgada de sílica-gel G. Aplicar sobre a camada delgada 20 ?l da tintura-mãe, empregando
como fase móvel a mistura de n-butanol–ácido acético glacial–água purificada (4:1:1). Desenvolver
a cromatografia por um percurso de 15 cm. Deixar secar ao ar. Examinar à luz ultravioleta de onda
longa (365 nm). O cromatograma apresenta uma mancha com fluorescência azul com Rf próximo a
0,15, uma outra com fluorescência amarelo-esverdeada com Rf próximo a 0,30, uma terceira com
fluorescência amarela intensa e com Rf próximo a 0,35, uma com fluorescência amarelo-esverdeada
e Rf próximo a 0,45, uma mancha com fluorescência azul e Rf próximo a 0,85, outra com
fluorescência castanho-avermelhada e Rf próximo a 0,90 e uma última com fluorescência vermelha
e Rf próximo a 0,95. Em seguida nebulizar a placa com reagente de Dragendorf e solução de ácido
sulfúrico 0,1 M. Examinar à luz natural. A mancha com Rf próximo a 0,35 aparece com cor
alaranjada. Outra mancha com Rf 0,65 de cor alaranjada, podendo aparecer duas outras com a
mesma cor e Rf próximo a 0,45 e 0,70.


DOSEAMENTO

Pesar 20 g da tintura em cápsula de porcelana previamente tarada. Evaporar o álcool e adicionar 10
ml de solução de ácido sulfúrico a 10% (p/V). Aquecer em banho-maria fervente por 20 minutos.
Pesar o líquido resultante e ajustar novamente para 20 g com água purificada. Filtrar e lavar o filtro
com ácido sulfúrico 10% (p/V). Alcalinizar com quantidade suficiente de solução concentrada de
hidróxido de sódio. Filtrar em funil de separação por 3 vezes com 20 ml de éter cada vez. Reunir
em erlenmayer contendo quantidade suficiente de sulfato de sódio anidro. Filtrar e reduzir os
extratos a um décimo do volume inicial. À quantidade resultante agregar 20 ml de solução de ácido
sulfúrico 0,01 M. Eliminar o éter restante por evaporação e em seguida adicionar 20 ml de água
purificada. Titular o excesso de ácido sulfúrico com solução 0,01 M de hidróxido de sódio
utilizando solução de vermelho de metila SI. Cada ml de ácido sulfúrico 0,01 M equivale a 3,5336
mg de alcalóides totais expressos em quelidonina.

CONSERVAÇÃO

Em frasco de vidro neutro, âmbar, bem fechado, ao abrigo da luz e do calor.

FORMAS DERIVADAS

Ponto de partida
. Tintura-mãe.

Insumo inerte. A partir de 1CH ate 3CH ou 1DH até 6DH utilizar o mesmo teor alcoólico da
tintura mãe. Para as demais dinamizações, seguir a regra geral de preparação de formas
farmacêuticas derivadas.

Método
. Hahnemanniano (XI.I), Korsakoviano (XI.II), Fluxo Contínuo (XI.III); Farm.Hom.Bras.
II.

Dispensação
. A partir da tintura-mãe, seguindo regra geral de dispensação.

Conservação. Em frasco de vidro neutro, âmbar, bem fechado, ao abrigo da luz e do calor.


REAGENTES E SOLUÇÕES REAGENTES

Reagente de Dragendorff
Solução A: dissolver 17 g de subnitrato de bismuto e 200 g de ácido tartárico em 800 ml de água
purificada;
Solução B: dissolver 160 g de iodeto de potássio em 400 ml de água purificada;
Solução estoque: solução A + solução B;
Solução para nebulização : 50 ml de solução estoque + 500 ml de água purificada + 100 g de ácido
tartárico.

Reagente de Mayer
Dissolver 1,35 g de cloreto de mercúrio em 60 ml de água purificada e, separadamente, 7 g de
iodeto de potássio em 20 ml de água purificada. Misturar as duas soluções, agitar, filtrar e
completar a 100 ml com água purificada.
Document Outline CHELIDONIUM



Síguenos

X