HYPERICUM PERFORATUM

Para que serve esta planta medicinai

Informação sobre HYPERICUM PERFORATUM


HYPERICUM PERFORATUM


Hypericum perforatum (L.) - HYPERICACEAE

SINONÍMIA HOMEOPÁTICA

Hypericum, Hipérico, Fuga daemonum, Herba solis, Hypericum pseudo perforatum, Hypericum
officinale, H. virginicum, H. vulgare, H. umbelicalis.

DESCRIÇÃO DA PLANTA

Hypericum perforatum , L. é uma espécie perene, com talo erecto atingindo mais ou menos 30 cm.
Folhas opostas, oblongas ou elípticas, inteiras, sésseis, glabras, com pontuações escuras junto das
margens e manchas translúcidas em todo o limbo devido às bolsas esquizogênicas de essência
quando observadas por transparência; flores em cimeiras corimbiformes, hermafroditas,
pentâmeras, de cálice persistente; 5 pétalas coradas de amarelo vivo com glândulas na margem;
ovário constituído por 3 a 5 carpelos, com 3 estiletes e fruto capsular deiscente com 3 valvas (nas
sépalas e pétalas observam-se também as pontuações escuras da margem das folhas). Cheiro
aromático e persistente; sabor amargo e adstringente.

PARTE EMPREGADA

Planta inteira florida.

PREPARAÇÃO DA TINTURA-MÃE

A tintura-mãe de Hypericum perforatum é preparada por maceração ou percolação, de forma que o
teor alcoólico durante e ao final da extração seja de 65% (V/V), segundo a técnica geral de
preparação de tintura-mãe (X.1) Farm. Hom. Bras.

CARACTERÍSTICAS DA TINTURA-MÃE

Líquido vermelho escuro de odor fraco e sabor ligeiramente amargo.

IDENTIFICAÇÃO DA TINTURA-MÃE

A. Adicionar algumas gotas de solução de cloreto férrico 1% (p/V) a 2 ml da tintura-mãe.
Observa-se cor verde escuro.

B. Adicionar a 2 ml da tintura-mãe, 2 ml de água purificada e 2 ml de éter etílico com leve
agitação. Examinar à luz ultravioleta de onda longa (365nm): a fase etérea apresenta fluorescência
vermelha intensa (hipericina).

C. Adicionar 1 ml de ácido sulfúrico a 2 ml da fase etérea; examinar à luz ultravioleta de onda
longa (365 nm); observa-se fluorescência verde-amarelada.

ENSAIOS

Título em etanol.
Deve estar compreendido em 60% e 70% (V/V).

Resíduo seco. Deve ser superior a 1,30% (p/V).

Cromatografia em camada delgada
(V.2.17.1) F. Bras. IV. Desenvolver cromatografia em
camada delgada de sílica-gel G. Aplicar sobre a placa 20 ?l da tintura-mãe. Desenvolver a
cromatografia num percurso de 10 cm empregando como fase móvel a mistura de n-butanol-ácido
acético glacial-água (4:1:1). Deixar secar ao ar. Examinar à luz ultravioleta de onda longa (365
nm). O cromatograma apresenta duas manchas castanho escuro com Rf próximos a 0,60 e 0,80, uma
com fluorescência vermelho intenso com Rf próximo a 0,85, outra com fluorescência pardo
amarelada com Rf próximo a 0,90 e uma última, com fluorescência vermelha com Rf próximo a
0,95. Nebulizar a placa com solução de tricloreto de alumínio a 5% (p/V) em etanol a 90% (V/V).
Examinar à luz ultravioleta de onda longa (365 nm). O cromatograma apresenta uma série de
manchas de fluorescência amarela e de Rf próximo a 0,45, 0,60, 0,80 e 0,90. Desenvolver um
segundo cromatograma nas mesmas condições anteriores. Nebulizar a placa com solução vanilina
sulfúrica, aquecer a 100- 105 °C e examinar à luz do dia. O cromatograma apresenta mancha cinza
escura com Rf próximo a 0,30, várias manchas pardo escuras compreendidas entre Rf 0,50 e 0,60,
uma mancha rósea com Rf próximo a 0,80, outra cinza violácea com Rf próximo a 0,85 e uma
última violácea com Rf próximo a 0,98.

CONSERVAÇÃO

Em frasco de vidro neutro, âmbar, bem fechado, ao abrigo da luz e do calor.

FORMA DERIVADA

Ponto de partida.
Tintura-mãe.

Insumo inerte.
A partir de 1CH ate 3CH ou 1DH até 6DH utilizar o mesmo teor alcoólico da
tintura mãe. Para as demais dinamizações, seguir a regra geral de preparação de formas
farmacêuticas derivadas.

Método.
Hahnemanniano (XI.I), Korsakoviano (XI.II), Fluxo Contínuo (XI.III); Farm. Hom. Bras.
II, 1997.

Dispensação.
A partir da tintura-mãe, seguindo regra geral de dispensação.

Conservação.
Em frasco de vidro neutro, âmbar, bem fechado, ao abrigo da luz e do calor.



REAGENTES E SOLUÇÕES REAGENTES

Vanilina sulfúrica
Vanilina a 1% (p/V) em etanol a 90% (V/V) seguida pela adição por 3 ml de ácido sulfúrico
concentrado.

Document Outline FORMA DERIVADA REAGENTES E SOLU



Síguenos

X